Seguir o O MINHO

Ave

Câmara de Vizela apela ao pagamento da taxa do lixo

Pagamento passa a ser obrigatório

em

Foto: DR

A Câmara Municipal distribuiu por todo o Concelho uma carta dirigida a todos os vizelenses, dando a conhecer a nova política ambiental em vigor na Autarquia, nomeadamente o programa ‘Vizela Mais Limpa’, com o objetivo de melhorar de forma substancial a qualidade de vida de Vizela e dos vizelenses.

Nesta carta, a Câmara Municipal apela ainda ao pagamento da tarifa do lixo por todos os munícipes, uma vez que atualmente apenas pagam a tarifa de lixo aqueles que têm água e saneamento. É intenção da Câmara Municipal que, a partir do início deste ano, o pagamento seja obrigatoriamente efetuado por todos os munícipes, numa lógica de utilizador – pagador e para que assim a Autarquia possa baixar ainda mais a todos os Vizelenses a tarifa de lixo.

Assim, a Câmara Municipal apela aos munícipes, que atualmente não pagam tarifa de lixo, que façam a sua inscrição nas respetivas Juntas de Freguesia ou na Câmara Municipal, até ao final do mês de janeiro de 2019.

De destacar ainda que, pela primeira vez, a Câmara Municipal de Vizela procedeu a uma redução do tarifário de resíduos urbanos de 5%, de 2017 para 2018, e mais 5%, de 2018 para 2019.

Nesta missiva, a Câmara Municipal destaca a implementação do sistema por contentorização, que prevê a substituição do atual sistema de recolha de resíduos urbanos porta-a-porta, técnica e ambientalmente mais vantajoso face ao sistema atualmente existente, permitindo não só uma redução com os custos de recolha, mas, acima de tudo, proporcionar um ambiente mais limpo e agradável.

Assim, a Autarquia apela à colaboração de todos os munícipes em todo este processo, para estarem sensíveis para as questões ambientais e para que continuem empenhados em contribuir para um ambiente mais saudável, depositando os seus resíduos nestes novos equipamentos.

A Câmara Municipal de Vizela pede desculpa pelos incómodos que possam advir destas alterações, mas no futuro irá provar-se que este sistema se transformou numa mais-valia para o Concelho.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Famalicão

Trinta e nove finalistas vão ‘lutar’ para vencer o Festival de Vídeo Ecológico de Famalicão

Cerca de 500 projetos de 19 países concorreram ao festival

em

Foto: CM Famalicão

Participantes dos quatro cantos do mundo do Burundi à Índia, do Brasil à Colômbia, da França à Irlanda, submeteram 500 trabalhos à edição deste ano do Bgreen – Festival de Vídeo Ecológico, cuja grande final decorrerá no dia 07 de junho, em Vila Nova de Famalicão.

O júri terá que apreciar os 39 finalistas para depois escolher os vencedores.

“Grande Prémio Bgreen”, “Bgreen Júnior” “Menção Honrosa”, “Melhor Making-Of”, “Prémio do Público” e “Prémio Alphonse Luisier” são as seis categorias a concurso. Os vencedores serão revelados numa gala de entrada livre que terá lugar no auditório do Parque da Devesa, pelas 21:30.

O festival, promovido pela Escola Profissional Oficina, nesta sua nona edição contou com projetos oriundos de 16 países.

“Blue Home” foi o tema escolhido para a edição deste ano do Bgreen.

Originalidade, inovação, impacto social e ambiental foram alguns dos critérios tidos em conta pelo júri do concurso na pré-seleção dos trabalhos.

Segundo nota municipal, “sensibilizar os jovens estudantes do ensino básico e secundário, com idades compreendidas entre os 13 e os 21 anos, para as questões ambientais é o principal objetivo do Bgreen, que se realiza alternadamente no concelho famalicense e no concelho de Santo Tirso”.

Continuar a ler

Guimarães

Fogo em prédio obriga a evacuação de 13 pessoas em Guimarães

Rápida intervenção dos Bombeiros evitou males maiores

em

Foto: Bombeiros das Taipas

Treze pessoas foram evacuadas depois de ter deflagrado um incêndio num anexo nas traseiras de um prédio, na rua Comandante Carvalho Crato, na Vila das Taipas, em Guimarães.

O fogo atingiu um apartamento e uma loja comercial e o alerta foi dado por volta das 22:25 tendo mobilizado 20 elementos em seis viaturas dos Bombeiros das Taipas.

Segundo fonte da Protecção Civil, “os bombeiros foram chamados para um incêndio num anexo nas traseiras de um prédio que depois se propagou para a varanda de um primeiro andar e para um comércio de ferragens”. O anexo era pertença da loja de ferragens.

A rápida intervenção dos bombeiros impediu que o fogo se alastrasse a mais habitações. O incêndio provocou elevados prejuízos materiais na loja, tendo ainda propagado à fachada do bloco de apartamentos existente na parte superior da loja, obrigando à evacuação dos moradores.

A evacuação das treze pessoas aconteceu por precaução e regressaram depois a casa onde passaram o resto da noite.

A GNR das Taipas também esteve no local e irá investigar as causas do incêndio.

Continuar a ler

Guimarães

Mediadores municipais e interculturais vão ser uma realidade em Guimarães

Projeto junto da comunidade cigana e migrantes

em

Foto: DR

O ‘Território Desenvolvido e Intercultural’ é um projeto de mediadores municipais e interculturais junto das comunidades ciganas e migrantes do Concelho de Guimarães.

A ideia passa por desenvolver “diversas ações em diferentes dimensões da vida destas comunidades favoráveis à sua integração, desde a mediação escolar, a promoção da sua empregabilidade, compromisso com a saúde, a organização associativa e participação cívica”, como refere nota municipal.

Em parceria com a Sol do Ave, a autarquia vai dar, hoje, pelas 11:30, no Museu Alberto Sampaio, mais pormenores sobre este projeto.

No entanto, já foi tornado público a intenção das entidades envolvidas organizarem um mercado intercultural e criaremuma Rede para a Interculturalidade que “pretende mobilizar a comunidade institucional no aprofundamento do diálogo intercultural entre estas e a restante comunidade vimaranense, contribuindo para a desconstrução de estereótipos e para a valorização da diversidade cultural”.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Patrocinado

Reportagens da Semana

Populares