Seguir o O MINHO

Alto Minho

Câmara de Paredes de Coura fechou contas de 2018 com taxa de execução de 90%

“Somos diligentes e eficazes na criação de emprego”

em

Foto: DR/Arquivo

A Câmara de Paredes de Coura, no Alto Minho, informou hoje ter encerrado as contas de 2018 com uma taxa de execução de 90%, sublinhando o prazo médio de pagamentos a um dia, aos fornecedores.

Em comunicado, o município liderado pelo socialista Vítor Paulo Pereira referiu, a propósito da aprovação, pela assembleia municipal, na segunda-feira, do Relatório e Contas de 2018, que o documento “confirma, em definitivo, a ideia da consolidação, da inovação e da ousadia das políticas municipais enunciadas em 2013, aquando da nossa tomada de posse”.

“Paredes de Coura continua a crescer economicamente. Somos diligentes e eficazes na criação de emprego”, sustenta o Vítor Paulo Pereira, citado na nota enviada à imprensa.

O autarca socialista salientou ainda “o prazo médio de pagamentos aos fornecedores, que passou de 14 dias para um dia”.

“Traduz a excelência no relacionamento com todos os fornecedores do município. Ser de esquerda exige, antes de tudo, ter boas contas, porque, até prova em contrário, não podemos fazer ação social ou promover políticas de inclusão ou de promoção da igualdade sem dinheiro, o mesmo será dizer, sem boas contas”, sublinhou.

Segundo o autarca, que tem maioria absoluta no executivo municipal, a gestão socialista conseguiu “conciliar a capacidade de investimento com a redução da dívida, fortalecendo as necessidades de investimento que permitirão suportar financeiramente alguns projetos que mudarão para melhor a vida de todos os courenses”.

“Brevemente começarão as obras da nova ligação rodoviária de Paredes de Coura à autoestrada A3, a ampliação das zonas industriais, a segunda fase da reabilitação urbana e as tão desejadas obras na rede viária municipal”, especificou.

Vítor Paulo Pereira apontou ainda “a taxa de execução ao nível da receita de 90,6%”, sublinhando que “espelha rigor e seriedade na elaboração dos orçamentos”.

Para Vítor Paulo Pereira, as contas de Paredes de Coura “estão bem e recomendam-se”: “Investimos muito nas freguesias e na rede viária, sem esquecer os projetos estratégicos para o nosso concelho como a ligação ao parque industrial de Formariz, a solução para o antigo Sanatório ou a reabertura do Tribunal de Paredes de Coura”, concluiu.

Anúncio

Alto Minho

Vila Nova de Cerveira adere à associação de municípios com centro histórico

Turismo

em

Foto: Divulgação / CM Cerveira

Vila Nova de Cerveira decidiu integrar a Associação Portuguesa dos Municípios com Centro Histórico (APMCH), informou esta segunda-feira a câmara local, que justificou a adesão com o “singular” núcleo histórico do século XIV.

Em comunicado, o município liderado por Fernando Nogueira adiantou que a adesão do concelho à APMCH decidida em reunião camarária e vai ainda ser submetida a aprovação da assembleia municipal.

Para a autarquia, a adesão do concelho àquela associação visa “potenciar a defesa, valorização, revitalização e animação” do centro histórico de Vila Nova de Cerveira, “que remonta ao século XIV, com a entrega da Carta de Foral de D. Dinis em 1321 e constituído por relevantes elementos patrimoniais”.

“Sob proteção do Castelo D. Dinis surgiu, no século XIV, o pequeno burgo que corresponde hoje ao centro histórico, demarcando-se um novo paradigma na história dos cerveirenses e, sobretudo, da sua identidade. Aqui, a história e o património andam de mãos dadas, com diversos edifícios com influência de diferentes estilos arquitetónicos e épocas, que convidam a um roteiro histórico-patrimonial, mas também artístico-cultural”, especifica a nota.

Segundo aquela autarquia do Alto Minho, “o núcleo urbano histórico de Vila Nova de Cerveira é enaltecido pela existência de uma harmonização entre o valioso legado e as marcas que alguns dos mais importantes episódios da história nacional deixaram, com as modernas intervenções urbanísticas e artísticas”.

Fundada por 15 câmaras em 1988, a APMCH, com sede em Lamego, no distrito de Viseu, e com delegações regionais em Almeida (Guarda) e em Lagos (Faro), atualmente possui cerca de uma centena de concelhos e reúne “municípios portugueses que possuam, nos seus aglomerados urbanos, zonas antigas merecedoras de preservação”.

A APMCH visa, entre outros objetivos, “promover, em conjunto ou isoladamente, todas as ações, com vista à defesa, conservação, recuperação, reabilitação, revitalização e animação desses centros históricos, considerando-as zonas carecidas de proteção prioritária, como valores que são da maior importância nacional e de indiscutível interesse público e, principalmente, como fatores determinantes para o progresso e bem-estar das populações que deles desfrutam ou usufruem”.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Morreu José Natário, conhecido empresário fundador de várias pastelarias em Viana

em

Foto: Juventude de Viana

José Natário, empresário e fundador do clube desportivo Juventude de Viana, morreu esta segunda-feira aos 86 anos, anunciou o clube vianense através das redes sociais.

José Enes Natário, que sofria de doença prolongada, morreu em sua casa, durante esta manhã.

Para além de ter sido um dos sócios fundadores do clube Juventude de Viana, a obra de José Natário fica patente no comércio da sociedade vianense, ao ter fundado, em 1970, a conhecida Pastelaria Zé Natário, na Avenida dos Combatentes, em pleno centro histórico da cidade de Viana do Castelo, entre outras pastelarias hoje administradas por familiares.

Nasceu a 10 de janeiro de 1933, filho dos proprietários da pastelaria Brazil sita na rua Manuel Espregueira nº115, em Viana do Castelo.

Ficou órfão de pai aos 14 anos, e após este acontecimento foi a mãe, Custodia Barreiros Natário que assumiu a frente do negocio.

Fundou a Confeitaria e Pastelaria Primorosa (hoje confeitaria Manuel Natário), onde se fazem filas para comprar as famosas bolas à Natário.

Espanhóis rendidos às bolas de Berlim do Natário

Aos 15 anos decidiu enveredar por trabalhar no fabrico da confeitaria de sua mãe. Foi aqui que “lhe tomou o gosto” e nunca mais parou…

Munido de uma bicicleta tipo triciclo ia para a praia de Cabedelo e para o campo de futebol vender um tipo de lanches aos quais deu o nome de vigaristas.

Aos 22 anos comprou o trespasse do CAFÉ SPORT, um dos cafés mais antigos e conceituados na cidade naquela altura. Logo de seguida abriu também o TACO, salão de bilhares, que hoje é propriedade de um ex-funcionário.

Foi também sócio da Liga Vianense de Panificação da qual esteve à frente durante alguns anos.

Adquiriu um espaço na Avenida dos Combatentes e abriu a atual Pastelaria Zé Natário, com fabrico próprio. Atualmente, Regina Natário, filha, gere o negócio.

Abriu ainda a padaria Brazil (nome a homenagear a primeira confeitaria de seus pais que abriu na década de 1920), onde tem outro filho, José Natário, como gerente.

Foi ainda desportista do SC Vianense nas modalidades de futebol e hóquei em patins e fundador da Associação Juventude de Viana em 1976, associação destinada apenas à pratica do hóquei em patins.

*Notícia atualizada às 14h27 com a informação de que a pastelaria conhecida pelas ‘bolas de Berlim’ é propriedade de um familiar (Manuel Natário), esse sim o autor da conhecida versão do bolo

Continuar a ler

Alto Minho

Chuva e vento provocaram quedas e inundações esta manhã no Alto Minho

Condições meteorológicas desagravam-se durante a tarde

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O distrito de Viana do Castelo esteve, durante esta manhã, sob aviso amarelo, que terminou pelas 12:00, de acordo com informações disponibilizadas pelo Instituto Português de Mar e Atmosfera (IPMA), tendo sido um dos mais fustigados da região face às condições climatéricas adversas.

Durante este período, onde a chuva caiu de forma persistente e o vento fez-se soprar com maior intensidade, foram registadas quedas de estruturas edificadas em Viana do Castelo, na Rua Nova de Santa Ana, pelas 10:06, e em Arcos de Valdevez, junto à EN 301, pelas 09:39.

A estrada de Pena, em Mozelas, Paredes de Coura, registou ainda inundação devido à precipitação intensa, por volta das 09:00. À mesma hora, registou-se ainda uma colisão rodoviária em Viana do Castelo.

O distrito de Braga, que também esteve sob aviso amarelo, acabou por ser menos afetado, registando-se, no entanto, a queda de uma árvore fruto do mau tempo em Azurém, Guimarães. No mesmo concelho, cerca das 09:22, registou-se uma inundação de estruturas em Urgezes, face à chuva persistente.

De acordo com as previsões do IPMA, durante a tarde desta segunda-feira, as condições meteorológicas irão reverter a situação matinal, devendo esperar-se alguma nebulosidade e várias abertas.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares