Seguir o O MINHO

Ave

Câmara de Famalicão acusa empresa de incumprimento nos transportes escolares

Primeiro dia de aulas com “graves constrangimentos”

em

Foto: CM Famalicão

A Câmara de Famalicão acusou esta sexta-feira a empresa de transportes Arriva de “incumprimento” dos percursos e horários definidos para o novo ano letivo, sublinhando que a situação originou “graves constrangimentos” e prejudicou alunos e famílias.


Em comunicado, a Câmara refere que o incumprimento foi constatado na quinta-feira, primeiro dia de aulas, e acrescenta que “exigiu de imediato explicações” à empresa.

A Arriva, ainda segundo o comunicado, transmitiu hoje “o reconhecimento do incumprimento” e deixou a garantia da imediata normalização do serviço prestado.

“A Câmara Municipal vai estar muito atenta a esta situação e não vai deixar de utilizar todos os meios ao seu alcance para que o serviço de transporte público rodoviário decorra com a normalidade habitual e da forma que foi articulada entre empresas, escolas e autarquia”, sublinha.

No comunicado, a Câmara vinca que a regularidade do serviço é uma “exigência absoluta” para com as empresas responsáveis.

“Por isso, o município não deixará de pedir responsabilidades à empresa pela grave situação provocada no primeiro dia de aulas”, remata.

A Câmara diz que o processo foi ajustado, em termos de horários e de percursos, para dar “cabal resposta” às necessidades dos alunos e das famílias, “no pressuposto do cumprimento da universalidade da gratuitidade dos passes escolares que se verifica em Famalicão”.

Este ano, tal como no anterior, a Câmara assume a totalidade do pagamento dos passes a todos os alunos do concelho, desde o ensino básico até ao 12.º ano.

Esta medida abrange cerca de cinco mil alunos, num investimento total de 1,9 milhões de euros por ano.

Anúncio

Ave

Olivier Solberg sofre aparatoso acidente no Rali Fafe Montelongo

Acidente

em

Foto: PICK PREGO A FUNDO

O piloto sueco Oliveir Solberg foi protagonista de um aparatoso acidente durante o ‘shakedown’ do Rali Fafe Montelongo, esta sexta-feira, destruindo parcialmente a traseira do Volkswagen com que participa nesta prova do Europeu de Ralis.

Pelo que foi possível apurar, o jovem piloto, filho do campeão do mundo Peter Solberg, saiu pelos próprios meios, encontrando-se bem e sem ferimentos.

Foto: PICK PREGO A FUNDO

Foto: PICK PREGO A FUNDO

Foto: PICK PREGO A FUNDO

(em atualização)

Continuar a ler

Ave

Covid-19: Mais dois alunos infetados e duas turmas em isolamento em Vizela

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vizela

Dois alunos da Escola Básica Caldas de Vizela estão infetados com covid-19, anunciou hoje a autarquia da região do Ave

Em comunicado enviado a O MINHO, a Câmara aponta um aluno do 5.º ano e outro do 7.º como tendo testado positivo ao vírus SARS-CoV-2.

A situação foi avaliada pela delegada de saúde e os alunos de ambas as turmas foram colocados em vigilância ativa e isolamento profilático com confinamento no domicílio.

Para evitar novos surtos, a autarquia apela “mais uma vez à população vizelense para respeitar as recomendações das autoridades, em especial a prática de distanciamento social e o uso de máscara, para evitar a transmissão da doença”.

“É importante que todos percebam a complexidade e a exigência deste momento e que, havendo possibilidade de uma reincidência de casos de infeção, é preciso, acima de tudo, que todos assumam uma atitude de responsabilidade social”, acrescenta a câmara liderada pelo independente Víctor Hugo Salgado.

Continuar a ler

Guimarães

Enfermeira de Guimarães denuncia problemas na saúde primária: “Veem o pus por telefone”

Saúde

em

Foto: DR

Ana Isabel Alves, enfermeira de Guimarães, escreveu uma carta ao primeiro-ministro a alertar para as fragilidades dos cuidados primários de saúde durante os tempos de pandemia de covid-19.

A enfermeira denuncia condicionamentos impostos pelas medidas de contenção que nunca foram ajustados para um correcto funcionamento no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Explica que os utentes têm muitas dificuldades para conseguir uma consulta, levando a que estes se desloquem diretamente ao hospital da área de residência, podendo, por isso, ‘entupir’ o atendimento. Sublinha ainda que que os tempos de espera estão a aumentar, prejudicando os casos urgentes.

“Não é aceitável que tenhamos que nos deslocar ao privado quando temos um SNS para o qual contribuímos”, lamenta a enfermeira.

Outra das medidas que Ana Isabel Alves critica é a consulta feita por telefone. A enfermeira diz que existem relatos “de pedirem por telefone a uma mãe para ver se via pus na garganta do filho. Não é admissível”, afirma, vincando que “os centros de saúde não podem funcionar maioritariamente pelo telefone”.

A enfermeira apela a António Costa que faça uma reflexão sobre este apelo que é, diz, “em nome dos portugueses”.

Continuar a ler

Populares