Seguir o O MINHO

Cávado

Câmara de Esposende está a recrutar para várias funções

Seis vagas de emprego

em

Foto: DR / Arquivo

A Câmara de Esposende tem em aberto seis vagas de assistente operacional para várias funções.


O município está à procura de serralheiro, motorista de pesados e veículos especiais, eletricista, carpinteiro e canalizador

As candidaturas para estes postos decorrem até 21 de julho.

A Câmara de Esposende tem a decorrer, ainda, procedimento concursal para recrutamento de encarregado operacional, cuja candidatura pode ser feita até ao próximo dia 16, para as funções de “apoio geral, incluindo as de telefonista e operador de reprografia”.

O salário de assistente operacional é de 645 euros.

As candidaturas podem ser enviadas para Município de Esposende, Praça do Município, 4740-223 Esposende ou [email protected]

Mais informações podem ser consultadas na Bolsa de Emprego Público.

Anúncio

Barcelos

Esposende: Misericórdia de Fão nega atraso no pagamento de subsídio de férias

Bloco de Esquerda questionou governo

em

Foto: Misericórdia de Fão

O Bloco de Esquerda (BE) questionou hoje o Governo sobre atrasos no pagamento do subsídio de férias a trabalhadores da Santa Casa da Misericórdia de Fão e exige a intervenção do Governo para garantir os direitos daqueles trabalhadores.

A tomada de posição do partido apanhou de surpresa a instituição que, em declarações a O MINHO, garante que tem todos os pagamentos em dia e que, este ano, por causa da pandemia, alguns até foram adiantados.

Na pergunta dirigida ao ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o grupo parlamentar bloquista refere que lhe “chegou ao conhecimento” que a Santa Casa da Misericórdia de Fão, no concelho de Esposende, distrito de Braga, “não procedeu ao pagamento do subsídio de férias aos trabalhadores da categoria de auxiliares/ajudantes dos serviços gerais (…), a categoria profissional mais numerosa e a que aufere salários mais baixos”.

O Grupo Parlamentar do BE quer saber se o Governo tem conhecimento da situação, se a Autoridade para as Condições do Trabalho realizou alguma atividade inspetiva à Santa Casa da Misericórdia de Fão” e, se sim, “qual foi o resultado”.

Os atrasos denunciados pelo BE são para os parlamentares uma “situação [que] não é aceitável”, pelo que o partido “exige uma intervenção urgente do Governo e da Autoridade para as Condições do Trabalho, para que os direitos destes trabalhadores e trabalhadoras sejam assegurados”.

“Subsídio de férias sempre foi pago até agosto”

Questionada por O MINHO, a provedora da Misericórdia de Fão, Raquel Vale, que tomou posse em janeiro deste ano, garante que, desde pelo menos 2017, “o subsídio de férias sempre foi pago até agosto”.

A responsável esclarece que o pagamento é feito de forma faseada por setores. “Em junho pagámos farmácia e laboratório, em julho pagámos receção e limpeza”, exemplifica, notando que, nestes setores, estão incluídos funcionários de diversas categorias e não há qualquer discriminação entre eles.

Este ano, até, por causa da pandemia, a Misericórdia de Fão antecipou o pagamento de subsídio de férias a colaboradoras que fora mais afetadas nos seus rendimentos por causa do ‘lay-off’.

“Tendo em consideração que algumas colaboradoras, por causa da pandemia, estiveram em ‘lay-off’ e perderam um terço do seu rendimento mensal, antecipámos o infantário e o centro social, a lavandaria e a limpeza, que são sobretudo auxiliares, e pagámos em maio”, garante Raquel Vale, reiterando que até final de agosto todos os subsídios estarão pagos, como é prática habitual. Cozinha, lar e hospital são algumas das valências que ainda irão receber o subsídio de férias.

A provedora assegura, ainda, que “não chegou nenhuma queixa” sobre atraso de pagamentos.

O BE considera que “a Santa Casa da Misericórdia de Fão é uma instituição de grande relevância social do concelho de Esposende, não só pela diversidade do trabalho que desenvolve, como no número de trabalhadores que emprega”.

O partido salienta que os “utentes beneficiam das suas respostas sociais e de saúde”, que vão “para além do Hospital de Fão”, tendo “protocolo com o Ministério da Saúde, para consultas da especialidade, exames e análises e no âmbito da medicina física e reabilitação, é com o Ministério da Segurança Social que esta instituição tem firmados vários acordos de financiamento, em função das respostas e dos utentes abrangidos”.

A Misericórdia de Fão tem, além do hospital, Creche e Jardim de Infância, Centro de Dia e Apoio Domiciliário, Lar de Idos e Cantina Social.

Continuar a ler

Barcelos

Ex-autarca de Barcelos exige em tribunal que câmara pague custas com advogados

Autarquia reconhece legitimidade do pedido de Fernando Reis

em

Foto: DR / Arquivo

O ex-presidente da Câmara de Barcelos, Fernando Reis, colocou uma ação no Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga para exigir ao município o pagamento de 61.500 euros relativos aos honorários com a sua defesa no julgamento ‘caso da água’ do qual foi absolvido.

Questionada a propósito por O MINHO, a Câmara de Barcelos, através do Gabinete de Comunicação, fez saber que reconhece legitimidade ao pedido do ex-autarca, mas aguarda, ainda, parecer da Ordem dos Advogados relativamente ao montante exigido.

Fernando Reis, que liderava o município aquando da concessão do abastecimento de água e saneamento ao consórcio Águas de Barcelos, em 2004, foi acusado pelo Ministério Público de um crime de prevaricação de titular de cargo político.

Considerava a acusação que o ex-autarca social-democrata agiu “com violação dolosa de regras de contratação pública, da qual resultou prejuízo para o município de Barcelos”.

A Câmara de Barcelos era demandante no processo, pedindo uma indemnização, ainda não quantificada, pelos prejuízos que se viessem a provar para o erário público. O tribunal indeferiu o pedido.

Fernando Reis acabou absolvido, bem como os outros três arguidos do caso – uma técnica superior do município de Barcelos e dois responsáveis da empresa Águas de Barcelos.

“Assassinato de caráter político e cívico”

O coletivo de juízes deu como provado que da concessão resultou “um prejuízo patrimonial relevante” para o município, mas não provou que tivesse havido intenção dos arguidos de provocar esse prejuízo.

Na altura, Andreia Carvalho, advogada de Fernando Reis, classificou o processo judicial como “um assassinato de caráter político e cívico” do ex-presidente da Câmara, “por razões meramente eleitoralistas”.

Após ser absolvido, o ex-presidente da Câmara fez saber que iria exigir ao município o pagamento dos custos que teve com honorários de advogados para se defender, tendo em conta que foi julgado por factos relacionados com a atividade de autarca.

A Câmara de Barcelos considerou que o ex-presidente tinha legitimidade para exigir o pagamento e pediu à Ordem dos Advogados um parecer sobre o valor em causa, os referidos 61.500 euros.

Parecer, esse, que a Ordem dos Advogados ainda não emitiu, pelo que a Câmara também não ressarciu o ex-presidente.

A demora no processo levou, agora, Fernando Reis a instaurar uma ação administrativa em tribunal contra a autarquia.

O MINHO contactou o ex-presidente da Câmara de Barcelos que não quis prestar declarações sobre o assunto.

Fernando Reis absolvido no caso da concessão da água de Barcelos

Recorde-se que a constituição da Águas de Barcelos foi sempre rodeada por polémica. E arrasta-se até hoje. Criada pelo PSD, a Águas de Barcelos foi cavalo de batalha da oposição, nomeadamente do Partido Socialista, que ganharia as eleições em 2009.

O atual presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, referiu-se sempre ao contrato de concessão como “ruinoso” para o município, devido às previsões “completamente irrealistas” de consumos em que assentou.

Esses consumos nunca foram atingidos e a empresa, em 2010, requereu a constituição do tribunal arbitral, com vista à reposição de equilíbrio económico-financeiro da concessão.

O tribunal arbitral condenou o município ao pagamento à AdB de 172 milhões de euros, até 2035.

A sentença, no entanto, não foi aplicada, porque a Câmara chegou entretanto a um acordo com os acionistas privados da AdB, pelo qual o município adquire 49% da concessão por 59 milhões de euros.

Continuar a ler

Barcelos

Empresa de Barcelos que criou aplicação para Mourinho compra 20% da Soccer Hub

Brandit continua a crescer

em

Foto: Divulgação / Brandit

A Brandit, empresa de Barcelos de media digital, focada sobretudo na área de futebol, comprou 20% do capital da Soccer HUB, que se dedica à produção e distribuição de cursos online para profissionais de futebol, sendo considerada uma referência na área a nível global.

O acordo de aquisição de 20 % do capital tem como objetivo consolidar e fazer crescer as duas empresas no mercado desportivo mundial, é referido em comunicado.

“Este acordo faz parte do plano de crescimento da Brandit Group delineado para o período 2020-2025, estando previstas mais aquisições na área do futebol profissional”, adianta a empresa de Barcelos.

Criada em 2006 por António Martins e Pedro Araújo, a Brandit é reconhecida mundialmente pelas aplicações que desenvolveu, como o ‘Mourinho Tactical Board’, E-Liga e o ‘Scouting System Pro’, que é usado por clubes como o Lille, Sampdoria, Celta de Vigo, Bordeaux, Nottingham Forest, Rio Ave FC ou SC Braga.

A empresa já criou sites de estrelas do futebol como Cristiano Ronaldo ou Radamel Falcão.

O CEO da Brandit, Pedro Araújo, considera que este investimento na plataforma Soccer Hub é uma ação crucial, especialmente no contexto pandémico em que vivemos.

“Como foi possível verificar, com o confinamento obrigatório devido à covid-19, a utilização de plataformas educativas online especializadas cresceu exponencialmente em todo o mundo, e sendo a Brandit uma das empresas mais ativas no setor desportivo, com particular ênfase no futebol, este investimento faz para nós todo o sentido”, afirma, citado no comunicado.

Por seu turno, Ricardo Balbeira, CEO e fundador da Soccer Hub, com sede no Porto, declara que “o crescimento exponencial” da empresa “deverá ser suportado por pilares sólidos assentes em recursos humanos altamente qualificados e profissionais de excelência”.

“É com muita satisfação que anunciamos que a Brandit integrará a Soccer HUB, assegurando assim que toda a sua experiência é transferida e incorporada neste projeto”, conclui o responsável, também citado no comunicado.

Fundada em 2017, a Soccer Hub agrega cursos de formação das mais variadas temáticas relacionadas com o futebol, artigos e entrevistas com profissionais do futebol a nível mundial, apresentando-se como “uma plataforma voltada para a educação desportiva ao mais alto nível”.

Continuar a ler

Populares