Seguir o O MINHO

Braga

Câmara de Braga quer Governo a financiar resolução do nó de Infias

Nó de Infias

em

Foto: CM Braga / Divulgação

A Câmara de Braga quer que seja o Estado Central a financiar as obras no Nó de Infias, um “cancro no trânsito” da cidade, sendo que está garantido o apoio da Infraestruturas de Portugal (IP) na elaboração do projeto.

Em declarações à Lusa, depois de uma reunião com o ministro das Infraestruturas, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, referiu que o acordo com a IP avançará “nos próximos dias”.

Segundo o autarca, a solução para aquele que é um dos locais mais complicados no trânsito na cidade deve ser sustentada pelo Governo e rondará os cinco milhões de euros.

“O que nós pretendemos é que seja ilegível em sede do Estado central porque se trata de um problema que não diz respeito apenas à câmara de Braga porque boa parte do trânsito em causado é pela nacional”, disse o autarca.

No imediato, apontou Rio, “as intervenções iniciais serão feitas pela autarquia e são questões mais paliativas, como a pavimentação, sinalização” e, disse, “nem sequer está em discussão nenhuma verba porque são autorizações administrativas”

Já o “segundo passo, a elaboração de um projeto de execução”, o custo ronda os 200 a 300 mil euros, sendo que a autarquia “está a contar a partilha com a IP”.

“Nos próximos dias estaremos a fechar quer a autorização para estas intervenções imediatas quer o acordo com a IP”, apontou Ricardo Rio.

Conflui naquele nó a Variante à EN 101-201, que estabelece a ligação dos concelhos de Vila Verde e Amares a Braga, e a Avenida António Macedo (EN 14), na qual converge todo o tráfego proveniente da Variante à EN 14 e das autoestradas A11 e A3.

Segundo o diagnóstico apresentado pela autarquia, em abril, a EN 101-201 registou, em 2016, volumes de tráfego médio diário de cerca de 40.000 veículos por dia, sendo que na Avenida António Macedo o valor corresponde a cerca de 88.000 veículos/dia.

Na via de ligação da rotunda de Infias ao nó de Infias, registou-se, em 2018, um tráfego médio de 20.000 veículos/dia.

Braga

Novo centro de saúde de Vieira do Minho já tem financiamento garantido

Obras públicas

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

O novo Centro de Saúde de Vieira do Minho já tem financiamento garantido com ajuda de fundos comunitários, anunciou aquela autarquia.

Em comunicado, a Câmara de Vieira do Minho dá nota da inclusão do financiamento na listagem apresentada sexta-feira pelo Programa Operacional Regional do NORTE 2020, que oficializa o aviso para a apresentação de candidaturas para a construção de infraestruturas na área da saúde.

A construção da Unidade de Saúde de Vieira do Minho é uma das infraestruturas contempladas, um investimento elegível de 1.165.000,00 euros sendo a comparticipação do FEDER de 990.250,00 euros.

“O Município de Vieira do Minho congratula-se com esta inclusão na listagem hoje apresentada e recorda todo o esforço envolvido para que este se tornasse realidade”, refere a nota de imprensa, acrescentando que a autarquia está “totalmente disponível, para em colaboração com a ARS Norte, encetar todas as diligências necessárias para a concretização desta infraestrutura tão desejada pelos vieirenses”.

Continuar a ler

Braga

Não são bem aulas, mas colégio em Braga vai continuar em “sessões online” com os alunos

Confinamento

Foto: Divulgação / CLIB

O Colégio Luso Internacional de Braga (CLIB), fechou as salas de aula ao ensino presencial, na sequência da diretiva governamental para o encerramento das escola, mas os alunos continuaram, desde a manhã de sexta, em “livre contacto” com os seus professores para aprendizagem online.

“Enquanto escola internacional, o CLIB tem um calendário internacional para cumprir baseado no momento dos exames e as aprendizagens dos seus alunos não vão ser comprometidas”, afirma Helena Pina Vaz, diretora do colégio, em comunicado enviado às redações.

“Repudiamos a solução encontrada [fecho tardio das escolas] que, se não fosse absurda, primava por ser original”, diz a diretora.

Helena Pina Vaz diz que o colégio não alinha “em desvarios” nem irá “controlar o que os alunos farão em sessões online com os seus professores”.

“Desejamos que sejam muito produtivas academicamente, assim como bem potenciadoras de crescimento pessoal, pelo bom equilíbrio dos alunos neste momento tão difícil das suas jovens vidas”, vinca.

“Não entendemos como pode o Governo entender proibir o ensino online, dado que estas medidas são para proteção da saúde pública e aulas online não a põe em risco. Como pode alguém ter a veleidade de pretender controlar quem está de férias, ou em final de dia, ou no fim de semana e pretende aprender e alguém que está generosamente disposto para ajudar a fazer acontecer a aprendizagem?”, questiona.

A direção do CLIB afirma o seu espanto com as declarações do ministro Tiago Brandão Rodrigues quando disse que “esta interrupção letiva é para todos” e considera inaceitável a sua sugestão de que o ensino privado está a “espreitar sempre a exceção, o que tem causado tantos problemas em termos sociais”.

“É inconstitucional impedir de ensinar e impedir de aprender, contraria um direito fundamental”, defende Helena Pina Vaz, acrescentando que “os professores estão todos mais do que aptos, no público e no privado, para aulas online e, por isso, hoje, também se poderiam ter adaptado todos”.

Continuar a ler

Braga

12.279 pessoas já recuperaram da covid no concelho de Braga. Há 169 óbitos e 1.720 ativos

Covid-19

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O concelho de Braga registou 219 novos casos de covid-19 entre quinta e sexta-feira. Desde o início da pandemia soma 14.168 infeções.

Casos ativos são atualmente 1.720, mais 20 dos registados na quinta-feira.

Estes números foram apurados por O MINHO junto de fonte local da saúde e atualizados às 18:00 de sexta-feira.

O número de óbitos subiu para os 169, havendo registo de mais um nas últimas 24 horas.

Há ainda um total de 12.279 recuperados, mais 408 desde quinta-feira.

Há 1.837 pessoas em vigilância ativa.

Continuar a ler

Populares