Seguir o O MINHO

Braga

Braga encerra espaços municipais durante as próximas semanas

Covid-19

em

Foto: O MINHO / Arquivo

Os espaços municipais da autarquia de Braga vão ser encerrados ao público, seguindo as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) e a implementação do Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença provocada pelo Covid-19, anunciou hoje aquela câmara.


Em comunicado enviado à Lusa, a autarquia de Braga explica ainda que a 53º edição da Agro- Feira Internacional de Agricultura, Pecuária e Alimentação, que teria lugar de 25 a 28 de março de 2020, será adiada.

“Apesar de dispor de um plano de contingência que cumpre todas as recomendações da DGS, a InvestBraga fez tudo ao seu alcance para assegurar as condições necessárias à realização do evento, com o objetivo de manter a qualidade do mesmo. Contudo, e perante os últimos desenvolvimentos, não resta outra opção que não a de adiar a AGRO e lamentar o incómodo causado a expositores e visitantes”, explica a autarquia.

Além do cancelamento da feira, até ao dia cinco de abril o Museu da Imagem, a Casa dos Crivos, a Torre de Menagem, a Fonte do Ídolo, o Theatro Circo, o gnration, as Termas da Cividade e a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva vão ser encerradas.

No plano desportivo, fica restrito o acesso às piscinas municipais a atletas de competição e quanto às atividades lúdico-pedagógicas da Quinta Pedagógica de Braga estão suspensas por tempo indeterminado.

“Por forma a reduzir o contacto entre cidadãos, o acesso ao interior dos edifícios municipais está restrito a colaboradores da autarquia. O Município de Braga recomenda que se evitem as deslocações ao Balcão Único, privilegiando sempre que possível o contacto telefónico (253 61 60 60), o correio eletrónico ([email protected]) e as diversas plataformas digitais do município”, lê-se ainda no texto.

Esta tarde também a Arquidiocese de Braga anunciou o cancelamento das procissões da Semana Santa assim como alterações ao programa, incluindo a restrição do acesso dos fieis a celebrações litúrgicas.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.000 mortos, havendo mais de 114 mil infetadas em mais de uma centena de países.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se o caso mais grave de epidemia fora da China, com 463 mortos e mais de 9.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5.000 pessoas.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do País, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

 

Notícia atualizada às 18h49.

Anúncio

Braga

Presidente da Câmara de Braga associa-se à campanha ‘Vacina para Todos’

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, é uma das mais de cem personalidades portuguesas que se associaram à campanha ‘Vacina para Todos’, que defende o acesso universal e gratuito à vacina da covid-19, anunciou hoje a autarquia.

Os signatários consideram estas vacinas como um “bem comum global”, devendo ser “livres de qualquer direito de patente pertencente a qualquer pessoa”.

Para Ricardo Rio, citado em nota de imprensa, é fundamental garantir um acesso universal à futura vacina, independentemente da nacionalidade ou capacidade económica: “A covid-19 e os seus efeitos são mais significativos na população mais carenciada, pelo que se torna imperativo assegurar a vacinação a todos”.

O autarca sublinha que esta “é a única forma de combater eficazmente a pandemia” e esta campanha não pretende impor a vacinação, mas “garantir o acesso a todas as pessoas que se queiram vacinar”.

Lançada em Portugal pela Academia de Líderes Ubuntu, um projecto do Instituto Padre António Vieira, a campanha associa-se à iniciativa “Declare covid-19 vaccine a global common good” do Prémio Nobel da Paz Mohammad Yunus,

António Ramalho Eanes, Joana Marques Vidal, Bagão Félix, D. Manuel Clemente, D. José Tolentino de Mendonça, Marçal Grilo, Isabel Alçada, Isabel Jonet, Silva Peneda, Lídia Jorge, Luís Represas, Laborinho Lúcio, Margarida Balseiro Lopes, Nuno Lobo Antunes, Morais Sarmento, Pedro Norton de Matos e Pedro Roseta são algumas das 118 personalidades portuguesas, das mais diversas áreas, que se associaram a esta iniciativa.

A campanha ‘Vacina para Todos’ defende a criação de um mecanismo que determine o “retorno justo dos investimentos em pesquisa para a descoberta de uma vacina covid-19”.

Por outro lado, consideram os signatários, “os resultados da investigação devem ser do domínio público, disponibilizando-os a qualquer unidade de produção que se comprometa a operar sob rigorosa supervisão regulamentar internacional e somente para essas unidades”.

Continuar a ler

Braga

Bombeiros Sapadores de Braga têm nova ambulância

Os Bombeiros Sapadores de Braga têm uma nova ambulância de serviço INEM. “Com esta aquisição o Município de Braga cumpre pela primeira vez o protocolo de ter duas ambulâncias ao seu serviço do INEM e ao mesmo tempo ter duas ambulâncias próprias de serviço de emergência”, sublinhou o vereador da Proteção Civil e Bombeiros Municipais, Altino Bessa. Foto: Altino Bessa / Facebook

em

Os Bombeiros Sapadores de Braga têm uma nova ambulância de serviço INEM. “Com esta aquisição o Município de Braga cumpre pela primeira vez o protocolo de ter duas ambulâncias ao seu serviço do INEM e ao mesmo tempo ter duas ambulâncias próprias de serviço de emergência”, sublinhou o vereador da Proteção Civil e Bombeiros Municipais, Altino Bessa.

Continuar a ler

Braga

Musicólogo espanhol premiado em Braga por estudo da cultura jacobina

Carlos Villanueva Abelairas

em

Foto: DR / Arquivo

O musicólogo espanhol Carlos Villanueva Abelairas recebe na segunda-feira o XXIV Prémio Internacional Grupo Compostela-Xunta de Galicia, pela sua carreira no estudo da cultura jacobina e da música ligada ao Caminho de Santiago, foi hoje anunciado.

O prémio será entregue durante a assembleia-geral do Grupo Compostela de Universidades (GCU), que vai decorrer na reitoria da Universidade do Minho (UMinho), em Braga.

Em comunicado, a UMinho refere que o prémio destaca ainda a contribuição de Carlos Villanueva Abelairas para o projeto de construção dos instrumentos do Pórtico de la Gloria, da catedral de Santiago de Compostela.

O galardão, que já entregue ao arquiteto Siza Vieira em 2002 e, em 2010, ao Nobel da Paz Mohamed ElBaradei, é concedido a personalidades ou entidades que se distinguem pelo seu trabalho na divulgação de projetos internacionais, especialmente relacionados com a promoção de uma educação europeia comum e de preservação do património cultural.

É composto por uma medalha de ouro comemorativa em forma de concha – imagem do Grupo Compostela, inspirada na simbologia da peregrinação a Santiago de Compostela – e por 6.000 euros.

Carlos Villanueva Abelairas nasceu em 1949 em Melilla e aos quatro anos de idade a sua família mudou-se para Lugo, na Galiza.

Em 1975, licenciou-se em História pela Universidade de Santiago de Compostela, onde é professor desde 1989 e catedrático a partir de 2000.

Foi ainda professor convidado nas universidades da Pensilvânia, Oviedo e Granada.

As suas principais linhas de investigação centram-se na interpretação de música antiga e instrumentos medievais e, posteriormente, na crítica musical, música espanhola e latino-americana do século XX, música e exilados, bem como música e identidades.

Continuar a ler

Populares