Câmara constrói edifício de apoio à urgência do hospital de Famalicão

Covid-19
Foto: Divulgação / CM Famalicão

A Câmara de Famalicão vai construir um edifício de apoio ao serviço de urgência do hospital local num investimento de 150 mil euros, anunciou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara de Famalicão adianta que o edifício fica concluído no início da próxima semana e entrará em funcionamento muito em breve.

A infraestrutura tem como objetivo apoiar o hospital no combate à pandemia da covid 19, centralizando o tratamento e avaliação de doentes respiratórios, assegurando uma separação física completa do restante serviço de urgência médico-cirúrgica, aumentando assim a segurança de doentes e profissionais.

“Trata-se de um esforço financeiro, que a Câmara Municipal faz em prol da saúde dos famalicenses, e que surge no âmbito da colaboração institucional que mantemos com o Hospital”, refere o presidente da autarquia, Paulo Cunha, citado em comunicado, salientando que “a saúde e a segurança dos famalicenses são a nossa prioridade”.

“A construção do equipamento surge assim como uma resposta ao diagnóstico de necessidades gerado no seio da proteção civil municipal que reúne a rede de instituições de saúde, socorro e segurança do concelho, muito concretamente, às necessidades elencadas pelo hospital de Famalicão”, acrescentou.

Este equipamento visa criar condições para que o hospital desenvolva as respostas médicas aos doentes covid-19, sem comprometer o indispensável atendimento a todos os outros pacientes. “A divisão da urgência nestas duas áreas permite uma maior segurança e eficiência no tratamento de todos os doentes”, refere o comunicado.

O edifício, com uma área aproximada de 400 metros quadrados, irá assegurar o tratamento de doentes respiratórios adultos e pediátricos em espaços distintos, com capacidade para mais ou menos 35 pessoas, sendo constituído por sala de emergência, sala de imagiologia e sala de enfermagem.

A área pediátrica é composta por dois consultórios médicos, instalação sanitária, dez lugares para doentes apeados, três doentes em maca e uma sala de tratamento. Por sua vez, a área de adultos será composta por dois consultórios médicos, instalação sanitária, doze lugares para doentes apeados e oito para doentes em maca.

A área reservada a profissionais garante um acesso independente do exterior, dois balneários com instalação sanitária, espaço dedicado para troca de equipamento de proteção individual e uma copa.

Todo o espaço é servido por duas salas de sujos assegurando o apoio ao equipamento de higienização e evacuação de resíduos.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Braga discute liderança com Leicester

Próximo Artigo

Incêndio destrói casa devoluta em Vizela

Artigos Relacionados
x