Seguir o O MINHO

Barcelos

Câmara compra peças no valor de 800 euros a cada artesão de Barcelos para apoiar setor

Covid-19

em

Foto: CM Barcelos

A Câmara de Barcelos aprovou um apoio financeiro aos artesãos do concelho que, devido à pandemia ficaram sem possibilidade de vender os seus produtos, anunciou a autarquia, justificando que, apesar dos apoios previstos pelo governo para as micro e pequenas empresas, muitas das unidade artesanais do concelho não reúnem condições para acederem a estes apoios.

Nesse sentido, o município irá adquirir peças “a cada artesão/unidade artesanal, no valor de 800 euros, que viva exclusivamente dos rendimentos do artesanato, de que devem fazer prova”, explica a Câmara.

Para aceder a este apoio, os artesãos têm, também, de ter morada fiscal no concelho de Barcelos, comprovar o exercício da atividade, estar registados na Unidade de Turismo e Artesanato do Município ou no Registo Nacional do Artesanato e que se encontrem a laborar há pelo menos um ano.

“Sendo o artesanato um fator diferenciador e elemento de atratividade nacional e internacional do concelho de Barcelos, torna-se necessário manter a sustentabilidade da comunidade artesanal, desde logo entre os artesãos que não possuem outra fonte de rendimentos”, realça a autarquia, acrescentando que, assim, “canaliza para os artesãos as verbas que teria de suportar com a participação em ações de promoção e dinamização do artesanato” previstas.

Ainda no âmbito dos apoios às instituições que estão a elaborar respostas à pandemia no concelho de Barcelos, a Câmara ratificou o pagamento de comparticipações financeiras a instituições particulares de solidariedade social e bombeiros, no valor global de 14 mil euros relativas a despesas com a aquisição de equipamentos de proteção individual, encargos com desinfeções, produtos de desinfeções e testes de rastreio.

Por fim, refere ainda a nota de imprensa, o executivo municipal aprovou uma comparticipação financeira no valor de mil euros ao Centro Social Abel Varzim, destinada a custear despesas no âmbito do combate à pandemia na comunidade de etnia cigana residente na freguesia de Barqueiros.

Anúncio

Barcelos

Homem atingido por árvore em Barcelos

Em Fornelos

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Um homem, na casa dos 30 anos, sofreu ferimentos na sequência da queda de uma árvore que cortava, em Fornelos, concelho de Barcelos, disse a O MINHO fonte dos Bombeiros de Barcelinhos.

De acordo com o CDOS, a vítima terá sofrido um acidente de trabalho no Monte da Consolação, ficando com ferimentos ligeiros numa das pernas.

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

Foto: Vítor Vasconcelos / O MINHO

No local estiveram os Bombeiros de Barcelinhos com uma ambulância e uma viatura equipada para resgate, dado se tratar de terreno acidentado.

A VMER foi ativada mas acabou por não ser necessária a intervenção.

O alerta foi dado às 17:16.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Barcelos

Restaurante de Barcelos com cartazes a proibir entrada de chineses e comunistas

Xenofobia

Foto: DR

Mariana Zhu não queria acreditar quando, na sexta-feira, a irmã lhe mostrou o que estava afixado à janela de um restaurante, do lado de dentro, na cidade de Barcelos. Duas folhas a indicar a proibição de entrada, uma com a bandeira chinesa, outra com o símbolo do Partido Comunista.

Nascida em Barcelos de pais chineses, Mariana, de 17 anos, publicou as imagens na rede social Twitter, e já conta com mais de 1.200 ‘favourites’ em poucas horas, levantando uma onda de indignação e acusações de racismo a Richard Spickman, gerente do Ristorante Divinal.

A jovem explicou a O MINHO que esta situação causou “muita revolta” em casa e que o racismo existe em Barcelos e deve ser denunciado. Mariana conta que desde criança que sofreu preconceitos: “No jardim de infância os colegas chamavam-me nomes, a mim e a uma prima, chamavam ‘chinoca’ e puxavam os olhos para trás a fazer troça dos nossos”.

“Infelizmente, continua até agora, são sempre ‘piadas’ e ‘brincadeiras’, mas na verdade é muito mais do que isso, as coisas que são ditas podem destruir completamente uma pessoa”, sublinhou Mariana ao nosso jornal.

A jovem nunca esqueceu outras situações de discriminação, como quando lhe foi vedado o acesso a um baloiço de um parque de uma freguesia enquanto que a colega que ia ao lado não viu qualquer restrição.

“À medida que fui crescendo, aprendi a lidar melhor com a situação, contudo, em tempos de crise, o ódio é notável, e com a covid-19 a xenofobia tem, sem dúvida alguma, aumentado, como se eu tivesse culpa do que aconteceu”, acrescentou. Mariana finaliza a entrevista a referir que “somos todos iguais e ninguém é melhor que ninguém”.

O MINHO falou por duas vezes com responsáveis do restaurante, mas nunca com o proprietário, Richard Spickman, conhecido por, em 2013, ter-se barricado naquele mesmo espaço de restauração, levando à intervenção das forças policiais.

De acordo com a gerente, que pediu para não ser identificada, a situação “é desconhecida”, mas os “papéis já lá não estão”. “Não sei de nada, os papéis podem ter sido colados por fora, mas não sei mesmo do que está a falar”, disse.

Questionada por O MINHO, a gerente afirmou que “todas as pessoas são bem-vindas” e que não existe nenhuma ordem para “não deixar entrar chineses”. “Nós queremos é o máximo possível de clientes”, sustentou a gerente do restaurante que se encontra a funcionar em regime de ‘delivery’ e ‘take away’.

No entanto, várias testemunhas confirmaram ao nosso jornal a colocação dos panfletos com teor xenófobo no lado interior das janelas daquele restaurante italiano, e que os mesmos lá ficaram durante várias horas.

É também conhecida a posição do proprietário em termos políticos, havendo já partilhado na sua conta pessoal da rede social Facebook artigos de ‘ataque’ à esquerda política.

O proprietário mostrou-se indisponível para comentar a situação.

Continuar a ler

Barcelos

Barcelos mantém feira e mercado apenas com produtos alimentares

Estado de emergência

Foto: Divulgação / CM Barcelos

A Câmara de Barcelos encerra ao público, a partir do dia 15 de janeiro, um conjunto de equipamentos e serviços como forma de prevenção do covid-19 no âmbito do estado de emergência. A autarquia decidiu manter a feira semanal e o mercado em funcionamento, embora só para produtos alimentares.

A lista de espaços encerrados e serviços suspensos é a seguinte:
– Encerramento do Complexo das Piscinas Municipais e dos Pavilhões Municipais de Barcelos (com exceção do acesso ao equipamento por atletas de competição para efeitos de cumprimentos de plano de treino);
– Encerramento dos museus e equipamentos culturais da responsabilidade municipal;
– Suspensão dos programas desportivos e culturais municipais;
– Cancelamento de atividades promovidas por terceiros em espaços públicos municipais;
– Encerramento de todos os equipamentos de turismo (Posto de Turismo e Torre Medieval);
– Encerramento da Biblioteca Municipal;
– Encerramento do Arquivo Municipal;
– Encerramento da Casa da Juventude;
– Cancelamento da Agenda do Theatro Gil Vicente (ver nota em baixo);
– Encerramento da Galeria Municipal e da Casa da Azenha;
– Encerramento do Albergue Municipal da Casa da Recoleta;
– Encerramento de parques de diversões e parques recreastivos e similares para crianças;
– Auditórios;
– Encerramento de todos os balcões de atendimento municipais, com exceção do Balcão Único;
– O acesso ao interior dos edifícios municipais está restrito aos trabalhadores da autarquia, de forma a reduzir o contacto entre cidadãos.

A Feira Semanal e o Mercado Municipal manter-se-ão abertos exclusivamente para a venda de produtos alimentares.

O Cemitério Municipal encontrar-se-á aberto de segunda a sábado, das 08:00 às 17:00, e aos domingos e feriados das 09:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00.

A Barcelos Sénior também encerrou as suas atividades.

Estas medidas estão sujeitas a uma avaliação permanente, em consonância com o desenrolar da situação e mediante as orientações emanadas pela Direção Geral de Saúde e pelo Governo de Portugal.

Os serviços municipais mantêm-se em funcionamento, pelo que qualquer contacto deverá ser feito através do telefone (253 809 600) ou email ([email protected]).

Theatro Gil Vicente encerrado

Todos os espetáculos agendados, entre 15 e 30 de janeiro, do Theatro Gil Vicente foram cancelados. Serão reagendados em concordância com artistas, bandas e companhias, sendo as novas datas divulgadas oportunamente.

Os bilhetes já adquiridos serão válidos para a nova sessão.

No caso de reembolso ou troca, para os bilhetes adquiridos nos pontos de venda externos deverá a devolução ser requisitada no local onde estes foram adquiridos; para os bilhetes adquiridos na BOL Online deverá a devolução ser requisitada diretamente à BOL; para os bilhetes adquiridos na bilheteira do Theatro Gil Vicente deverá o pedido de devolução efetuar-se preferencialmente através de e-mail([email protected]), ou na bilheteira do Theatro Gil Vicente, a partir da data de reabertura ao público.

Continuar a ler

Populares