Seguir o O MINHO

Arcos de Valdevez

Cabeça e pele de javali pendurados no portão de casa em Arcos de Valdevez

GNR esteve no local

em

Foto: Facebook de Julio Pintor

Partes do corpo de um javali ensanguentado foram deixadas no portão de uma habitação na freguesia de Couto, Arcos de Valdevez, durante a noite desta segunda-feira. O morador encontrou a pele e a cabeça do animal pendurados e divulgou o caso na rede social Facebook.


“Obrigado aos meus amigos que me deixaram este presente na minha casa. Agora segue a investigação da autoridade”, publicou o homem que se identifica no Facebook como Julio Pintor.

Para já, não foi apresentada qualquer queixa. Uma patrulha da GNR esteve no local e verificou tratar-se de “pele e cabeça” do javali, segundo avança o Jornal de Notícias.

No entanto, Julio Pintor não indicou razões ou suspeitas, e a GNR apenas registou a ocorrência, ficando a aguardar queixa.

Anúncio

Alto Minho

Acidente com trator faz um ferido grave em Arcos de Valdevez

Ocorrência

em

Foto: Bombeiros de Arcos de Valdevez

Um homem de 50 anos sofreu ferimentos considerados graves na sequência de um acidente com trator, na manhã desta quarta-feira, em Arcos de Valdevez.

A vítima ficou com o braço esquerdo preso debaixo do trator e os Bombeiros de Arcos de Valdevez tiveram que fazer manobras de desencarceramento.

O acidente deu-se no lugar da Bugalhosa, freguesia de Miranda, quando o homem, que tinha estado a fazer trabalhos no monte, perdeu o controlo do veículo no caminho de acesso à estrada municipal, o qual tem muita inclinação, tendo o trator capotado.

“Ficou preso debaixo do trator com um braço. Foi uma operação muito delicada, mas conseguimos levar o socorro a bom porto e a vítima já está neste momento a ser estabilizada”, explicou a O MINHO o comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães.

O alerta para o sinistro foi dado às 8:37.

O socorro contou com o apoio da VMER de Viana do Castelo e da SIV de Arcos de Valdevez.

Os Bombeiros de Arcos de Valdevez estiveram no local com nove operacionais apoiados por três viaturas.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Alto Minho

Arcos de Valdevez: Ameaçava divulgar vídeo sexual para extorquir dinheiro à namorada

Suspeito detido

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um homem de 31 anos, da Maia, foi constituído arguido pelos crimes de violência doméstica, ameaças e extorsão à namorada, de 26 anos, de Arcos de Valdevez, informou hoje a GNR.

Contactada por O MINHO, fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo adiantou que a investigação do caso foi iniciada há dois meses, inicialmente por suspeita da prática de crimes de violência doméstica.

No decurso da operação, os militares da GNR detetaram a prática dos crimes de ameaças e extorsão alegadamente praticados pelo suspeito sobre a vítima, que apresentou queixa no posto daquela força policial em Arcos de Valdevez.

O homem e a mulher “mantiveram uma relação análoga à dos cônjuges, na qual existiram insultos e ameaças”, refere a GNR em comunicado hoje enviado às redações.

Na nota, aquela força policial explicou que, “durante um encontro íntimo e sem o consentimento da mulher, o homem efetuou gravações ilícitas dos atos sexuais, que depois utilizou para extorquir quantias de dinheiro”.

“O homem ameaçava divulgar o vídeo caso a vítima não lhe comprasse roupas e acessórios e não lhe desse as quantias de dinheiro que lhe pedia”, acrescenta.

No decurso da investigação, os militares deram cumprimento a dois mandados de busca, um à residência do suspeito e outro ao seu veículo, tendo sido apreendidos três telemóveis, um computador e 260 euros.

O homem foi constituído arguido e os factos remetidos para o Tribunal Judicial de Arcos de Valdevez.

A ação contou com o reforço do posto territorial de São Julião e Freixo, bem como com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP) da Maia.

Continuar a ler

Alto Minho

Casas de turismo rural em Arcos de Valdevez já estão lotadas até setembro

Covid-19

em

Foto: DR

O afastamento de grandes aglomerações, a tranquilidade e o contacto com a natureza fizeram disparar, nesta fase de desconfinamento, a procura pelas casas de turismo rural em Arcos de Valdevez.

De acordo com reportagem da RTP, as reservas já estão esgotadas até setembro e os proprietários nunca registaram tão grande aumento da procura, exclusivamente por portugueses.

“É uma procura imensa”, salienta à RTP Rui Leal, proprietários de seis casas de turismo rural.

Antes, este tipo de habitação era muito procurado por estrangeiros, mas, este ano, segundo outro proprietário, João Serôdio, também em declarações à RTP, “é 100% português”, o que “não era habitual”.

A freguesia de Sistelo é das mais procuradas. Sandra Santos, proprietária, considera que a vitória no concurso 7 Maravilhas de Portugal, em 2017, fez com que as pessoas procurassem mais aquela aldeia que, nesta altura, se afirma como o recanto ideal “para descomprimir da prisão destes meses” de pandemia.

Segundo a RTP, o município de Arcos de Valdevez afirma que a procura de alojamento no concelho aumentou mais de 600%.

Continuar a ler

Populares