Seguir o O MINHO

Desporto

Brasil vai enviar 80% da equipa olímpica para treinar em Portugal

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O Brasil vai enviará 80% dos participantes nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020 às cidades de Lisboa, Cascais e Rio Maior, para que os seus atletas, impedidos de treinar em virtude da pandemia covid-19, recuperem física e mentalmente.


O diretor do Comité Olímpico Brasileiro (COB), Jorge Bichara, detalhou à EFE o plano que permitirá que pelo menos 200 atletas já qualificados ou com possibilidades de qualificação treinem em Portugal antes de disputar os Jogos de Tóquio, adiados para 2021 devido à pandemia.

O primeiro contingente de atletas brasileiros para Portugal partirá em julho e contará com membros das equipas de judo, natação e vela.

“Nós já temos uma tradição de realizar treinamentos de campo em Portugal e já ocupámos alguns de seus principais centros de treino”, disse Bichara, lembrando que o COB escolheu Portugal como base de preparação para os Jogos Olímpicos de Paris em 2024.

O dirigente destacou que já estão sendo organizadas as partidas de atletas, frisando que “serão vários voos, de pequenos grupos, dependendo da disponibilidade de lugares”.

O judo, com 22 medalhas, a vela (18) e a natação (14) são precisamente – juntamente com o atletismo (17) – as modalidades que deram mais medalhas olímpicas ao Brasil em toda a história dos Jogos.

Em um segundo momento, as equipas de pugilismo e atletismo serão enviadas para Portugal e, finalmente, as equipas de desportos coletivos.

Entre os últimos a treinar em Portugal, provavelmente entre setembro e dezembro, estão a equipa feminina de râguebi, já apurada para Tóquio, e as equipas feminina e masculina de andebol.

O plano do Governo brasileiro prevê o embarque inicial de 200 atletas, embora esse número possa aumentar.

“É o número com o qual estamos trabalhando. No momento, temos 177 vagas conquistadas, mas ainda há muitas vagas em disputa e isso permite-nos aumentar a equipa em 40%”, afirmou o diretor do COB.

Bichara explicou que Portugal foi escolhido entre outras razões, porque é um dos países que superou a pandemia mais rapidamente.

O plano custará cerca de 16 milhões de reais (cerca de 2,6 milhões de euros), incluindo passagens aéreas, alojamento e alimentação.

Bichara também afirmou estar atento às decisões das autoridades europeias e do próprio Governo português em relação à abertura das fronteiras para estrangeiros ante a possibilidade de bloqueios. O Brasil é o segundo país com mais mortes e mais casos de covid-19 no mundo.

O dirigente disse acreditar que a entrada de atletas brasileiros pode ser tratada de maneira diferente devido ao compromisso do COB em testá-los três dias antes do embarque e desembarque.

“Quando eles chegarem a Portugal, terão que respeitar um período de quarentena no hotel, enquanto aguardam os resultados dos exames, conforme concordámos”, afirmou Bichara.

“No momento, temos de ficar calmos e esperar. Só mais tarde, se tivermos algum impedimento, exploraremos outras alternativas. O objetivo do plano é a recuperação física dos atletas, mas também uma recuperação emocional, para que eles possam se sentir em pé de igualdade com seus principais competidores”, concluiu.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 454 mil mortos e infetou mais de 8,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Anúncio

Futebol

OMS diz que é “irrealista” ter eventos desportivos com grandes multidões

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou hoje de “irrealista” a possibilidade de realização de eventos desportivos com grandes multidões em países mais atingidos pela pandemia de covid-19.

O diretor de emergências do organismo, Michael Ryan, considerou que, a acontecer, poderia ser “desastroso”: “É muito pouco realista pensar que em países com transmissão local veremos grandes encontros, como este ano”.

De acordo com Michael Ryan, “não é possível prever o regresso de 40.000, 50.000 ou 60.000 pessoas” a um recinto de jogos, sublinhando que “o risco não é apenas de estar no estádio, mas também nas deslocações em transportes públicos”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 701 mil mortos e infetou mais de 18,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.740 pessoas das 51.848 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Continuar a ler

Futebol

Benfica regressa com exames médicos no sábado e já treina na segunda-feira

Futebol

em

Foto: Twitter / Benfica

A equipa de futebol do Benfica regressa ao trabalho para a época 2020/21 no sábado, uma semana depois de terminar a anterior época, com a derrota na final da Taça de Portugal, confirmou hoje o clube da Luz.

Na ‘newsletter’ diária, é confirmado que o plantel ‘encarnado’ realizará exames médicos no sábado, testes físicos no domingo e que os treinos arrancam na segunda-feira, já às ordens do treinador Jorge Jesus, oficializado por dois anos há dois dias.

A necessidade de iniciar trabalho mais cedo surge em resultado do segundo lugar na I Liga, com o Benfica a ter de disputar a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, no que será o primeiro jogo da época, em 15 ou 16 de setembro.

Desta vez, e face às restrições de calendário impostas pela covid-19, a terceira pré-eliminatória será a um único jogo e o sorteio acontecerá em 31 de agosto, um dia antes do sorteio do ‘play-off’.

Caso ultrapasse a terceira ronda preliminar, o Benfica chegará então ao ‘play-off’, já a duas mãos (15 ou 16 de setembro e 22 ou 23 de setembro), numa época em que já está definido que o início da I Liga será no fim de semana de 20 de setembro.

Os russos do Krasnodar, ‘carrascos’ na mesma fase do FC Porto em 2019/20, e os franceses do Rennes são dois dos possíveis adversários do Benfica na terceira pré-eliminatória.

Jorge Jesus regressa a um cargo que ocupou entre 2009/10 e 2014/15, período em que conquistou 10 títulos, nomeadamente, três campeonatos, uma Taça de Portugal, uma Supertaça e cinco edições da Taça da Liga.

Continuar a ler

Futebol

Wellington Luís abandona Gil Vicente

I Liga

em

Foto: DR

O guarda-redes brasileiro Wellington Luís abandonou o Gil Vicente, terminando uma ligação de duas temporadas à formação de Barcelos, confirmou hoje à Lusa fonte do clube que alinha na I Liga de futebol.

O guardião, de 25 anos, jogou duas vezes para a Taça da Liga e foi um dos quatro elementos que sobraram da estrutura de transição montada pelos minhotos em 2018/19, temporada em que competiram, sem contar para a classificação, no Campeonato de Portugal, antecedendo o regresso administrativo ao escalão principal, após o ‘caso Mateus’.

Com formação repartida entre os brasileiros do Internacional e do Novo Hamburgo, Wellington Luís assinou pelo Marítimo em 2014, evoluindo ao serviço da equipa B dos insulares, antes de transitar para o Salgueiros, há três anos.

Ainda sem reforços anunciados para 2020/21, os ‘galos’ já tinham confirmado o fim dos empréstimos do guarda-redes Bruno Diniz, do defesa Arthur Henrique, do médio Bozhidar Kraev e dos avançados Sandro Lima, Yves Baraye e Zakaria Naidji.

O Gil Vicente oficializou na segunda-feira Rui Almeida como sucessor de Vítor Oliveira, que conduziu os ‘galos’ a uma campanha tranquila na I Liga em 2019/20, culminada na 10.ª posição, com 43 pontos, 10 acima da zona de despromoção.

Continuar a ler

Populares