Seguir o O MINHO

Braga

Braga Romana arranca com mais de 200 atuações

Programação conta com novidades

em

Foto: DR/Arquivo

Arranca esta quarta-feira a 16.ª edição da Braga Romana, que decorre até ao domingo. O evento terá este ano 200 atuações, cinco palcos, 80 actividades pedagógicas, 139 mercadores, 90 entidades e 39 agentes artísticos.

Este ano, a Braga Romana apresenta-se com diversas novidades, desde logo com a relocalização do Acampamento Militar no Largo Paulo Orósio (frente aos Bombeiros Voluntários), e da área pedagógica no Largo de Santiago. Nesta edição, os principais espectáculos – Concílio dos Deuses, Casamento Romano e Funeral Romano – terão lugar no palco instalado no átrio do Museu D. Diogo de Sousa.

Foto: Divulgação

Foto: CM Braga

Foto: CM Braga

Foto: CM Braga

Segundo a organização, as alterações foram feitas por causa da necessidade de levar o evento para o local onde Bracara Augusta tinha a sua área delimitada pela muralha romana. Esta será também uma oportunidade para atrair mais visitantes a espaços como as Termas da Cidade, ao Largo de S. Paulo, Largo de Santiago e até ao Museu D. Diogo de Sousa.

Atenção, Braga. Condicionamentos no trânsito e estacionamento devido à Braga Romana

Também o mercado será distribuído pela rua Francisco Sanches, Largo de S. João do Souto, rua de S. João, Rua do Forno, Rua de Nossa Senhora do Leite, Rua Gonçalo Pereira. Já a Praça da Alimentação continua instalada nas Carvalheiras e no Largo de S. Paulo.

A 16.ª edição coloca à disposição do grande público oportunidades para um contacto mais efectivo com a memória da civilização romana no território bracarense, com a recriação do quotidiano romano nas suas mais diversas áreas. A Braga Romana dá ainda a oportunidade ao público para visitar museus e espaços arqueológicos que, nestes dias, se enchem de vida e novas experiências.

Veja a programação completa aqui.

Anúncio

Braga

Cruz Vermelha acolhe os 20 a 30 sem-abrigo que ainda dormem nas ruas de Braga

Câmara preparou pavilhão da escola de Nogueira

em

Foto: O MINHO

Processo deve arrancar esta quinta-feira. As 20 a 30 pessoas sem-abrigo que ainda permanecem nas ruas de Braga passam a ter um espaço de acolhimento, a partir de hoje.

Fonte da Cruz Vermelha de Braga disse a o MINHO que os sem-abrigo (que ainda pernoitam nas ruas da cidade) vão ser recebidos numa estrutura montada, propositadamente, pela Câmara, no pavilhão desportivo da Escola de Nogueira.

Estes cidadãos continuam na rua, em vãos de escada ou zonas de prédios com arcadas como sucede com os das redondezas das piscinas da Rodovia.

Para a abertura, a Segurança Social desbloqueou a verba necessária para pagar a uma empresa de segurança: “sem segurança não se pode abrir”, disse a mesma fonte.

Por outro lado, a Cruz Vermelha já deu formação específica a uma equipa que vai trabalhar com eles.

Foto: O MINHO

Estes cidadãos terão ali direito a cama e a comida, bem como apoio médico, social e psicológico.

No espaço, cuja montagem teve apoio da Câmara Municipal local e da Segurança Social e quem tem capacidade para 30 pessoas, haverá, ainda, locais para higiene pessoal, e uma estrutura para manutenção da segurança.

A Cruz Vermelha tem um outro espaço em funcionamento há vários anos, o Centro de Acolhimento Temporário de Nogueira onde estão, atualmente, 46 utentes em quarentena profilática devido ao aparecimento do Covid-19, num deles.

Continuar a ler

Braga

Vieira do Minho inicia testes de despistagem nos lares

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vieira do Minho

O município de Vieira do Minho iniciou hoje a realização de testes de diagnóstico da covid-19 aos idosos dos lares do concelho, anunciou a autarquia. Em comunicado, a autarquia revela que conseguiu adquirir 100 testes, “apesar da grande dificuldade”.

“Estes testes rápidos permitem a deteção de anticorpos IgG e IgM de sensibilidade de 92 por cento, devidamente registados no Infarmed”, explica a nota enviada à imprensa.

O primeiro lote de testes foi colocado à disposição da Santa Casa da Misericórdia, do Lar Padre António Pereira Lima, em Cantelães e do Lar do Divino Salvador, em Rossas.

“Nesta missão, que é de todos, o Município assume como prioridade zelar pelos mais idosos e seus cuidadores, no sentido de encararmos este período com o máximo de serenidade possível”, refere o mesmo documento.

Vieira do Minho regista, esta quarta-feira, 11 casos de infeção por covid-19, mais duas do que na véspera. Há ainda a lamentar dois óbitos no concelho, face à pandemia do vírus SARS CoV 2.

Continuar a ler

Braga

Vila Verde, a vila no Minho mais atingida pela pandemia, inicia testes de despistagem nos lares

Covid-19

em

Foto: Divulgação / CM Vila Verde

A Câmara de Vila Verde iniciou hoje a realização de testes serológicos para a deteção da infeção provocada pela covid-19, não homologados, aos funcionários dos lares de idosos de todo o concelho, anunciou a autarquia.

Em comunicado, a autarquia aponta que os testes foram realizados “nas várias instituições do concelho”, aos funcionários que “entraram neste dia em piquete e às equipas de trabalho nos turnos que se seguem”.

“Se se vier a revelar absolutamente necessária, a realização destes testes, financiada pela Câmarade Vila Verde, poderá ainda estender-se aos idosos”, diz a mesma nota.

Esta é uma forma da autarquia tentar evitar a entrada do vírus “em instituições que acolhem uma população de elevada idade e, por conseguinte, bastante mais vulnerável a uma doença desta natureza e com esta gravidade”.

Oficial: Média de infetados em Braga baixa nas últimas 24 horas. Há 1.154 infetados no Minho

O trabalho de recolha conta com a colaboração do Centro Social Vale do Homem e dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde.

A autarquia destaca ainda a compra de 16.000 pares de luvas, 6.600 máscaras cirúrgicas, 550 máscaras p2, 50 equipamentos/fatos de proteção individual e 560 litros de álcool e gel desinfetantes, “com os quais as instituições onde trabalham os profissionais de saúde e com pessoas numa situação de maior vulnerabilidade poderão proteger-se”.

António Vilela, presidente da Câmara, considera que “o trabalho de despistagem da covid-19 nos lares de idosos já deveria ter sido prioritariamente realizado por quem de direito” e que, como tal não sucedeu, “o Município de Vila Verde, não podendo ficar de braços cruzados à espera, decidiu avançar com esta medida da maior urgência para evitar que a pandemia chegue a instituições com uma população particularmente vulnerável e que tem que ser devidamente protegida e acarinhada”.

Vila Verde conta, esta quarta-feira, com 49 casos confirmados de covid-19 no concelho, mais um do que na véspera. É o sexto concelho do Minho mais atingido pela pandemia e o quinto do distrito de Braga, sendo a vila do Minho que mais casos tem.

Continuar a ler

Populares