Seguir o O MINHO

Braga

Braga partilha experiências sobre turismo sustentável e apoio aos sem-abrigo com outras cidades europeias

Projetos arrancam em Setembro

em

Foto: CM Braga

Braga integrou candidaturas vencedoras para participar em duas Redes de Planeamento de Acção URBACT, que irão começar em Setembro o seu funcionamento, e que estão integradas na estratégia de internacionalização do Município.

A rede “Tourism Friendly Cities” tem como objectivo explorar o modo como o turismo pode ser sustentável em cidades médias, reduzindo o seu impacto negativo sobre as áreas urbanas.

Para alcançar este objectivo ambicioso, o projecto irá criar estratégias integradas e inclusivas que podem manter um equilíbrio entre as necessidades das comunidades locais, em termos de qualidade de vida e de serviços disponíveis, e a promoção do desenvolvimento urbano sustentável a nível ambiental, social e económico.

Esta rede, que é liderada pela cidade italiana de Génova, inclui ainda Cáceres (Espanha), Veneza, (Itália), Utrecht (Holanda), Cracóvia (Polónia), Rovaniemi (Finlândia), Dubrovnik (Croácia), Dun Laoghaire-Rathdown (Irlanda) e Druskininkai (Lituânia).

A rede “Roof”, liderada pela cidade belga de Ghent, visa erradicar os sem-abrigo por meio de soluções inovadoras de habitação ao nível da cidade.

O Roof irá permitir a troca de conhecimento sobre como recolher dados precisos e fazer a mudança conceptual da gestão sintomática para a eliminação dos sem-abrigo, tendo como modelo de orientação os programas Housing First e Housing Led.

O Roof irá guiar as cidades parceiras no desenvolvimento de planos de acção locais integrados, vinculados ao objectivo estratégico de longo prazo do Functional Zero (inexistência de sem-abrigo).

Neste projecto participam ainda as cidades de Tessalónica (Grécia), Toulouse (França), Nápoles (Itália), Utrecht (Holanda), Timisoara (Roménia), Gotemburgo (Suécia) e Glasgow (Reino Unido).

O orçamento total para cada uma das redes será de cerca de 750.000 euros e nesta primeira fase da constituição será de cerca de 150.000 euros por rede para todas as cidades.

Ricardo Rio manifestou a sua satisfação por integrar estas duas novas redes: “Braga tem vindo a alargar a sua participação internacional precisamente para partilhar e aprender com as nossas congéneres europeias. Tivemos vários convites de cidades para participar nesta ronda de candidaturas URBACT, mas escolhemos estas duas pela importância e prestígio dos parceiros, mas também pelos temas envolvidos: o turismo sustentável e os apoios sociais aos mais desfavorecidos da nossa sociedade, os sem-abrigo”.

O Presidente da Câmara de Braga realçou ainda que estas redes URBACT são importantes pois “são projectos financiados e que nos permitem abrir horizontes, partilhando aquilo que vamos fazendo, mas também aprender com as melhores práticas que vão sendo feitas um pouco por toda a Europa. É evidente que estar numa rede sobre turismo sustentável com cidades como Veneza, Dubrovnik ou Cracóvia e numa rede na área apoio aos sem-abrigo com cidades como Ghent, Glasgow ou Gotemburgo, é muito enriquecedor para o município e irá obviamente trazer vantagens para Braga, até pelo nível de desenvolvimento que estas cidades têm nestas matérias”, destacou.

Anúncio

Braga

PJ investiga morte de jovem em hotel de Braga

Em Nogueiró

em

Foto: O MINHO

Um indivíduo de 28 anos foi encontrado em paragem cardiorrespiratória dentro de um quarto de hotel em Braga, ao final da tarde desta terça-feira.

O jornal SOL escreve que o jovem, de nacionalidade estrangeira, foi encontrado em estado crítico por familiares num hotel em Nogueiró.

Foto: O MINHO

Segundo a TVI, há suspeitas que o jovem possa ter sido assassinado por uma mulher que também estava instalada naquela unidade hoteleira.

Foram rapidamente ativados os meios de emergência com uma equipa médica afeta à VMER de Braga a deslocar-se ao local para tentar reverter a situação, algo que não foi possível.

A vítima acabou por morrer ainda no local, tendo sido transportada para o Instituto de Medicina Legal de Braga pelos Bombeiros Sapadores.

Uma equipa de inspetores da Polícia Judiciária de Braga foi chamada ao local para investigar as causas da morte.

Notícia atualizada às 23:37

Continuar a ler

Braga

Proprietários das “Lojas com História” em Braga já podem pedir isenção do IMI

44 lojas abrangidas

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A Câmara de Braga anunciou esta terça-feira que os estabelecimentos abrangidos pelo programa “Lojas com História” já se podem candidatar à isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), sendo que o prazo corre até 30 de novembro.

Em comunicado enviado à Lusa, a autarquia refere que atualmente são 44 as lojas abrangidas por aquele programa e que “está a decorrer também a segunda fase de classificação das “Lojas com História”, cuja candidatura deve ser feita junto dos serviços da autarquia.

Para conseguir a classificação de “Loja com História”, explica a autarquia, é preciso a “verificação cumulativa de determinados tipos de fatores”, desde a longevidade da atividade, que deve ter “pelo menos” 25 anos.

“A par da atividade (e a ela intrinsecamente ligados) também o património material e o património imaterial do estabelecimento ou da atividade devem apresentar determinadas características reveladoras do seu significado histórico e cultural ou social local”, refere a autarquia.

Para o vereador do urbanismo da Câmara de Braga, Miguel Bandeira, “a iniciativa é determinante para a aplicação dos benefícios previstos à data e outros que possam ser aprovados. Ao mesmo tempo é um estímulo para a manutenção da atividade que é hoje reconhecidamente um fator fundamental para a coesão e atratividade das cidades”.

O reconhecimento daquele tipo de estabelecimentos leva ainda à “inclusão das lojas classificadas no portal do Inventário Nacional Comércio com História que irá promover através da relação com a plataforma do Turismo de Portugal: Visit Portugal a divulgação das lojas reconhecidas em Braga”.

Continuar a ler

Braga

Firmino Marques só sai da Câmara de Braga em outubro para tomar posse no parlamento

Candidato pelo PSD à Assembleia da República

em

Foto: DR / Arquivo

O vice-presidente da Câmara de Braga, Firmino Marques, que se candidata a deputado nas listas do PSD pelo círculo eleitoral de Braga, nas próximas eleições legislativas, apenas abandona o Município quando for eleito e tomar posse na Assembleia da República, em outubro.

A informação foi prestada a O MINHO pelo presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, o qual salientou que, quando a campanha eleitoral  começar, Firmino recorrerá ao mecanismo legal da suspensão do mandato.

A sua substituição pela jurista Olga Costa, a oitava na lista que se candidatou à câmara fica assim adiada, e Rio tem mais tempo para definir se lhe entrega ou não os mesmos pelouros que Marques governa.

Firmino Marques disse há dias a O MINHO que se candidata “com espírito de missão e de serviço”, sublinhando que tem dado “provas desse espírito  de servir a comunidade bracarenses quer como presidente da Junta de Freguesia de São Vítor quer como vereador no Município”.

A próxima reunião de câmara, com todos os vereadores, está marcada para 10 de setembro.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares