Seguir o O MINHO

Braga

“Braga não aceita retrocesso na qualidade do hospital com fim da PPP”, diz Ricardo Rio

em

Foto: Sérgio Freitas/CM Braga

O presidente da Câmara de Braga afirmou hoje que não aceitará “nenhum retrocesso” no nível da qualidade do hospital público da cidade, na sequência do fim da PPP constituída há 10 anos para assegurar a gestão da unidade.

“Naturalmente, Braga, cada um dos bracarenses, não aceita nenhum retrocesso no nível de qualidade a que este hospital nos habituou ao longo dos últimos anos”, referiu Ricardo Rio, eleito pela coligação PSD/CDS/PPM.

Para o autarca, “cumpre ao Estado” garantir que o nível de qualidade do hospital “vai continuar nos anos vindouros”.

Ricardo Rio falava na sessão comemorativa dos 10 anos do Hospital de Braga, sob a gestão do Grupo Mello Saúde, ao abrigo de uma parceira público-privada (PPP) que dura desde setembro de 2009 e que chegará ao fim em 31 de agosto.

O autarca reiterou críticas à não renovação da PPP, sublinhando que “Braga está hoje muito satisfeita” com o hospital, quer em termos de acessibilidade aos cuidados de saúde quer à qualidade e ao nível do serviço prestado.

“Parece pouco racional que cada vez mais nosso país se discuta o modelo em vez de se discutir os resultados”, apontou.

Disse que os 10 anos de PPP fizeram do Hospital de Braga “um dos melhores, se não mesmo o melhor do país”.

A gestão do Hospital de Braga passa para o Estado em 01 de setembro, depois de Grupo Mello e Ministério da Saúde não terem chegado a acordo sobre a continuação daquela PPP.

Em maio, foi já criada a Hospital de Braga Empresa Pública, para assegurar a gestão dos serviços.

O fim da PPP foi igualmente criticado pelo presidente do Conselho de Desenvolvimento Sustentado do Hospital de Braga, Luís Braga da Cruz, que considerou que os últimos 10 anos no Hospital de Braga constituem “um manual de boas práticas” na gestão hospitalar.

Para Braga da Cruz, “não é aceitável” acabar com uma parceria que se revelou “virtuosa”, só por “preconceito ideológico”.

Anúncio

Braga

Comissário da PSP de Braga tentou suicidar-se, sindicatos querem que MP investigue

Polícia foi hoje encontrado na esquadra em estado grave, depois de alegadamente ter dado um tiro na cabeça com a arma de serviço

em

O presidente adjunto da Federação Nacional dos Sindicatos de Polícia, Peixoto Rodrigues, disse hoje que vai pedir à Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar os casos de suicídio registados este ano na PSP.

Em declarações à Lusa, a propósito da alegada tentativa de suicídio de um comissário da PSP de Braga, hoje registada, Peixoto Rodrigues acusou ainda o Estado de contribuir para a instabilidade psicológica dos profissionais de polícia e instou-o a criar “melhores condições de trabalho e de carreira”.

“Vamos pedir à PGR que investigue os suicídios e tentativas de suicídio que este ano aconteceram na polícia. Isto não pode ficar só pela rama. É preciso que o Ministério Público investigue em concreto para perceber o que está em causa e para, se for caso disso, apurar responsabilidades”, referiu.

Um comissário da PSP de Braga foi hoje encontrado naquela esquadra em estado grave, depois de alegadamente ter dado um tiro na cabeça com a arma de serviço.

Foi transportado para o hospital, sendo o prognóstico, segundo Peixoto Rodrigues, “muito complicado”.

“Este ano, e além do caso de hoje, já se suicidaram três polícias. É preciso perceber o que se está a passar e é isso que vamos pedir à PGR”, frisou o dirigente sindical.

Peixoto Rodrigues disse que “há muitos polícias que estão ao serviço com problemas complicados” do foro psicológico e psiquiátrico e criticou a falta de acompanhamento médico especializado.

“Os gabinetes de psicologia não funcionam”, indicou, defendendo que o Estado “tem obrigação de criar melhores condições” aos profissionais da segurança pública e de “respeitar” os contratos que com eles celebrou, nomeadamente no que respeita à aposentação.

“O Estado só tem dificultado a vida aos polícias. Os sucessivos governos têm alterado sistematicamente as regras do jogo, sempre penalizando mais e mais as suas condições laborais. Este comissário que hoje tentou pôr termo à vida já devia estar na pré-reforma, mais vai-se protelando ao máximo a saída. O contrato que ele fez com a PSP não foi este”, acusou Peixoto Rodrigues.

A Lusa tentou ouvir o Comando Distrital de Braga da PSP, mas ainda não foi possível.

Continuar a ler

Braga

David Carreira, Karetus e Insert Coin na 11.ª edição da “Noite Gerações” na Póvoa de Lanhoso

Festa anual em Porto D’Ave, este ano a 30 de agosto

em

Foto: Facebook de Noite Gerações (2017)

Os artistas David Carreira, Karetus e Insert Coin vão atuar em Porto D’Ave, na Póvoa de Lanhoso, a 30 de agosto, no âmbito da festa anual “Noite Gerações”, que conta com dois novos palcos, revelou hoje a organização.

Dez anos depois da primeira “Noite”, a edição de 2019 acrescenta o palco 48TRINTA, numa alusão ao código postal da Póvoa de Lanhoso, dedicado aos “jovens talentos locais”, e um palco dedicado à música dos anos 80.

“Esta equipa de amigos criou um evento de amigos para amigos e continua a trabalhar para que o evento possa ser feito dessa forma”, afirmou Alexandre Peixoto, membro da organização citado em comunicado, acrescentando que “se na primeira edição ocupávamos um cantinho da Praça com algumas dezenas de amigos, este ano ocupamos uma Praça inteira e a sua envolvente”.

O evento, a cargo da Associação Canções e Gerações em parceria com a Câmara da Póvoa de Lanhoso, vai realizar-se na Praça dos Sonhos e está inserido na Romaria de Nossa Senhora do Porto D’Ave.

Continuar a ler

Braga

Alunos de 28 universidades coloriram ruas de Braga na abertura do Europeu Universitário de Futsal

Universidades e politécnicos de Alemanha, Croácia, Dinamarca, Espanha, França, Geórgia, Israel, Itália, Noruega e Portugal, entre outros

em

Fotos: SASUM

Depois de ter recebido 7 mil bailarinos para o Campeonato do Mundo de Dança e mais de 1.800 jovens para os Jogos do Eixo Atlântico, Braga deu, esta terça-feira, as boas-vindas a centenas de estudantes de toda a Europa, que, durante uma semana – entre 16 e 23 de julho – irão disputar o Europeu Universitário de Futsal 2019 (EUCFutsal 2019), o primeiro de sempre.

A cerimónia de abertura do evento decorreu na Praça da República em Braga, e, para além dos participantes, juntou centenas de pessoas que não quiseram perder a oficial do grande desportivo internacional que fará da cidade dos arcebispos, também, a capital do Futsal durante os próximos oito dias.

Foto: SASUM

Foto: SASUM

Foto: SASUM

Foto: SASUM

Foto: SASUM

O Presidente do Comité Organizador, Nuno Reis, o presidente da FADU, Daniel Monteiro, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, o representante da EUSA, Hovhannes Gabrielyan e o Reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, deram as boas-vindas aos atletas provenientes da Alemanha, Croácia, Dinamarca, Espanha, França, Geórgia, Israel, Itália, Noruega e Portugal.

A cerimónia abriu com o hino de Portugal, durante o qual foi hasteada a bandeira nacional. Seguiu-se o desfile das 28 equipas participantes, o qual encerrou com as equipas da universidade organizadora, a UMinho.

Foto: SASUM

Rui Vieira de Castro deu as boas-vindas a todos os participantes, desejando o maior sucesso para o evento. O responsável destacou os vários campeonatos mundiais e europeus que a UMinho tem vindo a organizar ao longo dos últimos anos, salientando a importância do desporto na Academia. “A prática desportiva é uma dimensão essencial da vida comunitária na Universidade do Minho. A Universidade tem dado cada vez mais atenção ao desporto competitivo, que tem visto um crescimento notável nos últimos anos, com o alto nível de competição, indo de mãos dadas com uma base organizacional cada vez mais sólida”, disse. Afirmando que a UMinho está muito satisfeita por receber este primeiro europeu de futsal, transmitiu que tudo será feito “para proporcionar uma excelente experiência desportiva e social a todos os participantes”.

Foto: SASUM

Nuno Reis, Presidente da Associação Académica e do Comité Organizador, foi o primeiro a usar da palavra, salientando o desafio, prestígio e a grande responsabilidade que é organizar esta 12.ª edição do Europeu de Futsal. Nuno Reis afirmou que a organização quer que “todos os participantes se lembrem do evento por muito tempo”, sendo que para além de pretenderem criar uma “experiência desportiva fantástica”, desejam “deixar de prestígio para o ecossistema dos desportos da universidade portuguesa, para o futsal, para a cidade de Braga e para a Universidade do Minho”.

O presidente da FADU saudou todos os participantes, salientando o grande historial de organizações desportivas universitárias internacionais dos organizadores do evento. Realçando a importância do futsal no nosso país, Daniel Monteiro asseverou a sua confiança em mais uma excelente organização, afirmando que “este será certamente um grande evento”.

Foto: SASUM

Ricardo Rio manifestou a “grande honra e satisfação” de Braga ao receber este Europeu de Futsal, declarando ter a “certeza” de que este será um dos melhores campeonatos na história desta competição. Realçando que Braga tem estado na rota dos grandes eventos desportivos nos últimos anos, patenteou que “esta será mais uma excelente oportunidade para mostrar todo o nosso dinamismo”. Apelando a todos para que assistam aos jogos, o presidente do município de Braga disse que terão “a oportunidade de assistir a jogos memoráveis que irão encantar os amantes do futsal”.

O representante da EUSA agradeceu à cidade e à organização por receberem o Europeu, apelando ao “respeito e fairplay” entre todos os participantes.

Após declarado “aberto” o Campeonato, foi hasteada a bandeira da EUSA, a qual descerá e será entregue ao próximo país organizador no final deste.

Competição masculina já arrancou

Foto: SASUM

Conhecidos os grupos masculinos após a realização do sorteio no final da tarde de segunda-feira, a competição teve início esta terça-feira de manhã, tendo sido realizados ao longo do dia sete jogos. Todos os cinco grupos iniciaram a competição, sendo que neste primeiro dia a equipa anfitriã, a UMinho que encabeça o grupo A, ainda não competiu.

Resultados:

Grupo A: Universidade de Reims Champagne Ardenne (França) – Universidade Politécnica Nacional de Lviv (Ucrânia), 5-6

Grupo B: Escola Norueguesa de Economia (Noruega) – Universidade de Camerino (Itália), 2-7

Grupo C: Universidade de Varsóvia (Polónia) – Universidade de Munster (Alemanha),  4-3

Grupo D: Universidade Osijek (Croácia) – Academia de Estudos de Gestão (Israel), 5-1; Universidade Nacional de Karazin Kharkiv  (Ucrânia) – Instituto Politécnico de Leiria (Portugal), 4-3

Grupo E: Universidade Estatal Ivane Javakhishvili Tbilisi (Georgia) – Universidade de Malaga (Espanha), 1-2; Universidade de Coimbra (Portugal) – Universidade de Kiel (Alemanha), 13-1.

A competição feminina arranca na quarta-feira, pelas 12:00 horas, no Altice Fórum Braga e no Pavilhão Municipal de Lamaçães.

As informações sobre o campeonato estão acessíveis em https://futsal2019.eusa.eu/.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares