Seguir o O MINHO

Desporto

Braga melhor que Porto e Sporting na formação de jogadores, diz diretor

SC Braga

em

Foto: Divulgação / SC Braga (Arquivo)

O SC Braga é o segundo clube de futebol em Portugal na formação, só atrás do Benfica, defendeu hoje Hugo Vieira, diretor executivo dessa área do clube minhoto.

“Com toda a honestidade, e porque conheço todas as realidades a nível nacional e algumas internacionais, por aquilo que o SC Braga tem feito, o que temos à disposição em termos de infraestruturas e de recursos humanos, o SC Braga é, neste momento, o segundo clube em Portugal [na formação]”, afirmou o dirigente em videoconferência com a comunicação social.

Para Hugo Vieira, os bracarenses estão à frente de Sporting e FC Porto e só perdem para as ‘águias’.

“O Benfica lidera neste momento a formação. Vivemos com objetividade e, neste momento, é o clube com melhores condições em Portugal”, afirmou.

Segundo dados de Hugo Vieira, o SC Braga tem 15 equipas de competição e 230 atletas, mais as escolinhas em vários polos, que movimentam mais cerca de 800 crianças.

Entre funcionários, colaboradores, técnicos, médicos e fisioterapeutas, a cidade desportiva, casa da formação ‘arsenalista’, alberga 116 pessoas.

O antigo jogador (defesa-central que passou por Braga, italianos da Sampdoria, Sporting, Vitória de Setúbal e Beira-Mar) afirmou que a aposta na formação pelo clube liderado por António Salvador é cada vez maior e “por convicção, não por necessidade”.

A intenção passa por ter uma base alargada de jogadores de qualidade e contratados cada vez mais cedo.

“Temos investido fortemente no ‘scouting’ para termos a tal base maior e mais forte, mas a nossa estratégia é só a pensar em nós. Há quem pense em contratar o máximo de miúdos possível para secarem o que está à volta, mas nós optamos por contratar só os que precisamos”, disse.

Hugo Vieira destacou a crescente chamada de atletas dos vários escalões às seleções nacionais respetivas e revelou que os próximos talentos a “dar cartas” na equipa principal, como Pedro Neto (hoje no Wolverhampton) ou Trincão (FC Barcelona na próxima época), constam de “um documento interno”.

O diretor executivo da formação disse ainda ser “um orgulho imenso para toda a estrutura ver os ‘Trincões’ da vida singrarem e seguirem o seu caminho: os campeonatos serão bem-vindos, mas essas são as nossas grandes vitórias”, disse numa alusão à transferência de Trincão, em janeiro, por 31 milhões de euros, para o colosso catalão.

A formação alimentar a equipa principal “é claramente um objetivo do clube” e o seu treinador “deve estar dentro desse pensamento”, frisou.

“Porque podemos fazer um ótimo trabalho desde os petizes até à equipa B, mas depois, se as portas não estiverem abertas, não faria sentido algum, mas isso não tem acontecido”, disse.

Hugo Vieira disse ainda concordar com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol em terminar todos os campeonatos dos escalões mais jovens.

“A nossa vontade é que isso não tivesse acontecido, mas foi a decisão mais sensata e tivemos que acatar. Tudo vamos fazer para que [os jogadores] percam o menos possível e, sem nunca pôr em causa a saúde de ninguém, estaremos preparados para podermos reatar os treinos”, disse.

Considerou ainda que o confinamento provocado pela covid-19 “vai trazer um novo futebol”, considerando que outros clubes passarão a apostar mais na formação, e lamentou a situação vivida em Itália por causa da pandemia, país onde jogou durante três temporadas (1997-2000), na Sampdoria.

“É uma situação que me preocupa. As pessoas transmitem-me que estão a viver um cenário de guerra. Tenho um amigo em Bergamo, um dos sítios mais fustigados, e ele só me diz que espera que nós não passemos o que eles estão a passar”, disse.

Anúncio

Futebol

Vizela renova contrato com guarda-redes Ivo Gonçalves

II Liga

em

Foto: FC Vizela / Facebook

O Vizela, clube que foi promovido à II Liga portuguesa de futebol, anunciou hoje a renovação de contrato com o guarda-redes Ivo Gonçalves, que assinou um novo vínculo por uma temporada.

O guarda-redes português, de 36 anos, que os vizelenses tinham recrutado, no início desta época, ao Leixões, participou em apenas sete jogos na formação minhota esta temporada, mas confere à equipa a experiência de já ter alinhado nos escalões profissionais.

“É um orgulho imenso continuar a representar o clube, agora na II Liga, de onde nunca deveria ter saído. Só posso estar satisfeito por continuarem a apostar em mim e por confiarem no meu trabalho. Os objetivos passam por atingir a manutenção o mais rápido possível”, disse o guardião em declarações ao site do clube.

Ivo Gonçalves, natural de Silves, no Algarve, representou vários clubes na II Liga, contanto no seu currículo com passagens por Leixões, Penafiel, Académico de Viseus, Farense ou Portimonense.

Além desta renovação com Ivo Gonçalves, o emblema vizelense já tinha anunciado a continuidade dos avançados Diogo Ribeiro, Tavinho e Kiko Bondoso, dos médios Ericsson e Zag, do defesa João Pedro e a contratação de Richard Ofori, lateral esquerdo ex-Fafe.

O Vizela, a par do Arouca, foi indicado pela Federação Portuguesa de Futebol para a subida à II Liga Portuguesa de Futebol, depois do Campeonato Portugal, onde militava, ter sido interrompido, devido à pandemia de covid-19.

À data da suspensão da prova, o Vizela liderava a Série A com 60 pontos (mais oito que o segundo classificado Fafe), enquanto o Arouca estava em 1º lugar na Série B com 58 pontos (mais oito que o Lusitânia de Lourosa).

Continuar a ler

Futebol

Presidente Armando Silva recusa recandidatura à liderança do Desportivo das Aves

Futebol

em

I Liga

O presidente Armando Silva recusou a recandidatura às eleições dos órgãos sociais do Desportivo das Aves para o biénio 2020-2022, em 27 de junho, anunciou hoje o líder do último classificado da I Liga de futebol.

“Atingi um desgaste pessoal e profissional grande. Sinto-me satisfeito e orgulhoso por todo o trabalho que fiz enquanto presidente em prol do clube, do qual sou sócio há 40 anos. Chegou o momento de dar lugar a outras pessoas”, justificou ​​​​​​​o dirigente em comunicado.

Na liderança avense desde a temporada 2010/11, Armando Silva, de 56 anos, foi reeleito sem oposição em abril de 2018, com 90% dos votos, dois meses antes de assistir a mudanças na administração da SAD, na qual detém 10% de capital desde agosto de 2015, face aos restantes 90% controlados pelo grupo de investidores ‘Galaxy Believers’.

“Desde a minha chegada passámos por momentos difíceis e importantes, como a criação obrigatória da SDUQ [Sociedade Desportiva Unipessoal por Quotas] e a passagem a SAD [Sociedade Anónima Desportiva] numa assembleia geral histórica. Construí o complexo, que aumentou a qualidade do futebol de formação e deu mais dignidade ao clube”, frisou.

Recordando que “todo o restante património permanece na posse do clube sem qualquer ónus”, Armando Silva congratula-se pelo trabalho realizado fora do âmbito do futebol profissional, no qual coordenou diversas campanhas do Desportivo das Aves na II Liga, antes do regresso consumado ao principal escalão em 2016/17.

“Mantive o futsal masculino e feminino, criámos a secção de voleibol feminino e somos um clube certificado pela Federação Portuguesa de Futebol. Nesta minha saída, agradeço a todos os que me acompanharam ao longo destes anos e fico com uma grande certeza: não farei a outros o que me andam a fazer nestes últimos meses”, apontou.

O sufrágio deveria ter ocorrido em 09 de maio e foi suspenso três semanas antes devido à pandemia de covid-19, sem candidaturas anunciadas e em articulação com as restrições sanitárias, transitando do estádio para o pavilhão do emblema de Santo Tirso, que ocupa o último lugar da I Liga, com 13 pontos em 24 jornadas, nove abaixo da zona de salvação.

O Desportivo das Aves trabalha na máxima força para a receção ao Belenenses SAD, 13.º colocado do campeonato, com 26 pontos, em 05 de junho, à exceção de um jogador que permanece em isolamento e cuja identidade não foi revelada, após ter apresentado na segunda-feira um resultado inconclusivo no segundo teste de despistagem à covid-19.

Os nortenhos têm atravessado uma série de contrariedades desportivas, diretivas e financeiras desde agosto e podem perder dois a cinco pontos pelo atraso salarial verificado entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, que a SAD justificou com a paralisação da atividade económica na China, motivada pelo novo coronavírus.

O processo seguiu da Liga de clubes para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol em 03 de abril, originando as rescisões unilaterais do guarda-redes francês Quentin Beunardeau e do avançado brasileiro Welinton Júnior, enquanto a administração do chinês Wei Zhao liquidava verbas aos plantéis principal e sub-23.

Continuar a ler

Futebol

Estádio do Famalicão é aprovado e pode receber FC Porto na quarta-feira

I Liga

em

Foto: DR

A Liga Portugal e a Federação Portuguesa de Futebol anunciaram hoje que o Estádio do Famalicão também já foi aprovado pelas autoridades de saúde e poderá acolher as jornadas que faltam da I Liga.

“A Autoridade de Saúde do ACES Ave – Famalicão deu parecer favorável à utilização do Estádio Municipal de Famalicão nos jogos da Liga NOS”, informou a Liga Portugal, em comunicado, acrescentando que “o parecer foi dado no seguimento da documentação recebida e da visita efetuada ao recinto”.

Recorde-se que o Famalicão já tinha chegado a acordo com o Gil Vicente para disputar os jogos “em casa” no Estádio Cidade de Barcelos.

Porém, com esta decisão o Famalicão poderá disputar os jogos no seu estádio.

“Vamos jogar no nosso estádio com agrado. No entanto, desde a primeira hora, colocámo-nos como parte da solução para a retoma e essa sim é a notícia que verdadeiramente salientamos. Gostava de deixar uma palavra de agradecimento à Federação Portuguesa de Futebol pela forma eficiente e serena como conduziu o processo e que contou com igual comportamento da nossa parte”, referiu Miguel Ribeiro, presidente da SAD do Famalicão, no site do clube.

“Quero ainda transmitir aos nossos adeptos que sentimos o vosso carinho e apoio e que os nossos jogadores sentem que estamos juntos. Cuidem-se e protejam-se, para que, brevemente, possamos estar a celebrar no nosso estádio”, concluiu.

São 16 os estádios autorizados a receber os jogos da I Liga: Cidade do Futebol, Estádio do Bessa, Estádio Capital do Móvel, Estádio Cidade de Barcelos, Estádio do Clube Desportivo das Aves, Estádio D. Afonso Henriques,
Estádio Municipal de Famalicão, Estádio do Rio Ave FC, Estádio do Dragão, Estádio João Cardoso, Estádio José Alvalade, Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, Estádio do Sport Lisboa e Benfica, Estádio do Bonfim e
Portimão Estádio.

Continuar a ler

Populares