Seguir o O MINHO

Futebol

SC Braga goleado em casa pelo Paris Saint-Germain na Liga dos Campeões feminina

16 avos de final da Liga dos Campeões feminina

em

Foto: Twitter PSG Féminines

O Paris Saint-Germain goleou hoje o Sporting Clube (SC) de Braga por 7-0, no reduto das minhotas, e garantiu praticamente a passagem aos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol feminino.

Katoto foi a figura do jogo, com um ‘hat-trick’ (07, de grande penalidade, 32 e 61 minutos), Formiga fez o terceiro golo das francesas, aos 41, Diani o quarto, aos 47, e, já em período de descontos, Huitema ‘bisou’ (90+3 e 90+5), materializando uma vitória muito pesada, mas natural, da equipa mais forte.

A segunda mão dos 16 avos de final é dentro de duas semanas, em Paris, mas será apenas uma obrigatoriedade para as minhotas, tal é a diferença entre as duas equipas.

O PSG marcou sete e podia ter marcado mais quatro ou cinco, enquanto o Braga, que perdeu a Supertaça, no domingo, com o Benfica (1-0) e, na segunda-feira, vai a Alcochete defrontar o Sporting na primeira jornada do campeonato, não criou um único lance de real perigo junto da baliza das francesas.

A única vez que a guardiã contrária teve de intervir foi para anular um cruzamento do lado esquerdo do ataque das bracarenses (20 minutos), o que espelha bem as grandes dificuldades sentidas pela equipa de Miguel Santos.

O PSG inaugurou cedo o marcador, de grande penalidade, por Katoto, que puniu uma falta de Diana Gomes sobre Diani (07 minutos).

Aos 32 minutos, Katoto ‘bisou’, após tirar Diana Gomes do caminho, e na sequência de muitas facilidades da defesa bracarense, e, aos 41, a experiente brasileira Formiga aumentou a vantagem, após um livre cobrado por Dabritz.

A segunda parte abriu praticamente com o quarto golo, por Diani (47 minutos), com Katoto a fazer o quinto, e terceiro pessoal, num bom cabeceamento após cruzamento da direita (61) e, já nos descontos, Huitema completou a goleada com mais dois golos.

Declarações dos Treinadores

– Miguel Santos (treinador do Sporting de Braga): “Quando preparamos os jogos, é para ganhar, não esperamos perder, mas já tínhamos dito que o PSG tinha mais pontos fortes do que fracos e não conseguimos explorar esses pontos mais fracos.

Também há mérito do PSG, uma equipa que foi montada para tentar acabar com a hegemonia do Lyon em França e na Liga dos Campeões, tem um plantel vasto e riquíssimo.

Tentámos contrariar isso e estou muito orgulhoso das jogadoras, que foram sérias, deram tudo. Não tenho nada a apontar, o resultado foi pesado demais, não merecíamos, mas é futebol e também serve de aprendizagem, mas não é isso que belisca em nada a nossa campanha europeia.

Quero ver quem, nos próximos anos, vai fazer sete jogos europeus – nós fizemos cinco.

Apesar da derrota por números pesados, o público voltou a estar com a equipa. Fiquei muito sensibilizado com o apoio dos sócios e adeptos, isso dá-nos força e motiva a equipa. Segunda-feira, vamos começar outra competição, a I Liga, que já é a nossa realidade.

(O que fazer na segunda mão, em Paris, para ser mais equilibrada?) Se já estava difícil, agora está extremamente difícil. Quando formos a Paris, vamos com menos carga de jogos, isso pode ser positivo.

Espero que possamos ser melhores na fase de construção e mais perigosos e objetivos no ataque e, eventualmente, fazer golo. Em Paris, volta a estar 0-0, vamos fazer o melhor possível para dignificar o Sporting de Braga e o futebol português”.

– Olivier Echoufani (treinador do Paris Saint-Germain): “Estamos muito satisfeitos pela vitória, mas, na Liga dos Campeões, não podemos subestimar os nossos adversários.

Marcámos muito rapidamente, mas tivemos algumas dificuldades em marcar o segundo golo, porque o Braga criou-nos algumas dificuldades em contra-ataques, mas, globalmente, estou satisfeito com este nosso primeiro jogo.

Fico muito contente por ter sido o recorde de assistência nos jogos do Braga no futebol feminino, esteve um grande ambiente e fico feliz por isso.

O Braga deu tudo, foi muito sério e, para primeira participação na Liga dos Campeões, esteve muito bem”.

Ficha de Jogo

Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Paris Saint-Germain, 0-7.

Ao intervalo: 0-3.

Marcadores:

0-1, Marie-Antoinette Katoto, 07 minutos (grande penalidade).

0-2, Marie-Antoinette Katoto, 32.

0-3, Formiga, 41.

0-4, Kadidiatou Diani, 47.

0-5, Marie-Antoinette Katoto, 61.

0-6, Jordyn Huitema, 90+3.

0-7, Jordyn Huitema, 90+5.

Equipas:

– Sporting de Braga: Rute Costa, Rayanne Machado, Diana Gomes (Francisca Cardoso, 46), Maria Inês, Ágata Pimenta, Denali Murnan (Regina Pereira, 82), Vanessa Marques, Dolores Silva, Chinaza Uchendu (Farida Machia, 59), Folashade Pratt e Hannah Keane.

(Suplentes: Marie Hourihan, Bárbara Azevedo, Laura Luís, Francisca Cardoso, Regina Pereira, Sara Brasil e Farida Machia).

Treinador: Miguel Santos.

– Paris Saint-Germain: Christiane Endler, Ashley Lawrence, Alana Cook, Irene Paredes, Perle Morroni, Formiga, Grace Geyoro (Jordyn Huitema, 62), Sara Dabritz, Kadidiatou Diani (Nadia Nadim, 72), Karina Saevik e Marie-Antoinette Katoto (Sandy Baltimore, 61).

(Suplentes: Katarzyna Kiedrzynek, Hanna Glas, Paulina Dudek, Aminata Diallo, Nadia Nadim, Sandy Baltimore e Jordyn Huitema).

Treinador: Olivier Echoufani.

Árbitro: Lina Lehtovaara (Finlândia).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Perle Morroni (45), Denali Murnan (75).

Assistência: 5.850 espetadores.

Anúncio

Futebol

Euro2020: Portugal pode confirmar hoje apuramento em Kiev

Euro 2020

em

Foto: Divulgação FPF / Arquivo

Portugal tem hoje aquele que promete ser o teste mais difícil na fase de apuramento para o Euro2020 de futebol, com uma deslocação a Kiev para defrontar uma Ucrânia que tem sido implacável no Grupo B.

Após o esperado triunfo sobre o Luxemburgo (3-0), na última sexta-feira, a seleção nacional vai tentar carimbar já na capital ucraniana um lugar na fase final do próximo Europeu, mas também continuar na luta pelo primeiro lugar do agrupamento.

Um triunfo no Estádio Olímpico de Kiev, perante esperadas 70 mil pessoas, deixa Portugal a dois pontos do primeiro lugar, com menos um jogo disputado que os ucranianos, e, caso a Sérvia não consiga vencer na Lituânia, a formação de Fernando Santos poderá festejar a sétima presença consecutiva na fase final de um Europeu e manter a defesa do título conquistado em 2016.

No primeiro confronto, em março, no arranque da fase de qualificação, Portugal e Ucrânia empataram a zero, num encontro em que o guarda-redes Pyatov foi o melhor em campo, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Portugal joga apenas pela segunda vez em Kiev, onde em 1996 foi derrotado pela Ucrânia, por 2-1, um resultado que na altura ajudou a seleção nacional a falhar a fase final do Mundial1998 de futebol.

A Ucrânia lidera o Grupo B, com 16 pontos, à frente de Portugal, que segue no segundo lugar, com 11, mas com menos um jogo que a formação de leste. A Sérvia é terceira, com sete, seguida do Luxemburgo, com quatro, e da Lituânia, com um.

O segundo Ucrânia-Portugal da história está agendado para as 19:45 (21:45 horas locais) e terá arbitragem do inglês Anthony Taylor.

Continuar a ler

Futebol

“Podíamos ter feito um resultado histórico”

Braga vence Marítimo

em

Ricardo Sá Pinto. Foto: SCBraga

Declarações após o jogo da segunda jornada do grupo A da Taça da Liga de futebol entre Sporting Clube de Braga e Marítimo (2-1), hoje disputado em Braga.

 

Ricardo Sá Pinto (treinador do Sporting Clube de Braga): “Podíamos ter feito um resultado histórico, mas houve mérito fundamentalmente do guarda-redes do Marítimo, tantas e tantas foram as oportunidades, construídas com muita qualidade. Fizemos uma primeira parte de grande competência e qualidade de jogo, a equipa teve a mobilidade que lhe faltou no jogo do campeonato, fez boas combinações, meteu mais gente nas zonas de finalização, o adversário resumiu-se a um lançamento de linha lateral num lance do qual tenho dúvidas que tenha sido penálti, e ainda fizemos um golo limpo pelo Palhinha.

Depois, sofremos um golo que é caricato, a papel químico do sofrido no campeonato [com o Marítimo, 2-2], não pode acontecer de maneira nenhuma. Não acabámos o jogo a fazer antijogo, como o fez na altura o adversário, mas numa jogada direta, um desvio de cabeça, um livre lateral, podia haver um deslize que não merecíamos que houvesse. Mais uma vez fomos muito superiores e vencemos com justiça.

No golo sofrido não há demérito individual de ninguém, a responsabilidade é minha, são assuntos que podemos resolver em família, o Matheus tem tido um comportamento muito bom e é um grande guarda-redes.

A segunda parte podia ter sido mais conseguida, temos que analisar, mas não houve nunca controlo de jogo do Marítimo, podíamos ter feito mais três golos ainda assim. O guarda-redes do Marítimo fez uma exibição monumental, se o Real Madrid precisasse e tivesse vindo ver o jogo, tê-lo-ia contratado.

[Jogo decisivo com Paços de Ferreira] Temos seis pontos e ainda não nos qualificámos, uma equipa [Paços de Ferreira diante do Penafiel] com 10 jogadores fez dois golos, dois de penálti. Isto é o futebol, não se pode ter um jogo fechado, nem sempre há verdade, nem sempre ganha o melhor e nem sempre se faz justiça, merecíamos já estar noutra situação. O Paços é uma boa equipa que também quer passar, mas tínhamos sempre que fazer este jogo e temos de ir lá com a mesma concentração e humildade como contra qualquer adversário”.

 

Nuno Manta Santos (treinador do Marítimo): “Na primeira parte, o Marítimo esteve muito tímido, muito encolhido, respeitou muito o seu adversário, e o Braga foi melhor, marcou dois golos e podia ter marcado mais. Há um lance capital na primeira parte, um penálti a favor do Marítimo que podia ter mudado a história da primeira parte.

 

Na segunda parte, depois de uma conversa ao intervalo no sentido de que não podíamos recear tanto o adversário, houve um Marítimo melhor, mais forte e agressivo, mais intenso, a ir para cima e a dividir o jogo, podia ter feito mais golos e também sofrido.

 

Com este resultado, o Marítimo fica matematicamente eliminado da ‘final four’, parabéns ao Braga, mas ainda faltam alguns jogos e no futebol tudo pode acontecer.

 

[Ficou melindrado pelas críticas de Sá Pinto aquando do jogo do campeonato?] Podíamos falar muito sobre o discurso dos treinadores. O Marítimo veio com uma estratégia para esse jogo e conseguiu enervar o Braga e os seus adeptos, esteve a vencer e podia ter matado o jogo pelo Edgar Costa, não o fez e empatou 2-2, para o Marítimo foi um resultado positivo. Hoje também vi o Braga a perder algum tempo nas bolas paradas, para alguns é antijogo, para outros é gestão, depende de como se interpreta”.

Continuar a ler

Futebol

SC Braga vence e está com um pé na ‘final-four’ da Taça da Liga

Grupo A

em

Foto: Twitter SC Braga

O Sporting Clube (SC) de Braga venceu hoje o Marítimo, 2-1, e está com um ‘pé’ na fase final da Taça da Liga de futebol, que se vai realizar no seu estádio, em janeiro do próximo ano.

Com uma melhor exibição na primeira parte, a equipa da casa viu o caminho da justa vitória ser aberto por André Horta, aos 11 minutos, e Paulinho fazer o segundo aos 34, tendo Bambock reduzido aos 66 minutos para o Marítimo.

Foto: SC Braga

Com este triunfo, que se somou ao da primeira ronda, na casa do Penafiel (2-1), o Braga fica muito perto de garantir o acesso à ‘final four’, o que até pode acontecer hoje se Penafiel e Paços de Ferreira empatarem.

Há cerca de três semanas, Braga e Marítimo defrontaram-se no mesmo palco, na sexta jornada da I Liga, então com um empate a duas bolas.

No final dessa partida, Sá Pinto criticou o que considerou ter sido uma postura demasiado defensiva dos insulares, denominando-a mesmo de “autocarro”. Desta feita, o Marítimo jogou com as linhas um pouco mais subidas, mas a atuação dos madeirenses, sobretudo na primeira parte, voltou a ser pobre.

O Braga fez uma grande primeira parte e, logo aos quatro minutos, Paulinho cabeceou ao poste após centro de Esgaio da direita.

O primeiro golo não demorou muito mais a aparecer: já bem dentro da área, André Horta tabelou com Paulinho e rematou de pronto (11).

Aos 24 minutos, o Marítimo ficou a pedir grande penalidade por alegado agarrão de Paulinho sobre Rodrigo Pinho e, no minuto seguinte, Ricardo Horta obrigou Charles a uma enorme defesa.

Pouco depois, foi Pablo, de cabeça, a colocar novamente o guardião do Marítimo à prova (28), mas, aos 34 minutos, Charles nada podia fazer ante o remate de primeira, à meia volta, após cruzamento de Sequeira.

Perante um Marítimo muito passivo e permissivo, o Braga carregava e esteve muito perto do terceiro golo em várias ocasiões.

Charles esteve em evidência a parar remates de Paulinho (41) e Ricardo Horta (42) e, quase em cima do intervalo, foi Grolli, quase em cima da linha de baliza, a impedir o golo a Ricardo Horta.

Apesar de lhe ter pertencido os primeiros lances de perigo da segunda parte, com destaque para uma boa defesa de Charles a remate de Galeno (57), o Braga foi perdendo fulgor.

O Marítimo cresceu e, aos 66 minutos, Bambock reduziu de cabeça, após falha grave de Matheus: o central do Marítimo não perdoou a péssima saída do guarda-redes brasileiro dos minhotos a um canto.

Apesar dessa reação, o Marítimo não voltou a dispor de uma clara situação para marcar, ao contrário da equipa da casa que podia ter ‘matado’ a partida por mais que uma vez.

Até ao final, nota para o regresso de Wilson Eduardo, um mês e meio depois de se ter lesionado.

Ficha de Jogo

Jogo no Estádio Municipal de Braga.

SC Braga – Marítimo, 2-1.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, André Horta, 11 minutos.

2-0, Paulinho, 34.

2-1, Bambock, 66.

Equipas:

– SC Braga: Matheus, Esgaio, Bruno Viana, Pablo, Sequeira, Palhinha, João Novais (Claudemir, 73), André Horta, Galeno (Wilson Eduardo, 81), Ricardo Horta e Paulinho (Rui Fonte, 73).

(Suplentes: Eduardo, Diogo Viana, Claudemir, Agbo, Wilson Eduardo, Murilo e Rui Fonte).

Treinador: Ricardo Sá Pinto.

– Marítimo: Charles, Bebeto, Bambock, Grolli, China, André Teles, Vukovic, Correa, Edgar Costa (Nequecaur, 46), Getterson (Erivaldo, 80) e Rodrigo Pinho (Marcelinho, 74).

(Suplentes: Abedzadeh, Rúben Ferreira, Nequecaur, Erivaldo, Jhon Cley, Nanu e Marcelinho).

Treinador: Nuno Manta Santos.

Árbitro: Nuno Almeida (Algarve).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Bebeto (10), China (28), Edgar Costa (31), André Teles (63), Grolli (72), Pablo (90+2).

Assistência: 5.041 espetadores.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares