Braga: gnration integra Rede Portuguesa de Arte Contemporânea

Anunciou a Direção Geral das Artes
gnration Foto: CM Braga / Arquivo

O gnration, espaço em Braga destinado à criação, performance e exposição no domínio da música contemporânea e da relação entre arte e tecnologia, integra a primeira lista de espaços e equipamentos culturais creditados pela recém-criada rede portuguesa dedicada à arte contemporânea, foi hoje divulgado.

O anúncio foi feito pela Direção Geral das Artes – DGArtes, entidade designada para coordenar o processo de adesão.

A RPAC – Rede Portuguesa de Arte Contemporânea tem por objetivo valorizar e ampliar o acesso e a divulgação da arte contemporânea produzida em território nacional, promover o trabalho em rede, contribuir para aumentar as práticas de descentralização estabelecendo sinergias entre espaços expositivos, colecionadores, programadores, curadores e artistas visuais.

O espaço bracarense compõe a primeira lista dos equipamentos/espaços da Rede Portuguesa de Arte Contemporânea, constituída por 58 entidades que dinamizam 66 espaços de fruição e criação artística no âmbito da arte contemporânea, assegurando ampla cobertura do território nacional.

A adesão à RPAC foi realizada de forma voluntária e sob o compromisso de a empresa municipal Teatro Circo de Braga, EM, S.A., entidade gestora deste equipamento cultural, promover atividades de valorização e dinamização da arte contemporânea, uma programação cultural própria e atividades de mediação de públicos.

A integração na rede permitirá ainda ao gnration candidatar-se “a linhas de apoio destinadas a projetos de coorganização e circulação de exposições, de mediação e de formação, que em 2023 tem o valor de dois milhões de euros”, segundo avança a DG Artes.

Resultante da Braga 2012 – Capital Europeia da Juventude e a celebrar dez anos em 2023, o gnration apresenta um programa cultural assente em dois pilares, a música contemporânea e a relação entre arte e tecnologia, transpondo-se numa programação com atividades de perfil performativo, expositivo e educativo.

Atualmente gerido pela empresa municipal Teatro Circo de Braga EM S.A., o gnration tem direção artística a cargo do músico e programador Luís Fernandes. Em 2021, o espaço passou a integrar também a Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses — RTCP e, mais recentemente, a EMAP – European Media Art Platform, um consórcio internacional composto pelas mais importantes estruturas europeias especializadas em Media Art, sendo o gnration o único representante português na rede.

 
Total
0
Partilhas
Artigo Anterior

Quase 40 brigadas da ASAE fiscalizam preços nos hiper e supermercados de todo o país

Próximo Artigo

Atrai colega a casa com proposta de emprego para a violar em Santo Tirso

Artigos Relacionados
x