Seguir o O MINHO

Região

Braga e Viana em aviso amarelo devido à chuva e vento forte

Estado do tempo

em

Foto: Ilustrativa / DR

Os distritos de Braga e Viana do Castelo estarão hoje, a partir das 18:00, sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, vento e agitação marítima fortes, revelou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).


O aviso amarelo para chuva forte e por vezes persistente estará em vigor até às 03:00 de segunda-feira. Para além da precipitação, é esperado vento forte do quadrante oeste, com rajadas até 85 km/h no litoral e de 110 km/h nas terras altas.

O IPMA colocou também sob aviso amarelo os distritos de Lisboa, Vila Real e Leiria devido à previsão de agitação marítima forte, com ondas de quatro e cinco metros até às 03:00 de terça-feira.

O aviso amarelo, o terceiro da escala, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Anúncio

Região

Chuva, trovoada e vento forte colocam distritos de Braga e Viana sob aviso amarelo

Meteorologia

em

Foto: DR / Arquivo

Todos os distritos de Portugal continental, exceto Bragança, estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, por vezes fortes, acompanhados de trovoada frequente e rajadas de vento, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso amarelo para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Viseu, Guarda, Aveiro, Coimbra e Leiria vai estar em vigor até às 00:00 de sábado.

Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Lisboa, Setúbal, Beja, Évora e Faro estão sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros e rajadas de vento até às 21:00 de hoje e trovoada frequente até às 18:00 de hoje.

O IPMA colocou também o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo devido à previsão de vento forte com rajadas até 100 quilómetros por hora até às 12:00 de hoje.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O IPMA prevê para hoje no continente céu geralmente muito nublado e aguaceiros, por vezes fortes, ocasionalmente de granizo e acompanhados de trovoada.

A previsão aponta também para vento fraco a moderado do quadrante leste, por vezes forte no litoral, soprando forte nas terras altas, com rajadas até 90 quilómetros por hora, rodando gradualmente para o quadrante sul.

Está ainda prevista uma pequena subida da temperatura mínima nas regiões Norte e Centro e descida da máxima no litoral oeste.

As temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 8 graus Celsius (em Bragança) e os 15 (em Faro) e as máximas entre os 12 graus (na Guarda) e os 19 (em Faro).

O IPMA prevê para hoje na Madeira períodos de céu muito nublado e aguaceiros, por vezes acompanhados de trovoada, diminuindo de intensidade e frequência a partir do meio da manhã.

Está também previsto vento moderado a forte de oeste/sudoeste, com rajadas até 80 quilómetros por hora, em especial nas vertentes leste e oeste da ilha da Madeira, e soprando forte, com rajadas até 100 quilómetros por hora, nas terras altas, diminuindo gradualmente de intensidade a partir da tarde e uma pequena subida da temperatura máxima.

No Funchal as temperaturas vão oscilar entre os 15 e os 22 graus e no Porto Santo entre os 15 e os 20.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Pianista Luís Pipa, a viver em Viana, lança disco dedicado a Óscar da Silva

Cultura

em

Foto: DR

O pianista e professor da Universidade do Minho (UMinho) Luís Pipa lança na sexta-feira um disco dedicado a obras de Óscar da Silva, “considerado o iniciador da música moderna em Portugal e o último grande romântico do país”.

O anúncio foi hoje feito por aquela academia, num comunicado em que acrescenta que o disco inclui vinte faixas, sendo “Tempo di ‘Berceuse’” I e II, e as três peças do ciclo “Românticas” gravadas pela primeira vez a nível mundial.

O álbum foi gravado nos estúdios da Casa da Arquitetura, em Matosinhos.

A sua apresentação ao vivo naquela cidade, assinalando os 150 anos do nascimento de Óscar da Silva, foi adiada para 2021 devido à pandemia.

O professor da UMinho está já a preparar um novo CD com obras de Óscar da Silva, que deixou um amplo legado para piano.

Pipa lançou recentemente um disco com obras do português Jose Vianna da Motta e outro com obras do polaco Philipp Scharwenka, prevendo-se para 2021-2022 um segundo volume de Scharwenka e de Óscar da Silva.

Luís Pipa nasceu na Figueira da Foz e vive em Afife, Viana do Castelo.

Diplomou-se em piano no Conservatório de Música do Porto, fez o mestrado em Estudos de Performance na Universidade de Reading, o doutoramento em Performance pela Universidade de Leeds (ambas no Reino Unido) e estudou na Academia Superior de Música e Artes Dramáticas de Viena (Áustria).

É professor do Departamento de Música do Instituto de Letras e Ciências Humanas da UMinho, investigador do Giartes/Centro de Estudos Humanísticos da UMinho e vice-presidente da Associação Europeia de Professores de Piano (EPTA).

A sua carreira como pianista a solo e com maestros/orquestras inclui estreias mundiais de obras de Luiz Costa, Rigaud ou Bochmann e concertos em cidades como Oslo, Amesterdão, Helsínquia e La Valetta.

As suas gravações abarcam composições próprias e reportório desde o barroco ao século XX, como Mozart, Carlos Seixas ou Debussy.

Continuar a ler

Ave

Testemunho do autarca de Vizela: “Covid não é apenas para os outros e essa é a verdade”

Covid-19

em

Foto: Facebook / CM Vizela

O presidente da Câmara de Vizela lançou hoje o seu testemunho em relação à infeção por covid-19, apelando aos vizelenses que se protejam para poder proteger o concelho.

Num vídeo publicado nas redes sociais, Victor Hugo Salgado refere que sempre teve uma vida “ativa e dinâmica”, mas que “soube salvaguardar o que era importante das regras máximas da saúde pública” para não ser infetado.

“Contudo, mesmo assim, fui apanhado pela covid”, recorda, afirmando que esta doença “não é apenas para os outros” e essa “é a verdade”.

O autarca chegou a recorrer a assistência hospitalar depois da infeção do novo coronavírus passar a pneumonia, uma situação “atípica”, aponta, mas que aconteceu.

“Achava que as proteções que utilizava eram a forma de não apanhar, mas enganei-me redondamente”, confessa. “O que posso dizer é que é difícil, bem mais difícil do que aquilo que estava à espera”.

O autarca salienta este testemunho para que se perceba que “não estamos imunes” a esta nova doença.

Víctor Hugo Salgado deixa o apelo aos habitantes do concelho, onde a taxa de infetados por habitante é das maiores do país, para que redobrem esforços nesta “luta”.

“Aproveito este contacto para agradecer o apoio durante este período, de forma especial aos profissionais de saúde que ao meu lado ajudaram a passar esta dificuldade”, sublinha.

O edil espera que a população consiga “reafirmar os hábitos” registados na primeira vaga da doença.

“Ajudem-me. Ajudemo-nos uns aos outros para que a covid se reduza praticamente a nada no nosso concelho. Proteja-se, proteja Vizela”, finaliza a mensagem.

Continuar a ler

Populares