Seguir o O MINHO

Braga

Morreram mais de 30 pessoas nas estradas de Braga desde o início do ano

Balanço da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária até outubro

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

O número de mortos nas estradas portugueses desceu entre 01 de janeiro e 31 de outubro relativamente ao período homólogo, mas o número de acidentes e de feridos graves subiu, segundo dados provisórios oficiais. O distrito de Braga é o terceiro com maior número de mortos resultantes de acidentes: 33 pessoas.


De acordo com o último balanço da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) relativo a 10 meses (entre 01 de janeiro e 31 de outubro deste ano) morreram 396 pessoas nas estradas portuguesas, menos 24 do que no período homólogo (420).

Os dados da ANSR referem-se a óbitos que ocorrem no local do acidente ou durante o respetivo transporte até à unidade de saúde e os valores relativos aos feridos graves são referentes a vítima de acidente cujos danos corporais obriguem a um período de hospitalização superior a 24 horas.

Entre 01 de janeiro e 31 de outubro deste ano foram registados 110.034 acidentes, mais 924 do que no período homólogo (109.110).

No mesmo período ficaram feridas com gravidade 1.890 pessoas, mais 106 do que nos 10 meses de 2018.

A ANSR indica também que 34.740 pessoas sofreram ferimentos ligeiros, mais 479 do que em igual período do ano passado (34.261).

O balanço da ANSR, que reúne dados da GNR e PSP, destaca também que na última semana de outubro (22 a 31 de outubro) morreram nas estradas 14 pessoas e 66 ficaram feridas com gravidade.

Os dados da ANSR indicam igualmente que entre 01 de novembro de 2018 e 31 de outubro de 2019, foram registados 484 mortos nas estradas (menos 26 relativamente ao período 01 de novembro de 2017 a 31 de outubro de 2018) enquanto os feridos graves subiram para 2.247 (mais 99).

Entre 01 de janeiro e 31 de outubro deste ano, o distrito com maior número de mortos resultantes de acidentes foi o do Porto (43), seguido de Lisboa (39), Braga (33), Coimbra (30) e Santarém (29).

O distrito de Lisboa foi o distrito com mais feridos graves (271), seguido por Faro (198) e Porto (185).

Anúncio

Braga

Padre de Amares revoltado com quarentena depois de jantar com doente covid

Covid-19

em

Foto: Arquidiocese de Braga

As eucaristias nas paróquias de Dornelas, Figueiredo, Paredes Secas e Vilela, no concelho de Amares, estão suspensas desde o início de julho depois do pároco local ter sido aconselhado a permanecer em quarentena, ainda que um pouco contra sua vontade.

Através das redes sociais, o padre explica o motivo da quarentena forçada e fala de uma expectativa para que pudesse celebrar as eucaristias à porta fechada, que saiu gorada.

Conta que, no passado dia 27 de junho, jantou com um amigo que acusou positivo para covid-19. Quando o pároco tomou conhecimento da infeção do amigo, deslocou-se a uma unidade de saúde para fazer o teste de despistagem à doença, com o resultado a dar negativo.

Apesar de não estar infetado com o novo coronavírus, o sacerdote foi contactado pela delegação de saúde local para que cumprisse um período de isolamento profilático entre os dias 29 de junho e 12 de julho, face ao “perigo de contágio”.

“Afinal, qual seria o risco de fazer uma caminhada, dar uma volta de bicicleta, visitar a minha mãe (mantendo-me à distância como o faço desde março) ou até mesmo descer à Igreja para celebrar sozinho”, questionou o sacerdote através das redes.

O padre conta que, no dia 03 de julho, enviou um mail à delegação de saúde a pedir alteração das datas, por ter tido contacto com o infetado no dia 27, e não a 29. Todavia, não obteve resposta.

Visivelmente aborrecido por estar em quarentena, lamenta que, caso transgrida, corra em risco de crime de desobediência agravada.

O pároco vai mais longe a fala em “papalvos da República” que “alardoam” que “estamos num país livre”.

“Uma vergonha. A propalada liberdade importa para mendigar votos, branquear empregos e regalias, satisfazer interesses corporativos e partidários. O resto, somos carne para canhão”, desabafa o sacerdote, conhecido por alguns comentários mais polémicos nas redes sociais.

Continuar a ler

Braga

‘Velocidade furiosa’ em Braga. Condutor fura fila de quilómetros na variante do Cávado

Trânsito

em

Foto: Redes sociais

Um condutor furou a fila que se regista habitualmente ao final do dia na variante do Cávado, entre os concelhos de Braga e Vila Verde, à entrada de Prado, com o momento a ser registado em filmagem de telemóvel.

Não se sabe em que dia foram captadas as imagens mas estas foram agora divulgadas nas redes sociais, mostrando o condutor a seguir pela faixa que dá acesso a Vila Verde, com a fila para Prado já com uma dimensão considerável.

Na bifurcação, o condutor entra na via que segue pela EN 201, em direção a Ponte de Lima, utilizando a berma da faixa de rodagem para ultrapassar as dezenas de viaturas que se encontravam no ‘pára-arranca’.

Desconhece-se se o condutor foi sancionado pelas autoridades uma vez que cometeu várias infrações de trânsito.

Continuar a ler

Braga

Rebentamento de gás nas obras do Burger King corta trânsito em Braga

Em São Vicente

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O rebentamento de uma conduta de gás nas obras de uma loja do Burger King, em São Vicente, Braga, condicionou o trânsito à entrada da cidade, apurou O MINHO no local.

Por motivos ainda por apurar, uma das condutas sofreu uma fuga, com o gás a ser visível a olho nu enquanto era descarregado dos tubos.

Para o local foi acionada uma equipa dos Bombeiros Sapadores de Braga com seis elementos e duas viaturas. Esteve também o piquete da empresa de gás responsável pela conduta.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O trânsito, junto ao nó de Ínfias, esteve condicionado durante mais de uma hora, chegando a haver corte de via coordenada pela PSP.

Não há registo de feridos.

Continuar a ler

Populares