Seguir o O MINHO

Braga

Braga é candidata às “7 Maravilhas à Mesa”

em

Foto: Divulgação/CM Braga

Braga é uma das cidades pré-finalistas da iniciativa ‘7 Maravilhas à Mesa’, um concurso que pretende homenagear o País e as Regiões mostrando o melhor dos seus produtos locais: pratos, vinhos, petiscos, roteiros e experiências gastronómicas.


Nesta candidatura, o Município de Braga apresenta-se com uma ´Mesa´ que congrega os sabores típicos e o património histórico e natural do concelho, nomeadamente o ‘Bacalhau à Moda de Braga’, a ‘Broa de Milho’, o ‘Vinho Verde Branco’ e a ‘Aguardente Vínica’, anunciou a autarquia, em nota enviada às redações.

Para o vereador do Turismo e Ambiente, Altino Bessa, a participação de Braga nesta iniciativa enquadra-se na estratégia de afirmação turística do concelho.

“Com esta candidatura queremos diferenciar os sabores característicos de Braga, uma cidade que é conhecida pelo turismo religioso mas que possui também um legado gastronómico invejável. A esta vertente juntamos o património, com o Museu D. Diogo de Sousa, e a natureza, com a nossa Rede de Percursos Pedestres ”, refere Altino Bessa.

A ‘Mesa de Braga’ tem como protagonista o ‘Bacalhau à Moda de Braga’, um prato cuja fama transpõe fronteiras, acompanhado pelo vinho verde da região branco. Os doces de romaria e os biscoitos, como os Fidalguinhos, são especialidades de longa tradição conventual e popular que não podem faltar na mesa Bracarense, conjugando-se na perfeição com uma bebida espiritual, a Aguardente Vínica de Vinho Verde.

A diversidade da paisagem natural é um dos elementos que explica a multiplicidade das especialidades gastronómicas de Braga. Assim, caminhar pelos trilhos da Rede de Percursos Pedestres permite conhecer as belezas naturais do território e seus produtos endógenos, como as laranjas, a maçã porta da loja e o cidrão, utilizados no apuramento das receitas.

Do Minho ao Algarve, passando pela Madeira e Açores, são 49 as Mesas Pré-Finalistas seleccionadas pelo júri do concurso das ‘7 Maravilhas à Mesa’. As mesas serão votadas pelo público, estando agendadas sete galas que serão transmitidas pela RTP. Braga estará representada na primeira gala, agendada para 22 de Julho, em Reguengos de Monsaraz.

De referir que todas as mesas foram validadas cientificamente pela Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com Cursos na área do Turismo (RIPTUR), que engloba 17 instituições politécnicas.

Mais informações sobre as ‘7 Maravilhas à Mesa’ podem ser consultadas em www.7maravilhas.pt

Anúncio

Braga

Terras de Bouro cancela programa de comemorações do Dia do Município

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

A câmara de Terras de Bouro anunciou hoje o cancelamento do programa de comemorações do Dia do Município marcado para 20 de outubro face “à situação de calamidade” no âmbito da pandemia da covid-19.

Em comunicado, a autarquia refere que, “dadas as circunstâncias, a efeméride apenas será assinalada num breve momento e unicamente com a presença dos eleitos da Assembleia Municipal de Terras de Bouro, dos Presidentes das Juntas de Freguesia e do Executivo Municipal de Terras de Bouro”.

No texto, a autarquia “solicita a melhor compreensão de todos”.

Portugal entrou em estado de calamidade no dia 15 de outubro devido à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Continuar a ler

Braga

Requalificação da Variante de Real em Braga arranca na próxima semana

Investimento supera os 380 mil euros

em

Foto: Divulgação / CM Braga

A requalificação “integral” da Variante de Real, em Braga, avança na próxima semana, num investimento que ultrapassa os 380 mil euros, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município acrescenta que a empreitada compreende ainda a requalificação da Rua de São Martino e da Rua da Feira.

Este conjunto de vias percorre duas Uniões de Freguesias, nomeadamente Maximinos, Sé e Cividade e Real, Dume e Semelhe.

Segundo João Rodrigues, vereador que tutela as Obras Municipais e o Espaço Público, a intervenção “visa restituir as condições de circulação em segurança e comodidade aos peões e aos automobilistas, uma vez que se tratam de artérias urbanas utilizadas diariamente por milhares de bracarenses e com volumes de trânsito consideráveis”.

A obra avança após os serviços municipais terem identificado as várias patologias nas artérias em questão, nomeadamente o estado de degradação do pavimento rodoviário e deficientes condições de circulação para os peões e viaturas.

A empreitada inclui a repavimentação integral das vias e introdução de medidas de acalmia de tráfego, através da reformulação da sinalização horizontal existente, com a introdução de travessias e cruzamentos sobrelevados.

Continuar a ler

Braga

Oposição diz que acordo da Câmara de Braga com sindicatos gera desigualdades

em

A oposição na Câmara de Braga criticou hoje o Acordo Coletivo de Entidade Empregadora Pública (ACEEP) celebrado entre o município e três sindicatos, considerando que gera “um clima de grande injustiça” e “desigualdade” entre trabalhadores

Na reunião camarária de hoje, PS e CDU sublinharam que o acordo deixou de fora ficou o maior sindicato (STAL), alertando que o acordo vai restituir os 25 dias de férias a apenas 20% dos trabalhadores, enquanto os restantes continuarão apenas com direito a 22 dias.

O presidente da Câmara, Ricardo Rio, afirmou que o município considerou que os 25 dias só deveriam ser repostos para quem obtivesse uma avaliação de “muito bom”.

“Qualquer um pode atingir essa classificação e só aqueles que a atingirem é que terão os três dias de férias [a mais]”, referiu.

Câmara de Braga celebra “acordo histórico” que repõe benefícios aos funcionários

No início do mês, a Câmara de Braga anunciou a assinatura de um “acordo histórico” com as estruturas sindicais para repor benefícios que, nos últimos anos, foram sendo retirados aos colaboradores na legislação laboral.

Em comunicado, a Câmara referia que o acordo prevê a implementação do horário desfasado, a atribuição de mais três dias úteis de férias por obtenção de desempenho relevante na avaliação, bem como a dispensa no dia de aniversário e do dia do funeral de um familiar da linha colateral em 3.º grau (tio, tia, sobrinho, sobrinha), sem perda de remuneração.

Prevê ainda o gozo da terça-feira de carnaval.

No que se refere aos bombeiros profissionais, o acordo prevê a regulação do período de trabalho.

Em causa está o ACEEP celebrado com a Federação de Sindicatos da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (FESAP), o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP) e o Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP).

De fora, ficou o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), que exigia a reposição dos três dias de férias a todos os funcionários.

Na reunião de hoje, o vereador socialista Artur Feio lembrou que apenas 20% dos funcionários podem ter a avaliação excelente, pelo que todos os outros ficarão sem os três dias adicionais de férias.

“A Câmara poderia e deveria ter arranjado uma solução que premiasse os colaboradores do município mas que não passasse por esta discriminação e esta desigualdade. Porque este princípio de que, no meio dos trabalhadores, há sempre muitos que são muito maus é algo que nós não entendemos”, referiu.

O vereador da CDU, Carlos Almeida, aludiu a uma clara discriminação, decorrente da utilização de “critérios tão subjetivos” como a avaliação de desempenho.

“Obviamente que isto vai criar um clima de grande injustiça e de desigualdade. A partir do momento em que comece a ser concretizado, vai criar um clima de grande instabilidade mesmo no seio dos trabalhadores, porque vai dividir”, alertou.

O presidente da Câmara lembrou que os dias 25 dias de férias já fizeram parte da legislação nacional e que esse direito foi retirado pelo Governo.

“O Governo tem todas as condições, se assim o entender, de repor para todos os colaboradores”, disse ainda.

Sublinhou que houve um “diálogo intensíssimo” com o STAL e que os responsáveis regionais do sindicato “estavam inclinados” para assinar o acordo, só não o tendo feito, alegadamente, por imposição da direção nacional.

Continuar a ler

Populares