Seguir o O MINHO

Região

Braga e Barcelos querem paragem na ligação de comboio entre Porto e Vigo

Atualmente essa paragem do chamado comboio ‘Celta’ está garantida, mas continuam a existir reivindicações por parte de alguns dos municípios do Norte de Portugal, em particular Braga e Barcelos.

em

Foto: DR/Arquivo

O declínio das linhas férreas tem estado entre as preocupações de vários autarcas de norte a sul do país, que reclamam ao poder central investimento em melhores ferrovias e mais comboios.

A modernização da ligação de comboio entre Porto e Vigo, para uma circulação mais rápida, foi uma das maiores reivindicações ao nível de infraestruturas ferroviárias dos autarcas do distrito de Braga, que exigiam uma paragem em Nine do comboio de alta velocidade que ligaria o Norte de Portugal à Galiza.

Atualmente essa paragem do chamado comboio ‘Celta’ está garantida, mas continuam a existir reivindicações por parte de alguns dos municípios do Norte de Portugal, em particular Braga e Barcelos.

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio (PSD), entende que, além da paragem em Nine, o comboio que liga o Porto a Vigo deveria também parar em Braga, defendendo por isso a criação de uma nova estação ferroviária na zona norte do concelho e um ‘interface’ que ligue a linha ferroviária ao aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Já para o presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes (PS), a existência do ‘Celta’ e da paragem do Alfa Pendular e do Intercidades em Nine “em nada implica que não pare também em Barcelos”.

Melhores ferrovias e mais comboios entre as exigências de autarcas de todo o país

Os presidentes das Câmaras de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa (PSD), e São João da Madeira, Jorge Vultos (PS), são os autarcas que mais têm insistido na requalificação da Linha do Vouga, a única em via estreita ainda em exploração em Portugal.

“É um investimento caro, mas temos plena consciência do contributo da nossa região para a criação de riqueza do país, sabemos perfeitamente que outras zonas beneficiam do nosso trabalho e estamos fartos de pagar impostos para serem investidos noutras regiões”, afirma Emídio Sousa.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques (PSD), tem-se mostrado preocupado com a possibilidade de a prometida requalificação da Linha da Beira Alta não avançar.

Na sua opinião, a ferrovia é decisiva para a região e, apesar de o Governo ter dito que talvez em 2019 haja condições para lançar o concurso e aproveitar os fundos comunitários, o autarca social-democrata pergunta pelo cronograma.

Almeida Henriques tem defendido que só uma nova linha, de ligação entre Aveiro e Salamanca, será um investimento verdadeiramente estruturante.

O presidente da Câmara da Covilhã, Vitor Pereira (PS), está satisfeito com a antecipação da obra de requalificação da linha da Beira Baixa, no troço que liga a Covilhã à Guarda e que estava desativado desde 2009, inserida no Plano Ferrovia 2020.

O autarca diz que as obras decorrem a bom ritmo e que após a sua conclusão, prevista para o final da primavera de 2019, será uma “alternativa limpa, barata, cómoda e ambientalmente sustentável” para os utentes.

Em maio, o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras (PSD), voltou a defender ser “absolutamente urgente e emergente” uma solução para a linha ferroviária de Cascais, já que a situação é de “quase desespero”.

O autarca referiu apoiar uma “panóplia de soluções, que tem a ver com a intensidade de investimento, soluções tecnológicas”.

No Alentejo, a Câmara de Évora tem vindo a protestar contra a “deterioração” do serviço de transporte ferroviário Intercidades entre a cidade e Lisboa, por a CP – Comboios de Portugal estar a substituir os comboios normais por automotoras mais antigas.

“Os utentes estão a pagar um serviço”, que é o Intercidades, mas “não estão a ser servidos convenientemente”, porque “o transporte que é utilizado não é aquele que foi prometido e que as pessoas estão a pagar”, disse à Lusa o vice-presidente de Évora, João Rodrigues (CDU).

Na Linha do Leste, tem sido o Partido Ecologista “Os Verdes” a defender a construção de um ramal ferroviário desde a estação de Portalegre até ao parque industrial da cidade, além da criação de uma ligação Intercidades entre Lisboa e Badajoz (Espanha), como forma de potenciar a linha férrea.

Já para a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a linha ferroviária da região é hoje o resultado de “anos de sucessivos desinvestimentos” e o transporte ferroviário só melhorará quando se concluir a sua eletrificação, prevista para 2020.

Jorge Botelho, presidente da AMAL e da Câmara de Tavira (eleito pelo PS), espera que o atual Governo, que anunciou a conclusão da eletrificação para 2020, termine esse trabalho “essencial” para os transportes na região e dê “um passo à frente para a modernização” da ferrovia no Algarve, para permitir depois criar ligações intermodais com a rodovia e melhorar a acessibilidade às cidades.

Anúncio

Ave

Mulher de 19 anos alicia e rouba homem de 73 e é detida em Cabeceiras de Basto

Militar de folga perseguiu a jovem

em

Foto: DR / Arquivo

Uma jovem de 19 anos foi detida, na segunda-feira, na sequência de um roubo por esticão, em Cabeceiras de Basto, anunciou hoje a GNR.

Em comunicado enviado a O MINHO, a guarda informa que a jovem aliciou um homem, de 73 anos, a “deslocar-se para um local mais recatado e, com ajuda de outra mulher”, arrancar-lhe um fio de ouro que a vítima tinha ao pescoço, no valor presumível de 250 euros.

Segundo a mesma nota, um militar do posto da GNR de Cabeceiras de Basto, que se encontrava de folga, ao ver o idoso na companhia das duas mulheres, suspeitou da intenção de ambas, tendo-as seguido e conseguido intercetar uma das suspeitas, detendo-a no momento e recuperando o fio roubado.

A detida está, neste momento, a ser presente ao Tribunal Judicial de Guimarães.

Continuar a ler

Região

CP com bilhetes a 5,50 euros entre Braga/Guimarães e Lisboa

Esta ação promocional aplica-se aos comboios Alfa Pendular e Intercidades

em

Foto: DR

A CP (Comboios de Portugal), está a oferecer bilhetes com 80 por cento de desconto durante o período de Natal e Ano Novo, anunciou esta terça-feira, a empresa.

A oferta é aplicada a 4.620 viagens, entre as quais, nas ligações de Braga e Guimarães a Lisboa. De acordo com a CP, os bilhetes a partir destes dois destinos minhotos, custam 5,50 euros.

Entre Lisboa e Porto, existem 1.700 bilhetes disponíveis, com o preço de 5 euros.

Esta ação promocional aplica-se aos comboios Alfa Pendular e Intercidades.

Os bilhetes disponíveis nesta campanha são válidos para viagens a realizar no período de 20 de dezembro de 2019 e 15 de janeiro de 2020 e podem ser comprados com a antecedência mínima de dez dias relativamente à data da viagem.

Os preços promocionais são aplicados até esgotarem todos os bilhetes abrangidos pela promoção.

Continuar a ler

Ponte de Lima

Ponte de Lima investiu mais de um milhão e meio nas escolas do concelho

Assinado auto de consignação para os arranjos exteriores da Escola Básica 2,3 de Arcozelo

em

José Manuel Carpinteira (à frente, à esquerda), deputado do PS eleito pelo distrito de Viana do Castelo, acompanhou Tiago Brandão Rodrigues. Foto: Facebook de José Manuel Carpinteira

O Município de Ponte de Lima procedeu à assinatura do Auto de Consignação da Empreitada de arranjos exteriores da Escola Básica 2,3 de Arcozelo, anunciou, esta terça-feira, a autarquia.

Nas palavras do diretor deste agrupamento, professor Manuel Amorim, nesta obra “o que está em questão é a segurança, não só dos alunos, mas de todos os utentes que passam na via”.

“Esta escola, sede de agrupamento tem cerca de 550 alunos, a frequentar desde o 5.º até ao 12.º ano. Na escola de primeiro ciclo, [contam-se] cerca de 200 alunos. [Sendo que] a cerca de 500 metros existe ainda o jardim de infância, integrado também neste centro educativo”, revela o professor, acrescentando que “na globalidade, na margem direita do Lima, todas as escolas do concelho sediadas no agrupamento de Arcozelo, têm uma cobertura de cerca de 1.100 alunos”.

Auto de consignação dos arranjos exteriores da EB 2,3 de Arcozelo, em Ponte de Lima. Foto: Divulgação

O diretor do agrupamento ressalva desta forma a noção que, “no dia-a-dia, e de imediato, irão beneficiar destas novas condições, entre 700 e 750 alunos”, sendo que “a médio e longo prazo mais alunos constituirão corpo discente que virá a beneficiar destas condições”.

Por sua vez, o presidente da Câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes, tratou de sublinhar o facto de que “a direção do agrupamento considerou desde há já algum tempo, que era importante fazer uma alteração nesta matéria [de segurança rodoviária, em contexto escolar]”, esta constatação “obriga a um investimento na ordem dos 86 mil euros, exatamente para dar mais conforto, e acima de tudo garantir as condições de segurança dos nossos alunos”.

“Com o objetivo de melhorar significativamente a segurança para esta comunidade educativa”, a obra tem início previsto no início do ano de 2020, e prazo de execução 60 dias.

Nas palavras do autarca “o investimento na requalificação do Parque Escolar, nos últimos anos correspondeu a cerca de um milhão e meio de euros”, e neste sentido “vamos continuar a trabalhar para fazer um investimento significativo, quer em Arcozelo, quer nos outros três agrupamentos, nomeadamente no segundo e terceiro ciclo para a requalificação e modernização dos equipamentos, quer seja de apoio, quer seja do ponto de vista da inovação tecnológica”.

De referir que, nos quatro agrupamentos, desde 2005 “o investimento no reordenamento do pré-escolar e primeiro ciclo foi de cerca de 27 milhões de euros, (…) se acrescentarmos este investimento que fizermos, mais o [investimento feito no] segundo e terceiro ciclo, e no secundário, com a requalificação da escola secundária da Parque Escolar, o investimento ascende a cerca de 42 milhões”, confirmou o edil limiano.

Continuar a ler

Populares