Redes Sociais

Braga

Braga teve “desfile” de Land Rover no Carnaval

 a

O Carnaval de Braga teve um desfile diferente este domingo. Cerca de 50 viaturas Land Rover estiveram no centro histórico numa iniciativa do Landmania Clube de Portugal.

O evento, que integrou a programação do Braga, Cidade Europeia do Desporto, reuniu cerca de 130 aficionados que viajaram de vários pontos do país para percorrer os obstáculos das encostas da cidade, desde Esporões, até Espinho e Sobreposta.

“A organização mereceu rasgados elogios dos participantes, em especial pela parte técnica do percurso, com uma duração de seis horas, que exigiu a melhor performance das lendárias máquinas e perícia dos respetivos pilotos. Não fosse o nevoeiro intenso, que carregou de misticismo o percurso, e os participantes teriam uma vista deslumbrante sobre o centro da cidade”, diz a nota enviada pelo grupo Landmaníacos de Braga.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Hospital de Braga alertou para o cancro da mama

Outubro Rosa.

Publicado

 a

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

Com o objetivo de sensibilizar para a prevenção do cancro da mama e promover a integração da pessoa que luta contra esta doença, o Hospital de Braga promoveu hoje um dia especial para utentes, familiares e profissionais de saúde. A programação englobou uma ação de sensibilização, um workshop de auto-maquilhagem para doentes oncológicas e uma palestra que pretendeu promover a partilha de experiências junto daqueles que estão a passar pela doença.

Alertar para um diagnóstico precoce e consciencializar a população para a importância da prevenção do cancro da mama foram os objetivos primordiais da ação de sensibilização promovida, na Entrada Principal, por Enfermeiras da Unidade de Senologia do Hospital de Braga. Fátima Rocha, Enfermeira Chefe do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Braga, referiu a importância de “todas as pessoas, independentemente da idade, conhecerem o seu corpo e estarem atentas a qualquer alteração”. A Enfermeira Chefe deixou, ainda, alguns conselhos à população para a prevenção desta doença: “não consumir bebidas alcoólicas, praticar exercício físico, manter o peso adequado, realizar a mamografia de rastreio e consultar regularmente o seu médico” são passos importantes para levar uma vida mais saudável e, assim, contribuir para prevenir esta patologia.

Foto: Divulgação / Hospital de Braga

Por sua vez, o workshop de auto-maquilhagem, promovido em parceria com o Centro de Fomação Die Apfel e ministrado por maquilhadoras da Perfumes & Companhia, pretendeu transmitir conhecimentos sobre técnicas de maquilhagem que permitem esbater os efeitos da doença, de forma a melhorar a imagem da doente e, consequentemente, contribuir para o seu processo de recuperação. De acordo com Fátima Rocha, “a imagem acaba sempre por ser uma questão sensível para as mulheres, família e sociedade”, sendo, por isso, “muito importante esta ação uma vez que permite dotar as utentes de mecanismos para viverem melhor com elas próprias”.

Para além do contributo no sentido de melhorar a imagem das doentes, esta programação pretendeu também abordar a importância da componente psicológica nas várias fases da doença. Através da palestra “Cancro da mama: a partilha de um desafio”, ministrada por Cristina Lopes, Psicóloga do Hospital de Braga, pretendeu-se abordar a importância do acompanhamento psicológico ao logo das várias fases da doença, e ainda, fomentar a partilha de experiências junto de utentes e cuidadores. Esta conversa teve como propósito, através da partilha de experiências, “contribuir para fomentar o apoio mútuo entre as pessoas que estão a passar pela doença e assim ajudar a desenvolver o chamado espírito de luta”, referiu Cristiana Lopes. A Psicóloga deixa uma mensagem a quem esteja a passar pela doença: “não se isolem, não deixem de partilhar os vossos medos, de procurarem os vossos amigos e nunca desistam dos vossos objetivos”, reforçando que uma “atitude positiva é muito importante para encarar a doença”.

O dia terminou com o “Chá Rosa”, um lanche convívio, que reuniu utentes, familiares e profissionais de saúde.

Esta programação insere-se na iniciativa “Outubro Rosa”, uma parceria que une Câmara Municipal de Braga, Hospital de Braga, Delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro, Movimento Vencer e Viver e Rosa Vida/Gabinete de Apoio Oncológico.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Sucateiros de Braga emitiram 2,9 milhões de faturas falsas

Entre 2007 e 2009.

Publicado

 a

Atuava no ramo das sucatas. A empresa Scraps, sedeada no Parque Industrial de Adaúde, em Braga, e o seu gestor Mário Pereira de Sousa, também residente na cidade, vão ser julgados no Tribunal de Braga, por terem, alegadamente, defraudado o fisco em um milhão de 
euros, com a emissão de faturas falsas de 2,9 milhões, entre 2007 e 2009.

No banco dos réus, vão, ainda sentar-se os arguidos, Frederico Ribeiro, residente em Albergaria-A-Velha, Jaime da Silva Carneiro, e a firma Mais Simples Unipessoal, Lda.

O Ministério Publico, baseado no apuramento feito pela Autoridade Tributária de Braga, concluiu que, Mário Pereira de Sousa era o coordenador do “esquema” de fuga ao fisco, sendo os restantes os emissores das faturas supostamente falsas. A firma Unipessoal nem sequer estava registada nas Finanças como operadora de sucatas e resíduos metálicos, mas faturava à Scraps, lesando o fisco no pagamento do IRC e da Derrama.

Os arguidos estão, assim, acusados de fraude fiscal qualificada.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Braga

Projeto da UMinho cria robot ‘personal trainer’ para idosos

Investigadores portugueses e espanhóis.

Publicado

 a

Um grupo de investigadores portugueses e espanhóis desenvolveram um “personal trainer’ robotizado para idosos capaz de “definir planos de exercícios personalizados” e de “alerta para eventuais problemas de saúde”, anunciou hoje a Universidade do Minho (UMinho).

Em comunicado enviado à Lusa, a UMinho, que participou na invenção do “Pharos”, nome dado àquele “amigo interativo”, explica que o robot “pretende promover o envelhecimento ativo da população e combater a solidão”.

Desenvolvido em conjunto com a Politécnica de Valência e de Alicante (Espanha), o “Pharos” pode “tornar-se um assistente virtual, amigável e de fácil utilização, ajudando os seniores a manterem uma vida mais saudável”.

O “Pharos”, um “modelo humanoide fabricado no Japão”, funciona “graças a um sistema” criado por Ângelo Costa e Paulo Novais, do Synthetic Intelligence Lab do Centro Algoritmi da UMinho, que permite ao robot “avaliar o estado físico dos idosos para depois recomendar as atividades mais adequadas”.

Segundo o texto, um dos módulos do ‘software’ concebido na UMinho” integra um mecanismo de apoio à decisão, baseado no estado de saúde e no perfil do utilizador, que permite ao robô construir um plano de exercícios personalizado e ajustável consoante as necessidades”.

A academia minhota explana que “há ainda outro módulo que, recorrendo à inteligência artificial, possibilita a avaliação do rendimento, a identificação de eventuais problemas de saúde e a confirmação de que os exercícios estão a ser feitos de forma apropriada”.

O estado de saúde dos idosos é avaliado recorrendo a dois processos: “É verificado numa primeira fase se a capacidade de movimento se situa dentro dos limites de modelos genéricos, de acordo com a idade, sendo depois avaliado no histórico de cada utilizador se há manifestamente uma degradação linear das capacidades físicas”, descreve o comunicado.

“Um baixo rendimento nos exercícios pode revelar problemas subjacentes que seriam impossíveis de detetar de outra forma. Esta técnica de inteligência artificial é inovadora porque utiliza apenas as câmaras presentes no robô para a deteção dos movimentos”, explica no comunicado o investigador Ângelo Costa.

A informação é comunicada verbalmente e fisicamente pelo “Pharos”, através de movimentos de braços, cabeça e torso, e aparece também num ecrã integrado que permite uma interação mais direta com o utilizador.

O “Pharos” mede 1.2 metros e pesa 28 quilos, tendo um “aspeto amigável” que ajuda a adoção e o uso por parte dos idosos.

A Uminho lembra dados revelados pela ONU que apontam que a população europeia com mais de 60 anos é de 13%, prevendo-se que esta ultrapasse os 25% em 2050.

“Os serviços de apoio a estas pessoas, como cuidadores e residências, não vão conseguir acompanhar esta subida, fazendo com que cada vez mais idosos fiquem desamparados em casa”, alerta o professor Paulo Novais.

“Apesar do esforço realizado por várias entidades para colmatar este problema social, a UMinho coloca-se com este projeto na dianteira em termos de desenvolvimento de robôs assistentes para pessoas idosas”, realçam os cientistas.

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Continuar a ler

Populares