Seguir o O MINHO

Braga

Braga cria Unidades Locais de Protecção Civil

em

Foto: Divulgação

A Comissão Municipal de Protecção Civil de Braga aprovou a criação de novas Unidades Locais de Protecção Civil nas freguesias de Arentim e Cunha, Espinho, Nogueira, Fraião e Lamaçães, Pedralva e Sobreposta, que se juntam à já criada unidade de S. Victor, aprovada no ano transacto. A medida foi anunciada após a reunião desta comissão que decorreu na passada sexta-feira.

Estas unidades, que actuarão essencialmente na prevenção e sensibilização pública, constituir-se-ão como a base da organização da Protecção Civil Municipal, tirando partido da proximidade de excelência que têm das pessoas e das instituições nos territórios onde estão inseridas.

Com a aprovação destas unidades, caberá ao município desenvolver e promover formação aos seus elementos bem como a aquisição de equipamento de identificação e protecção individual que permita o cabal desempenho da sua missão, garantindo também uma permanente articulação com o Serviço Municipal de Protecção Civil.

Depois das reuniões extraordinárias realizadas em agosto, a propósito da determinação do Alerta Especial da Autoridade Nacional de Protecção Civil de nível vermelho, a Comissão Municipal de Protecção Civil aprovou, por unanimidade, o novo Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Braga, que integra agora a área de intervenção veterinária.

O Plano – que se encontra em operacionalidade – foi, ainda, alvo de alguns melhoramentos e simplificação de conteúdos, de modo a ser mais simples a sua consulta e execução em situações de acidente grave ou catástrofe. É um documento formal que define o modo de actuação dos vários organismos, serviços e estruturas a empenhar em operações de protecção civil a nível municipal.

 

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Braga

Distrital de Braga do PS vitoriosa na Convenção Nacional

Em Gaia

em

Joaquim Barreto, Palmira Maciel, José Litra, Eduarda Lopes e Márcia Nunes. Foto: Joaquim Gomes/O MINHO

A Comissão Política Distrital de Braga do Partido Socialista saiu vitoriosa da Convenção Nacional do PS, que este sábado decorreu em Vila Nova de Gaia, já que a aposta desde o início na estratégia de António Costa e não na de António José Seguro, na perspetiva dos socialistas, foi aquela que triunfou, tal como o Governo através da chamada “geringonça”.

Joaquim Barreto, Palmira Maciel e José Litra eram o rosto do contentamento em face da coroação do secretário-geral do PS, António Costa, também primeiro-ministro, embora as fontes contactadas por O MINHO afirmassem que “a vitória é do Partido Socialista em geral e do camarada António Costa em particular, porque soube traçar o caminho certo”.

Joaquim Barreto, recorde-se, chegou a ser coagido fisicamente em plena sede distrital de Braga do Partido Socialista, só porque defendia a ascensão de António Costa, enquanto “Velhos do Restelo” queriam impor até com violência, a eleição de António José Seguro.

A contrário senso, quem assumiu ter-se enganado, dando assim a mão à palmatória, por com a humildade que o carateriza, reconhecer que António Costa conseguiu “levar a água ao seu moinho”, foi o eurodeputado Francisco Assis, num seu discurso bastante emotivo.

Assis e o “jantar do leitão”

O eurodeputado socialista Francisco Assis, anunciou já a meio da tarde deste sábado que não será candidato ao Parlamento Europeu, depois de ter uma “conversa muito séria” com o presidente do PS, ele que promoveu o célebre “jantar do leitão”, na Mealhada, em que clamou contra aquilo que considerava ser “um erro histórico” a opção pela “geringonça”.

Depois de anunciar aquilo que toda a gente já sabia, ele não será novamente candidato ao Parlamento Europeu, isto após ter uma “conversa muito séria” com o presidente do PS, António Costa, aquando do recente discurso do também primeiro-ministro português, em Estrasburgo, Francisco Assis reconheceu que o líder do PS era quem, afinal, estava certo.

No seu discurso, Francisco Assis, que foi de início o mais feroz opositor da opção pela “geringonça” PS/PCP/BE, assumiu que estava enganado quando então vaticinou que, entre outras consequências da atitude pragmática de António Costa, iria colocar em causa o projeto europeu introduzido em Portugal por Mário Soares, como ele próprio salientou.

Francisco Assis, que apenas com 24 anos de idade foi o mais jovem presidente de câmara municipal de sempre, ao ter assumido os destinos da Câmara Municipal de Amarante, teve um discurso marcado por citações filosóficas na abertura da sessão da tarde da Convenção Europeia do PS Rumo às Europeias, no Pavilhão Desportivo de Gaia, em Oliveira do Douro, Vila Nova de Gaia, onde não fosse ele próprio licenciado em filosofia.

Continuar a ler

Braga

Festival Rock Contra o Racismo em Braga

Inspirado num certame que teve a primeira edição, em 1976, no Reino Unido

em

Foto: DR

A primeira edição do Festival Contra o Racismo terá lugar em Braga, no próximo fim de semana, inspirado num certame que teve a primeira edição, em 1976, no Reino Unido.

Com base no célebre Rock Against Racism, o Núcleo Antifascista de Braga organiza o Festival Rock Contra o Racismo, no Espaço TOCA, situado no centro da cidade de Braga, em 22 e 23 de fevereiro com grupos oriundos de Lisboa, Almada, Seixal, Galiza e Angola.

“O festival além de concertos, proporciona aos participantes uma projeção de filme e dois debates no sábado de tarde, com diversos os coletivos apoiantes deste evento, sendo que alguns vão ter bancas informativas”, segundo acrescenta o Núcleo Antifascista de Braga.

Continuar a ler

Braga

Reunião no Bom Jesus de Braga para ponto de situação da candidatura a património mundial da Humanidade

Processo já está em andamento

em

Foto: DR

O Presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Luís Pedro Martins, visita hoje, às 12:30, a convite do Arcebispo de Braga, D. Jorge Ortiga, as obras de conservação e restauro da Basílica do Bom Jesus, em Braga.

Na mesma altura será feito um ponto de situação da candidatura deste imponente monumento religioso a Património Mundial da Humanidade da UNESCO.

O Presidente da TPNP elegeu a dinamização e promoção do turismo religioso, bem como a recuperação do vasto património existente neste domínio, como uma das prioridades da entidade e está fortemente empenhado em fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que o Bom Jesus de Braga venha a ser Património Mundial da Humanidade, “o que seria uma distinção mais do que merecida, face à importância religiosa, histórica e cultura que tem”.

Continuar a ler

Populares