Seguir o O MINHO

Braga

Braga com entradas na cidade controladas. Mas houve quem ‘furasse’

Estado de emergência

em

Foto. O MINHO

O Comando Distrital da PSP de Braga levou a cabo, ao longo da tarde desta sexta-feira, um ‘cerco’ policial à cidade de Braga, no âmbito do decreto presidencial que renovou o Estado de Emergência, face à pandemia de covid-19.


Dezenas de agentes instalaram-se em três das principais rotundas nos eixos de entrada e saída da cidade, abordando todas as viaturas que circulavam em ambos os sentidos.

Foto: O MINHO

A operação na rotunda da Nova Arcada visou controlar as entradas e saídas de quem se dirigia de Vila Verde, Prado, Amares ou Terras de Bouro para a cidade de Braga.

Foto: O MINHO

Em Gualtar, na rotunda junto ao INL e ao hotel Meliã. a PSP controlou os acessos de quem resolveu tomar atalhos vindos da zona do Cávado, conseguindo ainda fiscalizar quem se dirigia de Vieira do Minho ou da Póvoa de Lanhoso.

Foto: O MINHO

Já em Ferreiros, junto à conhecida como “zona da Amarelo”, na rotunda do E.Leclerc, foram controlados os acessos provenientes de Barcelos, Esposende e Famalicão.

Foto: O MINHO

Todavia, nestes dois dias de estado de emergência, pelo menos dois casos vieram a público de não existir controle nas estradas. Uma mulher residente em Braga denunciou a O MINHO que, na quinta-feira, fez a viagem Braga-Guimarães por caminho municipal em Trandeiras, e que, nem a cidade (área PSP), nem nas freguesias (área GNR), viu alguma operação.

No entanto, a GNR esteve esta manhã na Morreira, a fiscalizar quem atravessava entre concelhos pela conhecida zona da Falperra.

GNR fiscalizou 530 viaturas no concelho de Braga, durante a manhã, e mandou oito para casa

Também na quinta-feira, através das redes sociais, um condutor partilhou um vídeo em direto enquanto circulava na cidade de Braga, fintando propositadamente as diversas operações que se realizavam, através de ruelas e atalhos.

Anúncio

Braga

Polícia Municipal começou hoje a fazer a segurança da feira semanal de Braga

O MINHO acompanhou 1.º dia

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

A Polícia Municipal (PM) começou esta terça-feira a fazer a segurança da feira semanal de Braga, serviço até agora efetuado pela PSP.

O MINHO acompanhou o primeiro dia de ação da PM na feira semanal, para onde foram alocados, de acordo com o comandante, quatro operacionais em exclusividade.

“O que combinámos com a Invest Braga [empresa municipal que gere a feira] é que o número de efetivo pode ser variável, mediante as condições da própria feira. Ou seja, no verão com uma flutuabilidade maior de pessoas, provavelmente precisamos de ter lá mais [polícias]. No Inverno, verificando-se menos afluência, teremos menos”, explica a O MINHO o comandante da PM, Leandro Ferreira.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

“Não obstante termos pessoas em serviço permanente lá [na feira], não deixamos de ter um dispositivo que também canaliza a sua ação para as imediações”, acrescenta. Ou seja, além dos polícias em permanência, a atividade de rotina da PM também passa pelo local da feira e imediações. “Andamos lá por perto na fiscalização de parques de estacionamento adjacentes, de estacionamento que é consequência da própria feira. E temos patrulhas que passam por lá”, descreve o comandante da PM.

Questionado por O MINHO se não seria necessário um reforço do efetivo, Leandro Ferreira responde que, “decorrente da feira, não”, mas que o projeto de “futuro” é que “a PM seja reforçada com mais elementos”. “Mas isso é um macro projeto”, assinala.

Em relação a este primeiro dia na feira semanal, o comandante considera que “correu muito bem, o balanço é muito positivo”, notando “alguma curiosidade por parte dos feirantes por ver lá a PM”.

“Até porque alguns dos vendedores já nos conhecem de outras feiras, porque nós já fazíamos a de quinta-feira, a de sábado e a dos ‘passarinhos’ ao domingo”, destaca Leandro Ferreira, esclarecendo quais são as funções específicas deste serviço.

“Fazemos o controlo de trânsito em cada uma das rotundas, garantimos o cumprimento das regras sanitárias que estão agora em vigor, como o uso de máscara por todos (vendedores e população), e damos apoio no que for preciso à empresa de segurança que lá trabalha no cumprimento das regras dos lugares e do acesso ou não acesso ao mercado”, enumera.

Com a decisão da empresa municipal Invest Braga, a PM faz o pleno do policiamento das feiras na cidade.

Continuar a ler

Braga

Reitoria da UMinho manifesta “profundo desagrado” com regresso das praxes

Polémica

em

Foto: DR / Arquivo

A reitoria da Universidade do Minho (UM) manifesta “profundo desagrado” ao anunciado regresso das praxes nos campi de Braga e Guimarães anunciado, na segunda-feira, pelo “Cabido de Cardeais”.

Questionada por O MINHO, a reitoria da UM “reage com profundo desagrado a este tipo de iniciativas que, como é reconhecido, frequentemente se traduzem em práticas ofensivas da integridade e dignidade humanas”.

“Importa lembrar que a UM proibiu há anos estas práticas no interior dos campi, continuando empenhada em demonstrar a todos os estudantes que, independentemente do lugar onde ocorrem, elas são incompatíveis com os princípios e os valores que orientam a educação superior”, salienta na resposta enviada a O MINHO.

Praxes regressam presencialmente a Braga e Guimarães. Polémica estala na UMinho

A reitoria acrescenta que “nunca a UM poderá pactuar com práticas que colocam em causa o desenvolvimento pessoal, social, intelectual e profissional dos seus estudantes, com cuja educação de qualidade a Universidade está profundamente comprometida”.

Polémica das praxes na UMinho. Junta de Gualtar acusa “Papa” de mentir

“A Universidade não aceita que o compromisso responsável e cooperante da generalidade dos nossos estudantes possa ser colocado em causa por atitudes insensatas de um pequeno número de estudantes, completamente inadequadas aos tempos muito difíceis que vimos atravessando, como comunidade académica e como país”, sentencia.

Recorde-se que, na segunda-feira, o “Cabido de Cardeais”, que faz a gestão da praxe na UM, anunciou que as praxes presenciais seriam retomadas este mês de julho.

A decisão gerou polémica, com muitos estudantes a manifestarem-se contra a realização das praxes e a Junta de Freguesia de Gualtar a acusar, mesmo, o “Papa da Academia Minhota” de mentir.

Continuar a ler

Braga

Internacional português Miguel Ângelo reforça SC Braga/AAUM

Futsal

em

Foto: DR

O ala internacional português Miguel Ângelo é a primeira contratação para a equipa de futsal do SC Braga/AAUM para 2020/21, indicou hoje o clube minhoto, poucos dias depois de o Benfica comunicar a saída do jogador.

“O SC Braga tem uma estrutura muito boa. Em Portugal, talvez seja Benfica, Sporting e logo a seguir o SC Braga, se é que não está ao mesmo nível. Vim com boas referências, do André Coelho, do Tiago Brito e do Nilson que me deram muito boas referências do SC Braga. Isso claro que ajudou e pesou muito na minha decisão”, disse Miguel Ângelo.

O internacional luso, de 26 anos, espera mostrar trabalho em Braga e ajudar a equipa a ganhar o título que “já merece”.

“O clube é muito exigente, já merece ganhar um título e vamos lutar por isso. Da minha parte, podem esperar atitude, ambição e força de vontade. Tenho a certeza de que vou gostar muito deste clube e espero ficar aqui muitas épocas”, acrescentou.

Na última época, de 2019/20, as competições foram suspensas em março devido à pandemia da covid-19, e, posteriormente, canceladas, sem atribuição de título.

Continuar a ler

Populares