Seguir o O MINHO

Braga

Braga avança com centro de biotrituração comunitário para evitar queimadas

Ambiente

em

Foto: DR

A Câmara de Braga vai avançar com a instalação de um centro de biotrituração comunitário, ao abrigo de um projeto que visa combater incêndios florestais e proteger a natureza, as pessoas e os bens, foi hoje anunciado.


Em comunicado, a Câmara refere que o centro de biotrituração vai nascer ao abrigo de um financiamento de 234 mil euros para a segunda edição do projeto “Cuidar Braga”.

A verba foi atribuída pelo programa “Ambiente, Alterações Climáticas e Economia de Baixo Carbono” do EE Grants, um mecanismo financeiro plurianual que apoia financeiramente os estados-membros da União Europeia com maiores desvios da média europeia do PIB per capita.

O “Cuidar Braga”, lançado pelo município no início deste ano em parceria com as juntas de freguesia, foi financiado pelo Fundo Recomeçar da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

A iniciativa disponibilizou à população, de forma gratuita, dois biotrituradores para a destruição de sobrantes agrícolas e florestais, com o objetivo de reduzir em 40% o número de queimas realizadas no concelho.

Agora, com o “Cuidar Braga II”, a autarquia vai instalar e dinamizar o centro de biotrituração comunitário.

Para valorizar o subproduto, que se pretende distribuir gratuitamente entre os contribuintes de biomassa, promovendo uma economia circular, o município irá trabalhar em parceria com a Braval, empresa intermunicipal de valorização e tratamento de resíduos sólidos.

Assim, o projeto vai permitir à autarquia operacionalizar três opções de adaptação das 29 identificadas na Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, nomeadamente monitorização do estado sanitário do parque arbóreo, promoção do aproveitamento de biomassa florestal (aquecimento de águas, pellets) e promoção do ordenamento e gestão florestal.

Anúncio

Braga

Gasta 1 euro na raspadinha e ganha 30 mil em Vila Verde

Sorte

Foto: DR

Um apostador ganhou um prémio de 500 euros por mês durante cinco anos, um total de 30 mil euros, numa raspadinha “Mini Pé-de-meia”, que lhe custou um euro, no Pingo de Saber, quiosque situado à entrada do Pingo Doce, em Vila Verde.

É a terceira vez em menos de duas semanas que sai um prémio avultado naquele estabelecimento. Recorde-se que, como O MINHO noticiou, no dia 6 de janeiro, um apostar comprou no Pingo de Saber uma raspadinha que lhe deu um prémio de 100 mil euros.

No passado dia 11, outro ‘felizardo’ apostou três euros e ganhou 30 mil.

Desta vez, ao início da tarde desta sexta-feira, um cliente, que não será habitual naquele espaço, apostou um euro e foi premiado com 500 euros por mês durante cinco anos.

O Pingo de Saber está em época de sorte e o proprietário do espaço, Tozé Martins, salienta que “fica sempre contente por dar um prémio tão bom a um cliente”.

Continuar a ler

Braga

PSP dispersa ajuntamentos no centro de Braga

No primeiro dia de confinamento

Foto: Pedro Manuel Magalhães / RUM - Rádio Universitária do Minho

A PSP dispersou, na manhã desta sexta-feira, grupos de pessoas que se encontravam no centro da cidade de Braga, apesar de, desde a meia-noite, o estado de emergência prever o dever de recolhimento domiciliário.

As EPRI – Equipas de Prevenção e Reação Imediata, equipas motorizadas, dispersaram os ajuntamentos, compostos essencialmente por idosos, sensibilizando-os para as regras em vigor e para o facto de terem que estar em casa, a não ser nas exceções previstas no decreto do estado de emergência.

As recomendações da polícia foram acatadas de imediato.

Recorde-se que Portugal continental entrou hoje, às 00:00, num novo confinamento geral, devido ao agravamento da pandemia de covid-19, com os portugueses sujeitos ao dever de recolhimento domiciliário, mas mantendo as escolas com o ensino presencial.

No âmbito da modificação do estado de emergência no país, o Governo determinou na quarta-feira um conjunto de medidas extraordinárias que vão vigorar até às 23:59 de 30 de janeiro para “limitar a propagação da pandemia e proteger a saúde pública” e que estão previstas no decreto que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou hoje.

O dever geral de recolhimento domiciliário, em que “a regra é ficar em casa”, prevê deslocações autorizadas para comprar bens e serviços essenciais, desempenho de atividades profissionais, frequência de estabelecimentos escolares, prática de atividade física e desportiva ao ar livre ou participação no âmbito da campanha eleitoral ou da eleição do Presidente da República.

Continuar a ler

Braga

Homem detido em Prado, Vila Verde, por se recusar a usar máscara

Prado

Foto: Emílio Costa

Um homem foi detido, na manhã desta sexta-feira, no centro da Vila de Prado, em Vila Verde, por se recusar a utilizar máscara, confirmou O MINHO junto de fonte da GNR.

O homem estaria sem máscara e recusou-se a colocá-la, mesmo após ter sido advertido pelos militares da GNR.

Por se recusar, acabou por ser detido.

A GNR remeteu mais informações sobre o caso para um comunicado a ser emitido nos próximos instantes.

Continuar a ler

Populares