Seguir o O MINHO

Braga

Braga: Antigo colégio das Sete Fontes reabre com 300 alunos

No próximo ano sobe para os 500 alunos

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Reabre em setembro com 300 alunos do ensino básico. O antigo Colégio  das Sete Fontes, de Braga, a cuja fundação esteve ligado o falecido Cónego Eduardo Melo, foi adquirido pela associação que gere o Colégio  João Paulo II, que assim cria condições para se expandir: “temos uma  lista de espera de 1.400 alunos”, disse a O MINHO o seu administrador, Mário Paulo Pereira.

Este estabelecimento de ensino, criado, por sua vez, há 13 anos por um  grupo de seis leigos e oferecido à Arquidiocese da Igreja Católica,  está a rebentar pelas costuras nas instalações que possui junto à  Avenida Central, mesmo junto ao edifício das Convertidas: “vamos  acolher 300 alunos, até à 4.ª classe, neste ano letivo, número que, no  próximo, subirá para os 500”, adiantou.

O gestor salientou que o arranque das aulas no antigo Sete Fontes obrigou à contratação de 32 pessoas, as quais se juntam às 128 – entre  docentes e funcionários – que já trabalham na instituição. Isto – frisou – sem contar com as cerca de 40 pessoas que prestam  serviço nas atividades extra curriculares, nas áreas do desporto, das  línguas e outras.

Dinamismo

O João Paulo II – sublinha – “é hoje uma das instituições dinâmicas da cidade, como se constata por este investimento e pela procura que  tem”. O colégio é um organismo de direito canónico, mas é gerido por  uma associação a que a arquidiocese pertence.

Na última semana, O MINHO foi contactado por dois funcionários que se  queixaram de que o salário de julho, ainda não tinha sido pago a 13 de  agosto, tendo sido liquidado no dia seguinte, sexta-feira.

O que lhes  trouxe transtornos em período de férias. Atraso que Mário Pereira  confirma, mas que explica pelo facto de as Finanças terem obrigado à  mudança do número de contribuinte, o que provocou complicações  burocráticas em termos de movimentação de contas bancárias: “Não há,  nem nunca houve salários em atraso, temos uma ótima saúde financeira”,  garante. Os mesmos trabalhadores lamentam, ainda, que o Colégio pague  o ordenado mensal apenas ao dia oito, facto que lhes complica o cumprimento dos compromissos: ”pagámos religiosamente ao dia oito, e a  lei permite que seja feito até ao dia 11”, explicou.

Gestão danosa

Criado pela empresa Ensine-Ser, que pertencia ao grupo Ensinave que geria o ISAVE – Instituto Superior de Saúde do Vale do Ave, da Póvoa de  Lanhoso, o Colégio das Sete Fontes faliu em 2012, seguindo as pisadas  da casa-mãe. Foi reativado em 2014, e agora adquirido pelo João Paulo II, entidade que nada tem a ver com o caso em questão. O seu antigo administrador, José Henriques, foi acusado em 2018 pelo Ministério  Público de gestão danosa.

Anúncio

Braga

Francisco Mota assume a presidência interina da Juventude Popular

Ex-líder da concelhia de Braga da JP

em

Foto: Divulgação / JP Braga

A presidência interina da Juventude Popular (JP) foi assumida por Francisco Mota, na sequência da eleição de Francisco Rodrigues dos Santos para a direção do CDS-PP, no último congresso nacional, anunciou hoje o partido.

Francisco Mota, que tinha sido eleito vice-presidente da JP no seu último congresso nacional, em 2018, assumiu a presidência interina da organização – até ao próximo congresso -, em resultado da decisão tomada numa reunião da Comissão Política Nacional (CPN), que decorreu no sábado em Coimbra.

Citado num comunicado enviado às redações o novo líder nacional da JP diz assumir “com orgulho o património e o percurso” deixados pelo atual presidente do CDS.

Francisco Mota adiantou ainda que vai focar-se “na reorganização interna, na aposta na implantação local, no diálogo estruturado com as organizações de juventude e na valorização da formação com vista ao próximo combate político que são as eleições autárquicas.”

Para o presidente da JP “é hora de colocar na agenda política o compromisso intergeracional”, de “romper com o poder instalado” e com a ideia de que “não há esperança num futuro diferente”.

Afirmando-se como a única juventude partidária de direita em Portugal, a JP assume “sem complexos” a intenção de dar voz às novas gerações e “sem as amarras do socialismo”, combater o “politicamente correto e a ditadura de opinião imposta pela esquerda.”

Para além do cargo de vice-presidente da JP, Francisco Mota tinha liderado no passado a concelhia de Braga da juventude partidária, que agora fica incumbido de presidir até ao próximo congresso da organização, previsto para o mês de novembro.

Continuar a ler

Braga

Braga investe 60,3 milhões nos TUB até 2029

Mobilidade e transportes públicos

em

Foto: Divulgação

A Câmara de Braga vai investir 60, 3 milhões de euros, de 2020 a 2029, na empresa municipal dos Transportes Urbanos (TUB), no quadro de um contrato de concessão do serviço público de transporte de passageiros.

Este ano, o valor a transferir pela Autoridade Municipal de Transportes é de 5, 4 milhões, verba que vai aumentando até atingir os 6,2 milhões em 2029.

Na proposta que será debatida, segunda-feira, numa reunião pública extraordinária do executivo municipal, o presidente da Câmara, Ricardo Rio e o vereador do pelouro, Miguel Bandeira pedem aos vereadores que aprovem a proposta, de modo a que possa ser votada na Assembleia Municipal o Contrato de Concessão e a respetiva autorização de despesa.

Ricardo Rio e Miguel Bandeira. Foto: DR

Na ocasião, será, também, votada uma outra proposta, uma adenda ao Contrato-Programa para 2020, prevendo a atribuição de mais 219 mil euros, valor justificado com o facto de esta empresa municipal vir a assumir, a partir de julho, a gestão do espaço cultural Gnration.

Na reunião, que terá lugar pelas 18h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, estarão, ainda em análise, a proposta de reformulação dos representantes nos conselhos gerais de escolas e o contrato interadministrativo de delegação de competências na União de Freguesias de Santa Lucrécia de Algeriz e Navarra.

A ordem de trabalhos está disponível para download.

Continuar a ler

Braga

Tribunal de Braga lê “sentença” de homem acusado de tentativa de homicídio numa rixa

Tribunais

em

Foto: O MINHO (Arquivo)

O Tribunal de Braga procede, esta segunda-feira, à leitura do acórdão do julgamento de um homem de Barcelos, José Miranda, que foi acusado pelo Ministério Público, em processo comum e com intervenção do Tribunal Coletivo, em autoria material, da prática de um crime de homicídio qualificado, na forma tentada contra Luís Ferreira, que é assistente (ofendido), no caso.

A acusação diz que, naquela noite, José Miranda e cinco amigos tentaram forçar diálogo com três amigas de Luís Ferreira, entre as quais a namorada, que estavam nas cercanias de um café-bar.

As mulheres rejeitaram a tentativa de conversa e o Luís Ferreira interveio pedindo ao José Miranda para se afastar. De seguida, o arguido partiu uma garrafa de cerveja contra a parede, colocando-a em riste e disse ao Luís Ferreira: “Tu ficas já aqui, filho da puta!”, espetando-lhe a garrafa na têmpora. Este facto obrigou-o a internamento hospitalar, causando-lhe uma ferida que resultou numa cicatriz de 7 centímetros.

Continuar a ler

Populares