Seguir o O MINHO

Braga

Bom Jesus é dos locais mais ‘instagramáveis’ da Europa, diz televisão pública belga

Concorda?

em

Foto: Blogger "umpinguinho"

A nomeação de Braga como o segundo destino europeu do ano de 2019 está na base da classificação da cidade como uma das mais instagramáveis da Europa, sobretudo graças ao escadório do Bom Jesus, ou assim o diz a estação de televisão pública belga RTBF.


 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Yoswer Zambrano📷 (@yoswerz) a

Mas nem tudo é positivo. Esta descrição do monumento religioso parte de um princípio que, hoje em dia, há uma maior procura de destino de férias, não pelas memórias em si, mas sobretudo pelo enquadramento de fotografias para redes sociais.

A RTBF questiona como é que Braga ficou à frente de Florença na lista de melhores destinos europeus. A resposta? Instagram. Os belgas dizem que “Braga é muito fofa” indicando que já realizaram um trabalho na urbe bracarense “há 7 anos, quando o Norte de Portugal não era tão turístico”, mas que isso por si só não deveria chegar para ultrapassar uma cidade como Florença, à qual apelidam de “jóia de cultura, gastronomia e arte italiana”.

Os belgas acreditam que o escadório do Bom Jesus é o monumento que mais força dá a Braga e que existe um desejo na procura pela “escadaria instagramável” que passa no feed de Instagram de utilizadores um pouco por todo o mundo.

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por zúlia (@juhzs_) a

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Claudia Rackow (@claudiarackow) a

 

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por Francesca De Luca (@fraanceschinaaa) a

 

Sobre o escadório, “nada a dizer”. “É soberbo”, referem, dando também destaque à Sé Catedral e “às poucas ruas comerciais” do centro da cidade. “Mas daí até propor a cidade como segundo melhor destino turístico… Temos as nossas dúvidas”, escrevem.

O texto surge a propósito de uma nova profissão que começa a existir em alguns destinos turísticos mundiais. o “instabutler“, uma espécie de mordomo para o Instagram.

Explica a publicação que quem vai de férias para um lugar exótico e, ao lado do tradicional concierge de hotel que prepara atividades e passeios, já pode contar com quem o leve aos locais “mais instagramáveis” da região.

E para isso, o instabutler vai equipado com uma variedade de acessórios e sabe as horas em que as fotos serão mais bonitas ou os monumentos que melhor se encaixam numa foto de perfil nas redes sociais.

A National Geographic Portugal publicou em julho deste ano a lista das 10 cidades “mais instagramáveis” de Portugal, e Braga não foi incluída.

Lisboa, Porto, Coimbra, Águeda, Aveiro, Obidos, Peniche, Alcácer do Sal, Seia e Faro foram as cidades escolhidas pela publicação.

Se Braga é, ou não, um dos locais favoritos para retratar momentos apelativos para as redes sociais, não sabemos, mas a verdade é que foi eleito o segundo melhor destino turístico europeu em 2019. E isso ainda parece suscitar discussão em alguns países.

Anúncio

Braga

Braga marcou presença no maior evento sobre cidades inteligentes do Norte da Europa

Ambiente

em

Foto: Divulgação / CM Braga

Ricardo Rio, presidente da Câmara de Braga, é um dos oradores da sexta edição da Nordic Edge Expo, o mais importante evento sobre cidades inteligentes do Norte da Europa, que este ano acontece digitalmente.

O evento é transmitido a partir de vários palcos em toda a Europa, ao mesmo tempo que permite sessões paralelas e networking.

O autarca bracarense participou num painel destinado a cidades europeias que estabeleceram o objetivo de atingiram a neutralidade carbónica até 2030, na qual também se incluíram representantes de Stavanger (Noruega), Turku (Finlândia), Košice (Eslováquia) e Pamplona (Espanha).

“A sustentabilidade é uma questão crucial que temos assumido como prioridade da nossa actuação, tão importante como o desenvolvimento económico, a dinamização cultural ou as políticas sociais que implementamos. Acreditamos que o futuro da cidade e a qualidade de vida dos nossos cidadãos está diretamente ligada ao desenvolvimento sustentável da cidade no seu todo”, referiu.

De acordo com o edil, a Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas de Braga, elaborada em 2016, apresenta várias iniciativas ligadas à eficiência energética e mobilidade sustentável, dois domínios que elencou como essenciais numa perspectiva de futuro.

“Temos investido em fontes de energia limpas e muitos dos serviços municipais são já alimentados por energia solar. Em termos de mobilidade, temos desenvolvido projectos que visam dar prioridade aos peões, modos suaves e transportes públicos, sendo que 30% da nossa frota de autocarros é constituída por veículos eléctricos ou movidos a gás natural”, disse.

Por fim, Ricardo Rio lembrou que, no contexto da Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, o Município tem trabalhado em total sintonia com os agentes locais (empresas, universidades, start-ups, centros de investigação e desenvolvimento, etc.) e a comunidade.

“A colaboração entre instituições e cidadãos é crucial para se preparar uma abordagem consistente a estes assuntos e todos estarem comprometidos com as metas propostas. Estamos a trabalhar para construir uma cidade inteligente e inovadora, alinhada com as preocupações ambientais e medidas que temos de seguir para garantir a neutralidade carbónica”, sublinhou.

A este propósito, o autarca assumiu que Braga quer estar no grupo de cidades europeias que pretendem demonstrar a possibilidade de atingir a neutralidade carbónica até 2030, objetivo para o qual considera crucial a concretização de projetos que moldem de raiz o território como verdadeiras cidades da inovação e conhecimento.

A Nordic Edge Conference conta com palestras, workshops interactivos, eventos de networking e uma exposição digital, explorando as oportunidades e desafios para as cidades se tornarem neutras para o clima até 2030.

Continuar a ler

Braga

Irmãos de Braga premiados em concurso internacional sobre jornalismo ambiental

Ambiente

em

Foto: Diulgação

Os irmãos José Diogo e Luís Martins, estudantes do Colégio D. Diogo de Sousa, em Braga, foram premiados no concurso internacional sobre jornalismo ambiental “Young Reporters for the Environment 2020”.

Os jovens estudantes do Colégio D. Diogo de Sousa foram distinguidos pelo Júri Internacional desta competição com menção honrosa em Foto Campanha (2.º Lugar em fotorreportagem), Vídeo Campanha (3.º lugar) e menção honrosa em Colaboração Internacional.

Este jovens realizaram investigações acerca de questões de sustentabilidade, com enfoque no ambiente, observando questões, problemas e soluções.

Os dois irmãos já tinham sido premiados no concurso nacional Jovens Repórteres pelo Ambiente, o que lhes valeu a possibilidade de concorrer nesta competição internacional na qual deixaram a sua marca.

Nesta atividade promovida pela Coordenação Internacional, que visa promover e premiar o trabalho dos jovens jornalistas de ambiente, participaram 45 países da rede Young Reporters for the Environment.

Este ano, a coordenação internacional contou com 182 trabalhos a concurso. A representação de Portugal dos JRA contou com nove trabalhos selecionados para a final internacional do YRE 2020, tendo sido distinguidos cinco deles.

Continuar a ler

Braga

Braga entre as cinco melhores cidades do mundo para viver na reforma

Ranking da revista International Living

em

Foto: DR / Arquivo

A revista International Living incluiu Braga numa ‘shorlist’ de cinco cidades mais pequenas, menos conhecidas e economicamente mais acessíveis no mundo ideais para viver a reforma.

A lista The 75 Best Towns and Cities For Retirement – by region destaca, segundo a publicação, locais que oferecem “um estilo de vida rico em cultura, excelentes infraestruturas e restaurantes e entretenimento de primeira classe”.

“Como tantas cidades em Portugal, a história de Braga foi influenciada pela ocupação romana, e a arquitetura e a paisagem da cidade lembram vividamente aqueles dias antigos”, refere a International Living, destacando as muitas “igrejas, capelas e conventos”, mas também a Universidade do Minho, que acrescenta “diversidade à população, com alunos Erasmus vindos de toda a Europa”.

“Essa influência jovem dá impulso a uma cidade que de outra forma seria muito tradicional”, escreve a publicação.

A revista destaca também o clima moderado, que permite “fazer o que quiser, dentro e fora de casa, praticamente o ano todo”.

“Quando se trata de uma reforma confortável e acessível, as cidades mais pequenas podem ser uma boa opção – quando oferecem a vitalidade de um estilo de vida cosmopolita, mas sem as multidões ou os elevados custos de vida numa grande cidade”, considera Jennifer Stevens, editora executiva da International Living, citada em comunicado.

“Da nossa lista completa de 75 vilas e cidades que merecem atenção – todas em países que fazem parte do nosso Global Retirement Index – destacamos cinco pequenas cidades onde já existe uma comunidade de expatriados, onde têm acesso a cuidados médicos confiáveis e acessíveis, o clima é confortável e o estilo de vida oferece diversões atrativas – de praias a grandes ofertas de arte. E, no final de contas, o custo de vida é baixo enquanto a qualidade de vida é alta”, acrescenta ainda, citada pelo site Idealista.pt.

Além de Braga, a revista destacou ainda Toulouse, em França, Corozal, em Belize, Loja, no Equador e Dalat, no Vietname.

A International Living já tinha elegido Portugal como o melhor país para viver na reforma em 2020.

Continuar a ler

Populares