Seguir o O MINHO

Alto Minho

Bióloga de Valença ganha prémio da Royal Society of Biology

em

Joana Moscoso, natural de Valença, recebeu o prémio de Comunicação de Ciência da Royal Society of Biology. Este prémio, atribuído a investigadores a trabalhar no Reino Unido que se destaquem no mundo da comunicação e ciência, foi atribuído a Joana Moscoso devido ao projeto Native Scientist, da qual é co-fundadora e às atividades de divulgação de ciência no Imperial College London, lugar onde trabalha desde 2009.

Em declarações ao Observador, a investigadora lusa considerou que este “é um dos maiores prémios atribuído a indivíduos por uma sociedade científica no Reino Unido”, acrescentando que  “o prémio é importante porque valoriza não só as ações a nível da divulgação científica, mas também a qualidade do percurso científico do investigador”.

O projeto Native Scientist tem como objetivo levar cientistas portugueses emigrados no Reino Unido às escolas inglesas onde existem alunos portugueses, de forma a existir uma partilha de experiências e conhecimentos. A iniciativa, com dois anos de idade, já chegou a mil crianças.

“O ano passado começámos a realizar atividades em França e este ano contamos implementar o projeto pelo menos na Alemanha”, afirmou a co-fundadora ao Observador.

Joana Moscoso, que no ano passado ganhou o prémio de comunicação de ciência da Sociedade Geral de Microbiologia, estudou na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Este prémio, no valor de 1.500 libras (mais de dois mil euros) vai ajudar no período de pausa que a investigadora decidiu fazer, entre o primeiro pós-doutoramento, recém-terminado no Imperial College, e o segundo, que irá começar no i3S, no Porto.

De acordo com o Observador, os prémios anuais da Sociedade pretendem “recompensar o trabalho de envolvimento na ciência levado a cabo por cientistas de forma a informar e inspirar o público”.

“É uma honra ver reconhecido pela comunidade científica o nosso esforço e empenho, especialmente quando o esforço é genuíno e se exerce em campos que fogem do tradicional”, sublinhou a investigadora lusa.

Anúncio

Alto Minho

Vila Praia de Âncora vai ter nova unidade hoteleira de quatro estrelas

Investimento de 4 milhões vai criar 29 postos de trabalho

em

Foto: Luís Valadares / CM Caminha / Divulgação (Arquivo)

Um investimento de quatro milhões de euros de um promotor local vai fazer nascer em Vila Praia de Âncora, em Caminha, uma unidade hoteleira de quatro estrelas que criará 29 postos de trabalho, informou hoje a Câmara local.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, adiantou que “o promotor é a Vale do Âncora – Empreendimentos Turísticos, com sede no concelho e criada para o efeito, sendo que a intenção da empresa é ter o projeto aprovado ainda este ano para poder arrancar com as obras de imediato”.

Na segunda-feira, a maioria socialista na Câmara de Caminha aprovou a proposta de “reconhecimento de relevante interesse público municipal” ao investimento naquele empreendimento turístico, medida que terá ainda de ser submetida à apreciação da Assembleia Municipal.

“O sim da Câmara ao investimento é inequívoco e vem ao encontro do esforço que o município tem vindo a fazer na qualificação da oferta turística, com resultados oficialmente reconhecidos”, disse Miguel Alves, citado na nota hoje enviada à imprensa.

No documento, a autarquia explica que o novo hotel, que “deverá chamar-se Âncora – River & Nature, terá 51 unidades de alojamento, com capacidade para acolher 108 pessoas por dia, sendo suscetível de gerar um volume de negócios da ordem de 1,5 milhões de euros por ano”.

O novo complexo “terá ainda impacto no mercado de trabalho, com a criação de 29 novos postos de trabalho”.

A unidade hoteleira, “a construir de raiz, envolverá também espaços destinados à promoção de atividades complementares, favorecidas, como os promotores destacam, pela proximidade e relação com o rio Âncora, qualificando-se ao mesmo tempo a oferta turística do território e, referem, em especial a promoção da vertente de sustentabilidade e valorização do património natural e paisagístico”.

“Estima-se que, anualmente, os 22 mil potenciais hóspedes e toda a dinâmica associada ao complexo possam fazer subir os proveitos do setor no concelho em cerca de 25%”, acrescenta a nota.

O aldeamento turístico “vai nascer num prédio rústico com cerca de 44 mil metros, ocupando menos de metade desta área e preservando as zonas próximas do rio e a vegetação a elas associada”.

A propriedade em causa fica na Rua da Valada, lugar de Telheira, em Vila Praia de Âncora.

O reconhecimento de Relevante Interesse Público Municipal a atribuir ao empreendimento turístico “é necessário para a obtenção da parte da Reserva Agrícola Nacional (RAN)”, onde está previsto o hotel.

Para a atribuição daquele reconhecimento, a autarquia adiantou ter “considerado todos os aspetos envolvidos, nomeadamente a vocação e a aposta que tem vindo a ser feita na área do turismo, a que acresce ainda a relevância económica para o concelho”.

“O processo foi acompanhado por um estudo económico que demonstra o impacto altamente positivo deste investimento, quer na criação de emprego quer na dinamização da economia local”, sustenta o município.

Continuar a ler

Alto Minho

Acidente de trabalho faz um morto em zona industrial de Viana

Na fábrica do grupo francês Steep Plastique, em Lanheses

em

Foto: DR / Arquivo

Um acidente de trabalho causou hoje a morte a um trabalhador de 50 anos que manobrava uma empilhadora numa empresa instalada na zona industrial de Lanheses, em Viana do Castelo, disse à Lusa o comandante dos bombeiros sapadores.

Segundo António Cruz, “o acidente de trabalho aconteceu quando a vítima manobrava um empilhador”, desconhecendo-se ainda as circunstâncias em que ocorreu o acidente na fábrica do grupo francês Steep Plastique, na zona industrial de Lanheses.

O alerta foi dado pelas 11:56.

Ao local compareceram 13 operacionais e quatro viaturas dos Bombeiros Sapadores e Voluntários de Viana do Castelo, uma ambulância e a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

Continuar a ler

Alto Minho

Quatro feridos em colisão em Ponte de Lima

Na rotunda dos Corvos, em Anais

em

Foto: V. Carlos / Via Ocorrências no Norte (Facebook)

Uma colisão rodoviária entre duas viaturas ligeiras, na rotunda dos Corvos, em Anais, concelho de Ponte de Lima, provocou, esta segunda-feira à noite, quatro feridos, “todos ligeiros”, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

Segundo a fonte, as vítimas, cujas idades ainda não foi possível apurar, foram transportadas para o Hospital de Braga.

Foto: V. Carlos / via Ocorrências no Norte (Facebook)

Para o local foram mobilizados 12 operacionais, depois do alerta ter sido recebido, cerca das 21:31.

A GNR de Freixo tomou conta da ocorrência.

(em atualização) 

Continuar a ler

Populares