Seguir o O MINHO

Região

Bienal Internacional de Arte de Cerveira conquista selo europeu pelo terceiro ano consecutivo

Visa reconhecer a qualidade dos festivais europeus

em

Foto: Bienal de Cerveira

A Fundação Bienal de Arte de Cerveira voltou a ser reconhecida pela terceira vez com o selo “EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe” para o biénio 2018-2019.

Trata-se de uma distinção promovida pela European Festivals Association, com o apoio da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu, que visa reconhecer a qualidade dos festivais europeus.

Nas palavras do presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, Fernando Nogueira, “é para nós uma honra ver distinguida a bienal de arte mais antiga do país no contexto artístico europeu. Este selo contribui, sem dúvida, para reforçar o reconhecimento internacional do evento e de Vila Nova de Cerveira, como um hub cultural de excelência”.

Os vencedores do Selo EFFE não beneficiam apenas do reconhecimento pelo seu trabalho e valor, como também de uma maior visibilidade e de novas oportunidades de trabalho em rede, uma vez que alarga o envolvimento com a comunidade artística.

Anúncio

Aqui chegado…

...temos uma pequena mensagem para partilhar consigo. Cada vez mais pessoas lêem O MINHO, jornal estritamente digital, líder de audiências. Ao contrário de outros órgãos de informação, optámos por não obrigar os leitores a pagarem para lerem as nossas notícias, mantendo o acesso à informação tão livre quanto possível. Por isso, como pode ver, precisamos do seu apoio.

Para podermos apresentar-lhe mais e melhor informação, que inclua mais reportagens e entrevistas e que utilize uma plataforma cada vez mais desenvolvida e outros meios, como o vídeo, precisamos da sua ajuda.

O MINHO é um órgão de comunicação social independente (e sempre será). Isto é importante para podermos confrontar livremente todo e qualquer tipo de poder (político, económico ou religioso) sempre que necessário.

Inspirados na filosofia seguida pelo jornal inglês "The Guardian", um dos mais importantes órgãos de comunicação do Mundo, também nós achámos que, se cada pessoa que lê e gosta de ler O MINHO, apoiar o futuro do nosso projeto, este será cada vez mais importante para o desenvolvimento da sociedade que partilhamos, a nível regional. Pela divulgação, partilha e fiscalização.

Assim, por tão pouco como 1€, você pode apoiar O Minho - e só demora um minuto. Obrigado.

Região

Sindicato quer audiência com embaixador de Angola sobre Soares da Costa

A construtora, que está no meio de um Processo Especial de Revitalização (PER), deixou de pagar aos funcionários

em

Foto: DR/Arquivo

O Sindicato da Construção de Portugal quer pedir uma audiência ao embaixador de Angola por causa da situação da Soares da Costa, adiantou em comunicado.

O sindicato garante que “não defende a insolvência” da empresa “que muitos trabalhadores estão a pedir e com razão”.

“O cumprimento das dívidas da Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A. para com os trabalhadores que trabalham há muitas décadas na empresa passa por uma carteira de encomendas de obras para ocupação das centenas de trabalhadores que estão suspensos e outros que estão em casa com salários em atraso há muitos meses”, defende o sindicato.

O sindicato acredita que “esta situação será ultrapassada com o retomar das obras em Angola, que sempre foi um país de grande importância para que a Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A. fosse uma grande construtora”.

Por isso, a estrutura sindical acredita que “este problema não se resolve reivindicando junto de qualquer Tribunal” e sugere, “como sindicato mais representativo e que esteve sempre, desde a primeira hora, ao lado dos trabalhadores pelo pagamento dos salários, em conjunto com o secretário-geral da CGTP–IN, o senhor ministro dos Negócios Estrangeiros e a administração da empresa o pedido de uma audiência conjunta ao senhor embaixador de Angola”.

Esta posição é revelada na véspera de um plenário de trabalhadores da Soares da Costa, que decorrerá junto ao Tribunal do Comércio de Vila Nova de Gaia, com a participação de Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP, de acordo com a Comissão de Trabalhadores.

A construtora, que está no meio de um Processo Especial de Revitalização (PER), deixou de pagar aos funcionários, que têm optado por soluções como suspender os contratos de trabalho, para ter acesso ao subsídio de desemprego.

José Martins, do Sindicato da Construção e Cerâmica de Viana do Castelo e Norte disse em dezembro que este “já é o segundo PER que interpõe e os trabalhadores têm cerca de 10 milhões de euros em salários por receber”, valor que, incluindo os créditos condicionados, “atinge os 21 milhões de euros”.

Continuar a ler

Barcelos

CEO da F3M eleito Presidente do Conselho Geral do Politécnico do Cávado e do Ave

F3M, com sede em Braga, é uma das maiores empresas portuguesas especializadas em tecnologias de informação

em

Foto: Divulgação / IPCA

Pedro Tinoco Fraga, CEO da F3M Information Systems, S.A. foi eleito, esta terça-feira, por unanimidade, presidente do Conselho Geral do Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA).

Em comunicado, o Politécnico, com sede em Barcelos, explica que “o presidente eleito tem desenvolvido atividades no âmbito do associativismo empresarial, integrando vários órgãos de entidades empresariais e do sistema universitário. Fruto do reconhecimento do seu trabalho em prol do crescimento económico na região, Pedro Fraga foi em 2018 agraciado com a medalha de Mérito Empresarial da cidade de Braga”.

“No que depender deste Conselho, tudo vamos fazer para que o IPCA continue a fazer história como tem vindo fazer e fez com o antigo presidente”, disse Pedro Fraga, após ter sido eleito, agradecendo o trabalho do seu antecessor, e endereçando as suas primeiras palavras à presidente do IPCA, Maria José Fernandes.

Segundo aquela nota, a Maria José Fernandes ficou agradada com a eleição do novo presidente do Conselho Geral referindo que “o IPCA ficaria bem representado com qualquer um dos membros externos. Foi eleito o Pedro Fraga, o que muito nos honra pelas qualidades ímpares que demonstra a sua atuação no tecido empresarial da região, a quem felicito e desejo um bom trabalho agora enquanto presidente deste órgão estratégico do IPCA”.

Para além do presidente eleito, integram ainda o Conselho Geral do IPCA as seguintes personalidades externas: Filomena Moreira, vice-presidente do Conselho Diretivo da Ordem dos Contabilistas Certificados; Jorge Saleiro, diretor do Agrupamento de Escolas de Barcelos; Jorge Silva, CEO da Osit Group (Prozis); Maria do Rosário Azevedo, diretora executiva da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Ave; Nuno Mangas, presidente do IAPMEI e Ricardo Costa, CEO do Grupo Bernardo da Costa e da BC Segurança.

No decorrer da reunião de hoje foi ainda eleito o secretário do Conselho Geral do IPCA, Vítor Carvalho, diretor da Escola Superior de Tecnologia.

A tomada de posse dos membros internos do Conselho Geral, representantes dos professores e dos investigadores; do representante do pessoal não docente e dos representantes dos estudantes, realizou-se no dia 19 de dezembro de 2018.

A esta data, 19 fevereiro, o Conselho Geral do IPCA entra em plenitude das suas funções.

Continuar a ler

Região

Emirates anuncia novo voo entre Porto e Dubai a partir de julho

Com operação quatro vezes por semana

em

Foto: Divulgação

A companhia aérea Emirates Airline vai lançar um novo voo entre Porto e Dubai (Emirados Árabes Unidos) no próximo dia 02 de julho com operação quatro vezes por semana por um Boeing 777-300 ER, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado de imprensa, a Emirates, considerada a principal companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos, anuncia um novo voo entre o Dubai e Porto que vai ser operado às “terças, quintas, sábados e domingos”, partindo do Dubai às 09:15 e chegando ao Porto às 14:30.

O voo de regresso parte do Porto às 17:35 e aterra no Dubai às 04:15 da manhã seguinte, um horário que segundo a Emirates, permitirá “aos passageiros ligações mais fáceis e convenientes aos voos (…) para os destinos mais procurados como Luanda, Joanesburgo, Banguecoque, Xangai, Hong Kong, Melbourne e Sydney, entre outros”, refere o comunicado.

O presidente da Emirates Airline, Tim Clark, refere que o Porto está atualmente a desfrutar de maiores níveis de turismo, o que acaba por se refletir no crescimento do número de visitantes para Portugal como um todo.

“A introdução deste novo voo, juntamente com o nosso serviço de dois voos diários para Lisboa, ajudará a satisfazer esta crescente procura de passageiros que viajam em lazer e em negócios, bem como a proporcionar-lhes mais opções, maior flexibilidade e conectividade ao viajar para Portugal”, acrescenta Tim Clark.

Com este novo voo, a Emirates Airline os passageiros do Norte de Portugal terão acesso direto à rede global da Emirates, através do Dubai, e o Porto transforma-se no verão no “segundo destino daquela companhia em Portugal, depois de Lisboa, para onde voa atualmente com dois serviços diários.

O novo voo será operado por um Boeing 777-300ER, numa configuração de três classes, oferecendo oito ‘suites’ privadas na primeira classe, 42 assentos reclináveis na classe executiva e 310 assentos na classe económica.

A companhia aérea Emirates foi fundada em 1985 com duas aeronaves e voa atualmente para 158 destinos, em 86 países, em seis continentes.

Continuar a ler

Populares