Seguir o O MINHO

Alto Minho

Bienal de Arte de Cerveira em mostra na Galiza

em

Foto: DR/Arquivo

A Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) informou esta quarta-feira ter sido uma das instituições convidadas para representar Portugal na 10.ª edição da “Culturgal – Feria de las Industrias Culturales”, em Pontevedra, na Galiza.

Em nota enviada à imprensa, a FBAC adiantou que vai estar representada com uma mostra da coleção de arte contemporânea, entre outras atividades.

A “Culturgal” é um evento anual que decorre no Pazo da Cultura de Pontevedra, cujo objetivo é mostrar o que de novo se faz nas mais diversas áreas da criação cultural.

Para além de algumas obras de arte contemporânea da coleção do museu Bienal de Cerveira, que reúne cerca de 600 peças avaliadas em mais de um milhão de euros, a FBAC apresentar uma pintura ao vivo de um mural com mais de 13 metros pelo pintor Ricardo de Campos, sendo que o espaço da bienal mostrará ainda pintura dedicada aos mais novos.

Anúncio

Alto Minho

Presidente da Câmara de Viana doa salário para ajudar sem-abrigo e pobres

Covid-19

em

Foto: Divulgação / Arquivo

O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse hoje que vai dar o seu salário de abril, de 2.500 euros líquidos, ao refeitório da paróquia de Nossa Senhora de Fátima, que serve diariamente cerca de 200 refeições.

No comunicado enviado às redações a informar da decisão de entregar o vencimento deste mês, o socialista José Maria Costa destaca “o trabalho do refeitório social do Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora de Fátima, liderado pelo pároco Artur Coutinho, que serve diariamente cidadãos sem-abrigo e com extrema fragilidade económica”.

Em março, por proposta da maioria socialista, o executivo municipal aprovou, por unanimidade, “um apoio extraordinário de 20 mil euros” a esta instituição particular de solidariedade social, “cujo refeitório social está a servir cerca de 200 refeições por dia”.

Esta valência do Centro Social e Paroquial foi criada em 1990, inicialmente num espaço com capacidade para servir 36 utentes, que ali recorrem para ir buscar o almoço ou o jantar.

As novas instalações, num investimento de cerca de 250 mil euros, construídas com verbas do Centro Social da paróquia e com apoio da autarquia e do Centro Distrital da Segurança Social, abriram em agosto 2019, para responder ao aumento do número utentes que a antiga estrutura não tinha capacidade.

A paróquia de Nossa Senhora de Fátima, com outras valências de apoio social à infância, juventude e terceira idade, foi fundada 08 de dezembro de 1967, e o Centro Social surgiu em 1982. Tem atualmente cerca de 60 trabalhadores.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 94 mil.

Dos casos de infeção, mais de 316 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

Dos infetados, 1.173 estão internados, 241 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 205 doentes que já recuperaram.

 

Notícia atualizada às 23h19 com mais informação.

Continuar a ler

Alto Minho

Covid-19: Confirmada primeira morte de utente em lar da misericórdia de Viana

Coronavírus

em

Foto: DR / Arquivo

A comissão municipal da Proteção Civil de Viana do Castelo confirmou a morte, hoje, de um dos dois utentes do lar de Santiago pertencente à Misericórdia local infetados pelo novo coronavírus.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a comissão municipal, que hoje se reuniu para analisar a situação para analisar os últimos dados dos registos covid-19 no concelho, adiantou que “a Autoridade de Saúde, em articulação com a direção do lar e a Segurança Social, já efetuou o rastreio de todos os utentes da instituição e dos respetivos funcionários e colaboradores, tendo também sido tomadas internamente as medidas de confinamento e de prevenção adequadas”.

“Face à dificuldade de recursos humanos no âmbito dos serviços de apoio da instituição, foi ativado o protocolo da bolsa de recursos humanos, estando em fase de admissão voluntários para suprir as necessidades atuais”, acrescenta.

Na nota, aquela entidade especifica que a Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo “está também a realocar recursos de outras valências para a unidade do Lar de Santiago”.

“O município de Viana do Castelo, a partir de hoje, vai fornecer as refeições a esta Instituição durante o período em que existirem dificuldades dos recursos humanos do Lar de Santiago. A direção da Segurança Social de Viana do Castelo vai também fornecer equipamentos de proteção individual ao Lar de Santiago, medida que vai ser ampliada a outras instituições de acolhimento residencial de idosos”, refere o comunicado.

Além da situação no lar de Santiago, um dos dois pertencentes à Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo, que acolhe 53 idosos, “foram analisadas as situações do centro social de promoção cultural de Darque”, o primeiro do concelho a confirmar casos de infeção por covid-19.

A nota não especifica o número atual de utentes infetados de caso detetados.

Na reunião da comissão municipal da Proteção Civil de Viana do Castelo, marcaram presença o presidente da Câmara, a vereadora da Coesão Social, o Comandante Operacional Distrital da Proteção Civil, a Autoridade de Saúde de Viana do Castelo, a diretora distrital da Segurança Social, o Presidente da Unidade Local Saúde Alto Minho (ULSAM), estando também presente a Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Viana do Castelo.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 89 mil.

Dos casos de infeção, mais de 312 mil são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 409 mortes, mais 29 do que na véspera (+7,6%), e 13.956 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 815 em relação a quarta-feira (+6,2%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado no dia 02 de abril na Assembleia da República.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 de março o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Continuar a ler

Alto Minho

Segunda revisão ao PDM de Cerveira dificultada por condicionalismos causados por pandemia

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira admitiu que a segunda revisão ao Plano Diretor Municipal (PDM), hoje iniciada, vai ser afetada pelos “condicionalismos” decorrentes da pandemia de covid-19 e garantiu “criatividade” para “ultrapassar as limitações”.

“Com esta situação de pandemia de covid-19 vai ser mais difícil, na fase de auscultação da população, realizar esses contactos. Vamos tentar fazer alguma auscultação pelas vias que temos disponíveis, pela Internet, por email ou telefonicamente. É um condicionalismo imediato que obriga a que sejamos criativos para ultrapassar essas limitações”, afirmou hoje, Fernando Nogueira.

Contactado pela agência Lusa a propósito da publicação, hoje, em Diário da República(DR), do aviso da segunda revisão ao PDM, Fernando Nogueira disse esperar que a situação pandémica que o país atravessa seja “rapidamente” ultrapassada para que o trabalho “no terreno” possa avançar.

“Temos mesmo de ir para o terreno para auscultar a população, as Juntas de freguesia, num périplo necessário para explicar o que está em causa e para pedir sugestões”, sustentou o autarca.

De acordo com o aviso hoje publicado em DR a participação publica decorre no prazo de 15 dias, a contar da sua publicação.

O PDM de Vila Nova de Cerveira, entrou em vigor em 1995 e sofreu a primeira revisão em 2012.

De acordo com Fernando Nogueira a segunda revisão, decorrente da legislação, pretende “adaptar” aquele instrumento “ao futuro, às novas realidades, à economia circular, à valorização ambiental e do território”.

Entre as “maiores condicionalismos e dificuldades” que irá criar destacou as “limitações à construção nas aldeias”.

“O lado positivo desta revisão prende-se com a valorização ambiental. A parte menos agradável para o cidadão comum está relacionada com as limitações à construção nas zonas rurais”, referiu.

A segunda revisão do PDM de Vila Nova de Cerveira “assenta numa estratégia de desenvolvimento local, que identifica como principais objetivos a estratégia de promoção das atividades económicas, de acolhimento empresarial, o reforço das políticas de habitação municipal, privilegiando a reabilitação do edificado devoluto.

Prevê ainda “a valorização dos espaços naturais através da criação da Paisagem Protegida Regional, a promoção da resiliência económica e social, capacitando o território para as adaptações necessárias num contexto de alteração do paradigma económico-social, a integração de medidas de adaptação às alterações climáticas, ao nível dos conteúdos e do normativo dos planos territoriais e uma gestão inteligente do território através da transformação digital”.

Continuar a ler

Populares