Seguir o O MINHO

Braga

Banco Europeu de Investimento empresta 25 milhões à TMG para inovar nos têxteis automóveis

Empresa de Vila Nova de Famalicão vai criar 106 postos de trabalho.

em

Têxtil Manuel Gonçalves (TMG) foi fundada em Vale S. Cosme, Vila Nova de Famalicão, há 81 anos. Foto: DR / Arquivo

O Banco Europeu de Investimento (BEI) vai emprestar 25 milhões de euros à TMG Automotive para implementar “processos inovadores e sustentáveis” de fabrico de têxteis automóveis, criando 106 postos de trabalho, anunciou hoje aquela instituição europeia.

Em comunicado enviado à Lusa, o BEI, instituição da União Europeia que se dedica a empréstimos a longo prazo, explica que o referido empréstimo, cujo acordo de concretização foi esta manhã assinado em Braga, é feito ao abrigo ao orçamento da União Europeia no âmbito do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), o “principal pilar do Plano de Investimento para a Europa” e conhecido como o ‘Plano Juncker’.

Segundo o texto, a TMG vai “reabilitar e melhorar” as suas unidades industriais em Vila Nova de Famalicão e Guimarães, o que vai “impulsionar o crescimento e a coesão social” na região.

“A TMG utilizará o financiamento para implementar linhas de pesquisa e inovação que focam o uso de novas tecnologias que reduzam o impacto ambiental dos processos de produção de têxteis automotiveis. A implantação de novas soluções nos interiores também vai o peso dos veículos, o que, por sua vez, contribuirá para uma redução no consumo de combustível e nas emissões de poluentes”, explica no texto o BEI.

Empresas de Famalicão reconhecidas pela ONU

O investimento visa também tornar a TMG capaz de “competir numa indústria altamente exigente e responder aos desafios futuros do mercado” através do aumento da capacidade de produção daquela empresa.

Além disso, refere o BEI, será ainda promovida a “partilha de conhecimento dentro da indústria automotiva europeia”.

Para a vice-presidente do BEI, Emma Navarro, o acordo hoje assinado “demonstra o firme compromisso do BEI em apoiar empresas de médio porto que operam em ambientes altamente competitivos e em setores fundamentais para a economia europeia”.

Já o Comissário Europeu para Pesquisa, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, salientou que o acordo assinado mostra o melhor lado do Plano de Investimento para a Europa: “Isto é o ‘Plano Juncker’ no ser melhor. Dar às empresas o impulso financeiro necessário para se expandirem, usarem processos mais favoráveis ao meio ambiente, inovarem e criarem empregos para as comunidades locais, especialmente nas regiões que mais necessitam disso”, disse.

Segundo Carlos Moedas, com o acordo assinado “Portugal continua a liderar como um dos maiores beneficiários do ‘Plano Juncker'”.

Na cerimónia, a presidente da TMG, Isabel Furtado, apontou como estratégia da empresa “alinhar os direitos humanos com o crescimento económico sustentável e a proteção do meio ambiente” referindo que aqueles valores são “cruciais para o futuro da TMG Automotive “.

O texto realça ainda que o ‘Plano Juncker’, que será implementado até 2020, vai permitir ao BEI “alargar a sua capacidade de financiamento de projetos de investimento com elevado valor acrescentado que, no caso deste acordo, é promover o crescimento económico sustentável, a inovação e a coesão”

O Plano de Investimento para a Europa, conhecido como ‘Plano Juncker’, é, segundo o BEI, “uma das principais prioridades da Comissão Europeia e pretende aumentar o investimento para gerar empregos e crescimento, fazendo uso mais inteligente dos recursos financeiros, removendo os obstáculos ao investimento e fornecendo visibilidade e assistência técnica aos projetos de investimento”.

Populares