Seguir o O MINHO

Guimarães

Banco de Terras de Guimarães agrega 53 hectares de terrenos em menos de um ano

em

O Banco de Terras de Guimarães, “o primeiro em Portugal”, agregou 53 hectares de terrenos em menos de um ano de funcionamento, sendo que as terras serão agora passíveis de avaliação para arrendar, anunciou esta segunda-feira a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara Municipal de Guimarães adiantou que o Banco de Terras é “um instrumento através do qual os proprietários podem arrendar ao município terrenos abandonados, para que este os subarrende a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio agrícola ou de base rural.

Segundo o texto, àquele que é o primeiro Banco de Terras em Portugal, através da sua Incubadora de Base Rural (IBR Guimarães) aderiram 15 proprietários de 28 terrenos nas freguesias de de Airão S. João, Atães, Briteiros S. Salvador, Briteiros Sto. Estevão, Candoso S. Tiago, Fermentões, Gémeos, Gondar, Guardizela, Infantas, Longos, Rendufe, S. Faustino e Silvares.

O projeto, implementado em julho de 2017, visa “garantir que quem tem uma ideia de negócio tem terra disponível para o desenvolver”, explicou à data um dos responsáveis à Lusa, José Martino.

Segundo o responsável, as ideias de negócio que a incubadora se propõe a apoiar são em áreas como produção agrícola, florestal, indústria agroalimentar, serviços conexos e tecnologia aplicada.

“Além dos incentivos para os empreendedores, técnicos e económicos, o município vimaranense proporciona com este projeto o acesso a algo fundamental” para um negócio naquelas áreas: terra.

Desta forma, referiu Martino, o município pretende ainda “combater o abandono da terra”, criar emprego, desenvolver uma atividade económica no concelho” e fazer com que “quem já tem uma certa idade ou não tem vocação para explorar a terra a coloque na mão de quem tem interesse.

Os terrenos inscritos serão agora sujeitos a apreciação por uma Equipa de Gestão, que visita cada uma das parcelas e procede à sua avaliação e à elaboração do respetivo relatório, com indicação se podem ser aceites pelo Banco de Terras de Guimarães, do valor da renda, da aptidão agrícola e, ou das atividades passíveis de realização no terreno.

“As parcelas inscritas são seriadas em lista graduada por ordem decrescente do valor da renda, resultante do processo de avaliação e visita às parcelas”, lê-se.

Os proprietários, depois de notificados, podem, num prazo de dez dias pronunciarem-se sobre a avaliação e se aceitam os valores de renda que o município se propõe a pagar, no âmbito da celebração de contratos de arrendamento rural.

A Equipa de Gestão já deu início às visitas para avaliar os Terrenos Inscritos no Banco de Terras, tendo em conta as seguintes características: “Solo agrícola, fundo (solo com pelo menos 40 centímetros de profundidade), fertilidade (rico em fósforo, potássio, textura média ou grosseira ou ligeira ou fina, determinado por análise de solo ou avaliação do perfil de infestantes existentes), problemas de drenagem ou problemas limitados de drenagem (menos de cem metros quadrados de terreno com excesso de água)”, enumera o texto.

A autarquia contabiliza ainda a “água disponível para rega (pelo menos 30 metros cúbicos por hectare de água disponível para rega por dia nos meses entre maio e setembro), abaixada elétrica na parcela ou no limite do prédio, armazém agrícola em boas condições com a superfície mínima de 50 metros quadrados e acesso à parcela para camiões articulados”.

Anúncio

Guimarães

Obras no parque para apoio a igreja em Guimarães

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães revelou hoje que a freguesia de Atães passará a contar uma área reformulada na zona envolvente à igreja de S. Cosme e S. Damião com o objetivo de facilitar o acesso da população que ali desloque.

“[Este projeto] tem em atenção as necessidades de todo o território e da população em geral. Fizemos e estamos a fazer diversas obras nas freguesias, em articulação com as juntas, no sentido de fortalecer a coesão territorial e garantir um desenvolvimento global do nosso concelho”, refere o presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, citado numa nota da autarquia.

O autarca visitou as obras em Atães com o presidente da União de Freguesias de Atães e Rendufe, Patrício Araújo.

Em causa está a criação de uma zona de estacionamento para cerca de uma centena de viaturas, somando-se o alargamento da via, uma zona de lazer e obras de beneficiação no adro da igreja.

Continuar a ler

Guimarães

BMW de 92 mil euros, roubado em Guimarães, encontrado numa garagem em Gaia

Crime

em

Foto: Divulgação / GNR

Uma viatura de luxo furtada em Guimarães foi encontrada, na sexta-feira, numa garagem em Vila Nova de Gaia, após ação do Núcelo de Investigação Criminal da GNR.

Em comunicado, aquela polícia dá conta da recuperação da viatura, no valor de 92 mil euros, numa garagem de uma habitação em São Félix da Marinha, no concelho do distrito do Porto, após uma denúncia anónima.

Após diligências, os militares realizaram uma busca àquele domicílio, apreendendo a viatura, um pára-choques e duas matrículas alemãs falsificadas.

Foi identificado um homem de 31 anos, proprietário da habitação.

A viatura e o restante material foram recuperados e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Gaia.

Continuar a ler

Guimarães

Guimarães reabre portas a turistas com reforço no “Turismo de Natureza”

Turismo

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A Câmara de Guimarães prepara o desconfinamento no turismo, com a abertura, no próximo dia 01 de junho, do posto de turismo da Praça de São Tiago, com todas as medidas de higiene e segurança recomendadas pela DGS (e já com o selo ‘Clean & Safe’ do Turismo de Portugal).

Em comunicado, a autarquia refere que, até 30 de setembro, o posto irá funcionar de segunda a sexta-feira, das o9:30 às 19:00, aos sábados, das 10:00 às 19:00, e aos domingos e feriados, das 10:00 às 17:00.

A mesma nota dá conta de “uma aposta clara no segmento de Turismo de Natureza, no desenvolvimento sustentável do território e na diminuição da sazonalidade”: “Guimarães favorece uma relação harmoniosa entre cultura e natureza: do Centro Histórico Património Mundial avista-se um inigualável Património Natural”.

A autarquia pretende atingir as diretrizes europeias para o desenvolvimento sustentável e “contribuir para o posicionamento do concelho como um exemplo no balanço entre o património cultural e o seu património natural que se estende pelo território”, dando como exemplo os percursos pedestres de S. Torcato, Penha ou Briteiros, as Termas das Taipas e a Citânia de Briteiros, o Paço dos Duques, Castelo de Guimarães, Museus e a Basílica de São Torcato.

Apostam ainda no projeto Enoturismo, que inclui visitas guiadas às adegas com prova e compra de vinhos, participação nas atividades agrícolas e nas vindimas ou mesmo a dormida em algumas das quinta vinícolas associadas.

“Tudo isto no estrito cumprimento das mais exigentes regras sanitárias por parte dos operadores para que, para além do prazer dos sentidos, todos se sintam seguros”, conclui a autarquia.

Continuar a ler

Populares