Seguir o O MINHO

Região

Aviso amarelo por causa do calor a partir de quarta-feira

No Minho e em mais 10 distritos

em

Foto: DR / Arquivo

Braga e Viana do Castelo, no Minho, e mais dez distritos, no país, vão estar sob aviso amarelo, o menos grave, por causa do calor a partir de quarta-feira, uma situação que se deverá manter até final da semana, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA vai colocar a partir das 09:00 de quarta-feira em aviso amarelo estes doius distritos e os distritos de Évora, Guarda, Vila Real, Setúbal, Santarém, Lisboa, Leiria, Castelo Branco, Coimbra e Portalegre, por causa da persistência de valores elevados da temperatura máxima.

Segundo o IPMA, estes avisos amarelos vão permanecer ativos até às 11:00 de quinta-feira, mas a situação deverá manter-se até ao final da semana.

Na segunda-feira, o IPMA alertou para uma subida das temperaturas máximas entre 10 e 13 graus Celsius até quinta-feira em Portugal continental, prevendo-se que os termómetros subam acima dos 30ºC. Nalguns locais os termómetros devem chegar aos 40ºC.

A temperatura máxima vai variar hoje entre os 23ºC (Guarda) e os 33º (Santarém) e a mínima entre os 12º (Bragança e Guarda) e os 18º (Setúbal).

O IPMA prevê para hoje uma subida da temperatura máxima, em especial nas regiões Norte e Centro, e a possibilidade de aguaceiros no interior Norte e Centro durante a tarde.

Anúncio

Braga

Braga: PetroCávado compra sede da AIMinho por 1,5 milhões de euros

Tribunal de Contas validou aquisição em Viana

em

Foto: Google Earth

A empresa PetroCávado- Investimentos Imobiliários, de Braga, do grupo Ilídio Mota, que cresceu em torno do negócio dos combustíveis , vai adquirir o edifício-sede da extinta Associação Industrial do Minho (AIMinho) por 1,5 milhões de euros.

Fonte ligada ao processo revelou a O MINHO que o negócio vai ser formalizado “em breve”.

No caso de Braga desconhece-se o uso que a PetroCávado dará ao imóvel, enquanto que, no de Viana, a Câmara quer reaproveitá-lo para os mesmos fins, os de promover a atividade empresarial no Alto Minho.

A sede de Braga, em São Lázaro, com cave, rés-do-chão e dois andares, foi, inicialmente, posta à venda pelo administrador judicial Nuno Albuquerque, por 2,36 milhões, através de leilão eletrónico. Que ficou vazio.

Entretanto, e ao que apurámos de fonte ligada ao processo, o Tribunal de Contas deu luz verde ao município de Viana do Castelo para a aquisição do antigo prédio da AIMinho, por 1,3 milhões de euros.

Em Viana do Castelo, e tal como sucedeu em Braga, o prédio, situado no Campo da Agonia e com três pisos e logradouro, foi negociado diretamente entre a Caixa Geral de Depósitos (CGD) e a câmara.

Ambos os bens imóveis são propriedade da massa falida da AIMinho, mas a CDG tem hipotecas sobre eles.

A Caixa é credora de 6 milhões (48 por cento) dos 12,3 milhões de créditos reclamados, ao organismo que está em liquidação. Já o Novo Banco, com 5,8 milhões (45 por cento), é o segundo maior credor, ou seja, as duas entidades detêm 94 por cento dos débitos da Associação.

A falência foi votada em setembro de 2018 no Tribunal de Famalicão.

Continuar a ler

Aqui Perto

Idosa em estado grave após cair à lareira em Mirandela

Aqui perto.

em

Foto: INEM (Arquivo)

Uma mulher de 85 anos sofreu queimaduras graves de 1.º e 2.º grau, na face e nos membros, depois de, ao que tudo indica, ter caído na lareira da sua habitação, situada na freguesia de Cedães, em Mirandela, distrito de Vila Real.

A vítima teve de ser transportada para o Hospital de São João, no Porto, dada a gravidade das queimaduras. Ao local acorreram os Bombeiros de Mirandela e a VMER de Vila Real.

O alerta foi dado cerca das 19:00 de terça-feira.

Continuar a ler

Guimarães

Jovem de 25 anos morre esmagado em obra em Guimarães

Um outro trabalhador ficou em estado grave

em

Foto: DR / Arquivo

Um jovem, de 25 anos, perdeu a vida na sequência duma queda numa obra, onde procedia a trabalhos de construção civil, em Guimarães, disse a O MINHO fonte dos bombeiros. Um outro trabalhador, com cerca de 60 anos, ficou em estado grave.

A tragédia ocorreu numa construção situada na Rua Quinta da Pereira, na freguesia de Fermentões, cerca das 09:00 horas desta manhã.

Segundo fonte do CDOS, as vítimas trabalhavam na construção de uma casa e foram atingidas por uma “estrutura” que se desprendeu.

O ferido grave foi levado para o Hospital de Guimarães.

Para o acidente foram mobilizadas duas ambulâncias e uma viatura médica de emergência e reanimação.

Ao teatro de operações acorreram duas ambulâncias dos Bombeiros de Guimarães com apoio da VMER, com o óbito a ser declarado no local.

A PSP registou a ocorrência.

Continuar a ler

Populares