Seguir o O MINHO

Famalicão

Autárquicas: José Luis Araújo: “Expectativas foram goradas”

em

Foto: Divulgação

José Luis Araújo volta a representar o BE nas autárquicas para Vila Nova de Famalicão. Derrotado em 2013, o político é formado em desenho técnico, tem 46 anos e trabalha como fiel de armazém há mais de 20 anos. Araújo critica a atual gestão e propõe o lema “Famalicão para [email protected]”, para que ninguém seja esquecido.


Como apresentaria o seu concelho a uma pessoa de fora?
V. N. de Famalicão é um concelho de média dimensão, muito dinâmico e diversificado, tanto na indústria e serviços, como na oferta social, no associativismo, na cultura, na educação. É por isso uma terra com muitas potencialidades mas também com algumas lacunas que lutamos para suprimir. É um concelho com uma ótima posição geográfica, próximo de um aeroporto, servido por comboios e com ligações a vários outros concelhos. É um concelho com muita gente jovem, empenhada e onde o futuro se adivinha muito promissor.

Como avalia o mandato do atual presidente da Câmara?
As expectativas criadas com a eleição deste executivo foram goradas, uma grande parte das promessas feitas ficaram por cumprir e muito aquém daquilo que são as reais necessidades do concelho. Este executivo enveredou sempre pelo populismo, tentando mostrar um cenário bem diferente da realidade. Foi feito muito pouco de estruturante durante este mandato, para além de uma preocupante falta de transparência denunciada diversas vezes pelo Bloco de Esquerda.

Quais são as suas prioridades para o futuro do seu concelho?
Com o lema “Famalicão para [email protected]”, queremos que ninguém seja esquecido, que os apoios sociais cheguem a quem realmente precisa. Queremos coesão social e territorial, com cultura, educação e desporto de qualidade para todos. Que se pense no futuro como um concelho ambientalmente sustentável, melhorando a mobilidade, promovendo os transportes públicos. Vamos incentivar a participação cívica das populações na vida democrática criando maior exigência da gestão municipal e aumentando a transparência.

Como pretende fazer o diálogo com os concelhos vizinhos?
Pela sua posição geográfica, a relação com concelhos vizinhos é já algo natural e reflete-se em várias áreas. Queremos incrementar esse diálogo de forma a serem encontradas soluções abrangentes para problemas comuns, nomeadamente na mobilidade e nas vias de comunicação. Queremos incutir novas dinâmicas e compromissos no âmbito do Quadrilátero Urbano mas também com os municípios de Santo Tirso, Trofa, Vila do Conde e Póvoa do Varzim.

*O Minho tentou contato com todos os candidatos do concelho

Anúncio

Ave

Famalicão investe 100 mil euros na iluminação de Natal. Luzes acendem a 20 de novembro

Natal

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão / 2019

A iluminação de Natal no concelho de Famalicão já começou a ser instalada e há previsão de que seja ligada no próximo dia 20 de novembro, disse a O MINHO fonte do gabinete do presidente da Câmara.

“O investimento rondará os 100 mil euros”, acrescentou a mesma fonte, destacando a importância da atractividade destas instalações para chamar pessoas para junto do comércio local.

Em declarações ao jornal Opinião Pública, Paulo Cunha, edil, refere que o investimento abrange todas as freguesias do concelho e pretende “criar uma atmosfera positiva, alegre e repleta de esperança em melhores dias do que os que vivemos atualmente”.

“Tem sido um ano tão difícil e atípico para todos, mas não podemos baixar os braços. Viver o Natal na medida do possível é uma forma de nos mantermos positivos”, disse o autarca social-democrata ao mesmo jornal.

Continuar a ler

Ave

Jovens detidos em Famalicão com seis doses de haxixe e três de canábis

Tráfico de droga

em

Foto: Divulgação / GNR

Dois jovens de 19 e 20 anos foram hoje detidos em Pousada de Saramagos, Vila Nova de Famalicão, por serem suspeitos de tráfico de estupefacientes, anunciou a GNR.

Em comunicado, a GNR refere que a investigação decorria desde maio, tendo hoje sido realizadas duas buscas domiciliárias, que resultaram na apreensão de seis doses de haxixe e três doses de folhas de canábis, além de 259 euros.

Os detidos foram constituídos arguidos e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Continuar a ler

Ave

Câmara de Famalicão assume “estrada sem dono” após obras de fundo

Obras públicas

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Uma via de 1,6 quilómetros entre um nó da A7 e a EN-206, em Famalicão, conhecida como “estrada sem dono”, vai passar para a esfera municípal, depois de sofrer uma “grande reparação e infra-estruturação”, revelou hoje a autarquia.

Em comunicado, a Câmara refere que “fica com estrada sem dono depois de intervenção da Ascendi”, acrescentando que a intervenção no troço tem de estar concluída até 30 de setembro de 2021.

A passagem para a esfera do município vai ocorrer ao abrigo de um acordo de mutação dominial entre as Infraestruturas de Portugal, o Município e a Ascendi Norte, hoje aprovado em reunião do executivo.

O comunicado da Câmara sublinha que este acordo “vem dar razão a uma reivindicação antiga da autarquia, que reclamava uma intervenção urgente na via” por parte de uma daquelas duas entidades.

Tal levou, inclusivamente, à interposição de uma providência cautelar para obrigar a concessionária da A7 ou a Infraestruturas de Portugal.

Em causa está o troço de ligação entre o nó Vermoim/Seide da A7 e a Nacional 206, construído na sequência da construção da autoestrada e, refere ainda o município, “sem que tivesse sido enquadrada formalmente, quer na rede viária nacional quer na rede viária municipal”.

A via é utilizada por quem se desloca para as freguesias de Vermoim, Pousada de Saramagos e Joane, onde se situam das maiores indústrias têxteis e de calçado a nível nacional e onde vivem e trabalham mais de 30 mil pessoas.

É também o acesso privilegiado a quem visita a Casa Museu Camilo Castelo Branco e o Centro de Estudos Camilianos, situados a poucas centenas de metros daquele nó da A7.

“É um acordo que satisfaz a autarquia, porque corresponde à resolução de um problema com vários anos, um problema que muitos imaginavam sem solução” referiu o presidente da Câmara de Famalicão.

Citado no comunicado, Paulo Cunha sublinhou que aquela via nunca esteve sob a tutela do município”.

“Agora, felizmente, conseguimos, depois de uma ação judicial instaurada em 2015, criar condições para que o responsável faça a intervenção que é necessária”, acrescentou.

Frisou que, muito mais do que uma intervenção no pavimento, aquela via vai receber um conjunto de investimentos que permitirão “uma maior segurança para veículos e pessoas, nomeadamente com a criação de passeios para os peões, mas também com a colocação de semáforos”.

Continuar a ler

Populares