Seguir o O MINHO

Famalicão

Autárquicas: José Luis Araújo: “Expectativas foram goradas”

em

Foto: Divulgação

José Luis Araújo volta a representar o BE nas autárquicas para Vila Nova de Famalicão. Derrotado em 2013, o político é formado em desenho técnico, tem 46 anos e trabalha como fiel de armazém há mais de 20 anos. Araújo critica a atual gestão e propõe o lema “Famalicão para [email protected]”, para que ninguém seja esquecido.

Como apresentaria o seu concelho a uma pessoa de fora?
V. N. de Famalicão é um concelho de média dimensão, muito dinâmico e diversificado, tanto na indústria e serviços, como na oferta social, no associativismo, na cultura, na educação. É por isso uma terra com muitas potencialidades mas também com algumas lacunas que lutamos para suprimir. É um concelho com uma ótima posição geográfica, próximo de um aeroporto, servido por comboios e com ligações a vários outros concelhos. É um concelho com muita gente jovem, empenhada e onde o futuro se adivinha muito promissor.

Como avalia o mandato do atual presidente da Câmara?
As expectativas criadas com a eleição deste executivo foram goradas, uma grande parte das promessas feitas ficaram por cumprir e muito aquém daquilo que são as reais necessidades do concelho. Este executivo enveredou sempre pelo populismo, tentando mostrar um cenário bem diferente da realidade. Foi feito muito pouco de estruturante durante este mandato, para além de uma preocupante falta de transparência denunciada diversas vezes pelo Bloco de Esquerda.

Quais são as suas prioridades para o futuro do seu concelho?
Com o lema “Famalicão para [email protected]”, queremos que ninguém seja esquecido, que os apoios sociais cheguem a quem realmente precisa. Queremos coesão social e territorial, com cultura, educação e desporto de qualidade para todos. Que se pense no futuro como um concelho ambientalmente sustentável, melhorando a mobilidade, promovendo os transportes públicos. Vamos incentivar a participação cívica das populações na vida democrática criando maior exigência da gestão municipal e aumentando a transparência.

Como pretende fazer o diálogo com os concelhos vizinhos?
Pela sua posição geográfica, a relação com concelhos vizinhos é já algo natural e reflete-se em várias áreas. Queremos incrementar esse diálogo de forma a serem encontradas soluções abrangentes para problemas comuns, nomeadamente na mobilidade e nas vias de comunicação. Queremos incutir novas dinâmicas e compromissos no âmbito do Quadrilátero Urbano mas também com os municípios de Santo Tirso, Trofa, Vila do Conde e Póvoa do Varzim.

*O Minho tentou contato com todos os candidatos do concelho

Anúncio

Famalicão

Pais avaliam refeições escolares em Famalicão e o resultado é “excelente”

Novo programa educativo

em

Foto: Divulgação

“Para quem não gosta muito de jardineira, achei que estava muito bem confecionada e os sabores apurados. A sopa estava mesmo muito boa. Foi uma excelente refeição”.

Catarina Inácio, mãe de três filhos, dois dos quais a frequentar o pré-escolar e o 1.º ciclo, no concelho de Famalicão, foi uma das primeiras encarregadas de educação a aceitar o desafio lançado, neste ano letivo, pela Câmara de Famalicão, para acompanhar as refeições escolares dos filhos.

Catarina Inácio ficou muito satisfeita com a refeição e aconselha todos os pais a fazerem o mesmo. “Por vezes, as crianças reclamam das refeições, mas, nós pais, não podemos criticar se não conhecermos a realidade e o ideal é irmos ver o que se passa”.

“Não tinha uma boa perceção das refeições, algo que foi completamente ultrapassado”, graças a esta iniciativa municipal afirma Catarina, louvando a iniciativa do município de Famalicão.

Para além dos encarregados de educação, a autarquia desafia também os professores a partilharem todos os dias, a refeição com os alunos.

“Esta é uma forma de os pais e os professores nos apoiarem na monitorização da qualidade das refeições servidas nas cantinas das escolas do pré-escolar e do 1.º ciclo de Famalicão” explica edil Paulo Cunha, acrescentando que para além da “qualidade da ementa é possível também avaliar a qualidade e o conforto do espaço”.

A medida faz parte do novo programa educativo promovido pela Câmara de Famalicão, intitulado NutriEduca (Educação Alimentar e Nutricional em contexto escolar), que reconhece a escola como o espaço próprio para a promoção de uma alimentação saudável, envolvendo os encarregados de educação e a comunidade educativa na adoção de hábitos alimentares equilibrados.

O projeto que está a ser desenvolvido desde o inicio do ano letivo nas escolas do ensino pré-escolar e 1º ciclo do concelho inscritas no programa (33), envolve um total 91 turmas e cerca de 1.900 alunos.

“Entendemos que a escola é o local ideal para educar as novas gerações para uma alimentação mais saudável e amiga do ambiente, por isso, procuramos o apoio da comunidade educativa através dos professores, e também dos encarregados de educação para a capacitação e monitorização das refeições escolares. Queremos ganhar a confiança da comunidade na qualidade das refeições”, adianta Paulo Cunha.

“Acredito que todos juntos, conseguimos incentivar as crianças a fazer as escolhas mais saudáveis e conseguimos aperfeiçoar a prestação dos serviços de refeições escolares”, explica o autarca que, desde 2014, tem por hábito almoçar nas cantinas escolares do concelho, juntando-se aos alunos e partilhando com eles a refeição.

Ao longo do ano, serão muitas as atividades desenvolvidas no âmbito deste programa educativo, nomeadamente ações de formação, workshops e atividades comemorativas, relacionadas com a temática da alimentação saudável.

Para além dos almoços nas cantinas, o programa procura ainda sensibilizar a comunidade educativa para a preparação de lanches saudáveis.

Entretanto, de acordo com a autarquia, os encarregados de educação estão convidados a almoçar na escola dos filhos, no dia de aniversário da criança, de forma gratuita. Para isso, basta que avisem a escola antecipadamente.

Continuar a ler

Famalicão

Deputado do PSD volta a questionar Governo sobre amianto nas escolas de Famalicão

Jorge Paulo Oliveira (PSD)

em

Foto: PSD Famalicão

Jorge Paulo Oliveira, deputado natural Famalicão eleito pelo círculo eleitoral de Braga do PSD, não desiste de obter explicações sobre a aplicação do “Programa de remoção do amianto” nas escolas em Vila Nova de Famalicão e insiste nas interpelações junto do Governo.

Numa altura em que a associação ambientalista ZERO e a MESA (Movimento Escolas Sem Amianto), acabam de lançar a plataforma nacional de denúncias para escolas com amianto, que assume a designação “Há amianto na escola” para recolher denúncias e queixas sobre a presença daquele amianto em escolas – públicas ou privadas – de todo o país, Jorge Paulo Oliveira interpelou hoje o Ministro da Educação sobre a problemática da existência daquele tipo de material em escolas de Vila Nova de Famalicão.

O deputado famalicense que na campanha eleitoral chamara a atenção para o assunto através de um vídeo divulgado nas redes sociais, recorda a Tiago Brandão Rodrigues que, na anterior legislatura e a propósito deste assunto, a ele se dirigiu por quatro vezes, mas sem qualquer sucesso. Jorge Paulo Oliveira acalenta a esperança “que desta vez o Governo se digne respeitar a função fiscalizadora do Parlamento e ofereça as respostas a que legalmente está obrigado”.

O social-democrata, recorda igualmente ao Ministro da Educação que “em 2014, foi publicada a listagem dos edifícios públicos que continham amianto, tendo sido identificados em Famalicão vários edifícios escolares presuntivamente contendo aquele material”. Entre aqueles contam-se as Escolas EB 2,3 Júlio Brandão, D. Maria II, Nuno Simões, as Escolas EB 1,2,3 de Arnoso Stª Maria e de Gondifelos e a Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

Nas interpelações escritas, uma por cada um dos identificados equipamentos escolares, pode ler-se que, desde 2016, o Estado está “obrigado a tornar publico o mapeamento e o planeamento das ações corretivas e preventivas com vista à eliminação e à redução do risco para a saúde humana” que representa a presença do amianto e que, nesse mesmo ano, o Governo referiu a existência de um relatório “contemplando a hierarquização das intervenções e a estimativa dos respetivos custos de intervenção”.

Ora, segundo Jorge Paulo Oliveira, apesar de todos estes antecedentes, “a comunidade educativa famalicense nada sabe de concreto sobre o denominado “Programa de Remoção do Amianto” no que concerne às escolas identificadas no concelho de Vila Nova de Famalicão”.

Nesse contexto, o parlamentar famalicense quer que o Governo esclareça que tipo de intervenções estão programadas para retirar ou reduzir os problemas da presença de amianto naqueles estabelecimentos escolares de Vila Nova de Famalicão, sob a alçada da administração central e, até que isso aconteça, informe qual o tipo de monitorização e com que regularidade está a ser feita a presença daquele material.

Continuar a ler

Famalicão

Bebé nasce na A7 em Famalicão: “É uma menina e está bem de saúde”

Em Riba de Ave

em

Foto: Bombeiros de Vila das Aves / Facebook

Uma menina, saudável, nasceu dentro de uma ambulância dos Bombeiros da Vila das Aves, ao final da noite desta sexta-feira, no ramal de acesso à Autoestrada n.º 7 (A7), em Riba de Ave, concelho de Famalicão, disse a O MINHO fonte dos bombeiros.

O alerta, para uma grávida de 39 semanas que entrava em trabalho de parto, foi dado às 22:36 desta sexta-feira, segundo registo do Centro de Orientação de Doentes Urgentes do INEM.

Os bombeiros Rita Ferreira e Silvério Oliveira deslocaram-se imediatamente para o local, constatando que o trabalho de parto já estaria numa fase avançada.

Foi solicitado, pelos bombeiros, o apoio indiferenciado da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Guimarães.

Deslocaram-se então para o Hospital de Guimarães, mas o bebé, uma menina, não quis esperar e acabou por nascer mesmo às portas da A7, pouco passava das 23:30.

Fonte dos bombeiros disse a O MINHO que o recém-nascido “está bem de saúde” e que esta foi “uma alegria enorme” para aquele corpo de bombeiros. “Foi o segundo bebé a nascer dentro de uma das nossas ambulâncias em 2019”, disse a mesma fonte.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares