Seguir o O MINHO

Região

Autarcas do Minho profundamente consternados com morte de Almeida Henriques

Óbito

em

Foto: DR

Vários autarcas da região minhota estão a reagir ao longo do dia de hoje à morte de Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu que sucumbiu após estar várias semanas internado com covid-19.

Uma dessas reações foi do socialista José Maria Costa, de Viana do Castelo, que lançou um comunicado oficial a manifestar “profunda tristeza” pelo desaparecimento de Almeida Henriques, que ostentava a cor política rival do PSD.

“Ao tomar conhecimento do falecimento do autarca Almeida Henriques por covid-19, o Município de Viana do Castelo expressa os sentidos pêsames à família e a todo o Município de Viseu”, começa por referir José Maria Costa, considerando que “Almeida Henriques deixa um testemunho pessoal e autárquico que enobrece o município e as gentes de Viseu”.

“Foi, naturalmente, com profunda tristeza que tomámos conhecimento desta notícia”, destaca o edil, relembrando o papel dos presidentes de Câmara na vida pública.

“Embora, por vezes, desconsiderados por muitos na vida política, os autarcas estiveram e estão sempre na primeira linha do apoio às suas populações, dando o melhor de si próprios para apoiar a sua comunidade em momentos de grande dificuldades”, defendeu.

José Maria Costa termina o comunicado assumindo “um profundo respeito pelo homem e autarca que deixa saudades na família, amigos e autarcas portugueses”.

Também Ricardo Rio, edil de Braga, vincou um testemunho forte sobre Almeida Henriques, recordando uma visita ao Sameiro por parte da autarquia de Viseu, no âmbito de um passeio sénior, em 2013.

“Além das muitas responsabilidades que antes já assumira, o António foi um dos melhores autarcas da fornada de 2013”, assume Ricardo Rio, também ele um autarca da mesma ‘fornada’.

“Além do notável trabalho em Viseu, foi sempre um homem de causas, na ligação aos colegas e na defesa do desenvolvimento da sua região e do país”, assegura o edil bracarense.

“À sua família, aos viseenses e a todos aqueles que hoje sentimos a perda de um amigo, um forte abraço”, concluiu Ricardo Rio.

Paulo Cunha, presidente da Câmara de Famalicão e líder do PSD distrital de Braga, também assinalou a triste efeméride nas redes sociais, sublinhando o “destacado militante do Partido Social Democrata”.

“Presto a minha mais sentida homenagem a um colega, presidente da Câmara do Município de Viseu e um destacado militante do Partido Social Democrata. Os meus mais sinceros sentimentos à família e à comunidade de Viseu”, escreveu o edil famalicense.

António Almeida Henriques morreu hoje aos 59 anos, vítima de complicações respiratórias decorrentes da covid-19, anunciou o município.

“O Município de Viseu informa, com enorme pesar, que o Presidente da Câmara, António Almeida Henriques, faleceu esta manhã no Hospital de São Teotónio, vítima de complicações respiratórias decorrentes da covid-19”, lê-se numa nota de imprensa da Câmara, enviada à agência Lusa.

O autarca social-democrata realizou o teste à covid-19 em 04 de março e, apesar do resultado positivo, sentia-se bem e “apenas com sintomas ligeiros”, tendo continuado a trabalhar a partir de casa.

No entanto, poucos dias depois, devido à agudização dos sintomas, dirigiu-se às urgências do Hospital de São Teotónio e acabou por ficar internado “para melhor avaliação da evolução”.

Em 10 de março, Almeida Henriques foi transferido para a Unidade de Cuidados Intensivos, devido “agravamento da insuficiência respiratória”, que “levou à necessidade de entubação e ventilação mecânica”.

“António Almeida Henriques tinha 59 anos e era Presidente da Câmara Municipal de Viseu desde 2013. A sua elevada cultura democrática e competência política, levaram-no a ocupar diversas funções de grande responsabilidade, tanto ao nível do associativismo, como a nível político”, recorda o município.

“Foi deputado à Assembleia da República, nas IX, X e XI e XII Legislaturas e Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD entre 2005 e 2007 e 2010 e 2011. Entre 2011 e 2013, exerceu funções como Secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do XIX Governo Constitucional, liderado por Pedro Passos Coelho”, acrescenta.

Populares