Seguir o O MINHO

Alto Minho

Autarca de Monção (PSD) lisonjeado, mas falar agora em recandidatura é um não assunto

Eleições autárquicas 2021

em

António Barbosa. Foto: DR / Arquivo

O presidente da Câmara de Monção disse hoje sentir-se “lisonjeado” com a inclusão do seu nome na lista de recandidaturas anunciadas pelo PSD às próximas eleições autárquicas, mas António Barbosa considerou que, “nesta altura, é um não assunto”.

“Naturalmente sinto-me lisonjeado, mas não passa disso. Não é sequer altura de pensar em eleições autárquicas. É altura de pensarmos em resolver esta questão da crise sanitária [causada pela pandemia de covid-19] que essa sim, preocupa-me e de que maneira. É altura de continuar a governar que é para isso que cá estamos. Nesta altura, eleições autárquicas é um não assunto”, afirmou hoje à agência Lusa o autarca de Monção.

Contactado a propósito da lista de 77 recandidatos a presidentes de câmara hoje divulgada pelo secretário-geral e coordenador autárquico nacional do PSD, José Silvano, em conferência de imprensa na sede nacional do partido, António Barbosa disse ser “apenas uma manifestação de apoio aos candidatos se eles quiserem continuar”.

“É um conjunto de intenções do partido, dizendo aos presidentes em causa que confia neles e se eles quiserem podem voltar a ser candidatos, por isso, não me quero pronunciar por ser um não assunto nesta altura. Para mim é um não assunto”, referiu.

Nas autárquicas de 2017, António Barbosa, conquistou a presidência da Câmara com 47,01% dos votos, garantindo quatro mandatos. O PS atingiu 43% e ficou com três vereadores no executivo.

Em 2013, António Barbosa ficou a três votos de conquistar o município onde os socialistas estiveram no poder durante 20 anos.

Contactado hoje pela Lusa, o presidente da Câmara de Ponte da Barca, Augusto Marinho, escusou-se a pronunciar-se sobre o assunto.

Nas autárquicas de 2017, a liderança do concelho mudou do PS para o PSD.

Ponte da Barca foi o único concelho do distrito de Viana do Castelo em que o anterior autarca, o socialista António Vassalo Abreu, terminou 12 anos consecutivos a liderar a autarquia.

Augusto Marinho ficou a liderar a autarquia com maioria absoluta, já que elegeu quatro mandatos num total de sete. O PS ficou com três lugares na vereação.

A Lusa tentou, mas ainda sem sucesso a reação dos presidentes de Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, e de Valença, Manuel Lopes, que também constam da lista hoje divulgada por José Silvano.

Tal como tinha anunciado na semana passada o presidente do PSD, Rui Rio, o secretário-geral e coordenador autárquico nacional do PSD, José Silvano, fez hoje “a apresentação de mais cem candidatos” do partido às próximas autárquicas e prometeu que o processo ficará concluído até 31 de março.

“Vamos apresentar agora os cem candidatos, divididos em duas partes: são 23 candidatos novos, isto é, candidatos que não são presidentes de câmara e que não estão em exercício de funções e serão 77 que são presidentes de câmara recandidatos a um novo mandato”, afirmou.

José Silvano detalhou que, dos 98 presidentes de câmara atuais do PSD, “há 13 que não se podem recandidatar, porque já cumpriram três mandatos”, há “quatro ou cinco que não querem recandidatar-se” e outros tantos que “ainda estão em processo de decisão nas respetivas estruturas e serão apresentados nas próximas semanas”.

O secretário-geral do PSD distinguiu os 23 candidatos já homologados dos restantes 77, apresentados igualmente como candidatos, num vídeo com os seus nomes e câmaras.

“Estes 77, quando quiserem ser candidatos, apresentar a sua candidatura formal, poderão fazê-lo no tempo e na forma que entenderem, com a garantia da homologação na própria semana”, disse.

Populares