Seguir o O MINHO

Braga

Autarca de Braga salienta “grande responsabilidade” que vem com classificação da UNESCO

Bom Jesus

em

Foto: DR / Arquivo

O presidente da câmara de Braga congratulou-se hoje pela classificação do Santuário do Bom Jesus como Património Cultural Mundial da UNESCO, salientando que com a distinção vem “também uma grande responsabilidade e orgulho”.

“Isto é um momento de felicidade, de orgulho para a cidade e para toda a equipa que trabalhou para que esta classificação fosse possível, mas também coloca sobre a cidade uma grande responsabilidade que é a de tudo fazer para que o local continue à altura desta distinção”, afirmou Ricardo Rio.

Santuário do Bom Jesus classificado Património Mundial da UNESCO

O autarca transmitiu ainda as felicitações do presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa: “Acabei de falar também com a embaixadora Ana Martim, que nos deu conta dos parabéns do Presidente da República”, disse.

O Santuário do Bom Jesus, em Braga, recebeu hoje a classificação de Património Cultural Mundial da UNESCO, na reunião do comité da organização, a decorrer em Baku, no Azerbaijão, anunciou a organização.

O monumento português fazia parte “das 36 indicações para inscrição na Lista do Património Mundial”, que estão a ser avaliadas na 43.ª Sessão do Comité do Património, Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a decorrer em Baku, no Azerbaijão até 10 de julho.

A candidatura suscitou algumas questões ao Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios (ICOMOS), que faz a apreciação das candidaturas que chegam de todo o mundo, no que diz respeito à autenticidade e integridade deste monumento, assim como a preservação e prevenção de acidentes, como possíveis incêndios à volta do complexo religioso, mas a proposta acabou por ser aprovada.

O Brasil, que abriu a discussão e faz parte deste comité, defendeu que o Bom Jesus de Braga não só cumpre todos os critérios para ser integrado na lista de monumentos, mas serviu também de inspiração para o complexo do Bom Jesus de Congonhas, no Brasil, que já consta da lista da UNESCO.

Portugal esclareceu que todas as dúvidas sobre o monumento bracarense já estavam esclarecidas no dossier entregue por Portugal e que as recomendações do ICOMOS já estão mesmo a ser seguidas no santuário. A representação portuguesa afirmou ainda que o monumento também já está inscrito como património nacional.

O conjunto composto pelo Palácio, Basílica, Convento, Jardim do Cerco e Tapada de Mafra também recebeu hoje a classificação de Património Cultural Mundial da UNESCO.

A Lista do Património Mundial da UNESCO integra atualmente 1.092 sítios em 167 países.

Portugal conta com agora 17 locais classificados em território nacional, havendo ainda 11 que constituem património mundial de origem portuguesa no mundo.

O Centro Histórico de Angra do Heroísmo, o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, em Lisboa, num conjunto de proximidade, o Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo, em Tomar, foram os primeiros classificados, em 1983.

Anúncio

Braga

Perseguição policial em Braga acaba com condutor detido

Crime

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Um homem, de 41 anos, foi detido na madrugada desta terça-feira depois de uma perseguição policial movida pela PSP, no centro de Braga, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a PSP dá conta da fuga na sequência de ordem de paragem dos agentes, junto ao complexo habitacional do Picoto, na cidade, com o condutor a fugir em marcha-atrás numa primeira instância.

“De seguida, foi iniciada perseguição à viatura, tendo o suspeito desrespeitado sempre a ordem de paragem e durante a fuga praticou sempre uma condução perigosa, obrigando várias viaturas a travar a fundo”, refere a polícia.

O suspeito acabou por abandonar a viatura numa rua sem saída, tendo encetado fuga apedada, acabando por ser intercetado e detido logo de seguida pelos agentes.

“Aquando a interceção esta Polícia constatou que o suspeito, um cidadão com 41 anos de idade, não possuía qualquer documento que o habilitasse para o exercício da condução e quando submetido ao teste de alcoolemia, apresentou uma TAS de 1,38 g/l no sangue”, acrescenta a nota policial.

O detido foi informado que irá ser notificado posteriormente para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Braga.

Continuar a ler

Braga

Queda em cascata no Gerês mobiliza helicóptero e vários meios de emergência

Ermida

em

Foto: DR / Arquivo

Uma mulher de 35 anos sofreu ferimentos ligeiros na sequência de uma queda na cascata Fecha de Barjas, conhecida como cascata do Tahiti, no Gerês, ao início da tarde desta terça-feira.

Para o local foram mobilizados os Bombeiros de Terras de Bouro, Cruz Vermelha de Rio Caldo, UEPS da GNR e a VMER de Braga.

Foi ativado um helicóptero do INEM para transporte da vítima para Braga, disse a O MINHO fonte do CDOS. O alerta foi dado às 13:45.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Inicialmente tinha sido avançado que se tratava de ferimentos graves, mas tal não se veio a confirmar após primeira análise da equipa médica no local.

(notícia atualizada às 17h47)

Continuar a ler

Braga

Câmara de Braga limpa lixeira após denúncia

Ambiente

em

Foto: DR

A Câmara de Braga limpou uma lixeira, na freguesia de Palmeira, após denúncia de um ativista ambiental à ASAE e à Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT).

A denúncia de Carlos Dobreira, feita a 20 de março, apontava que na Rua Monte da Devesa, em Palmeira, havia uma “megalixeira” com “pneus, sofás, embalagens de óleo, lonas, entulho, roupas, latas, colchões, tijolos, óleos, televisões, peças de automóveis, muitos plásticos, almofadas, beatas de cigarro, bens alimentares, telhas, cimento e equipamentos elétricos”.

“Cheira a putrefacção, avistam-se roedores e a paisagem é deprimente”, ilustrava Carlos Dobreira, falando de desrespeito pela “população da freguesia de Palmeira, dado ser um foco de insalubridade e representar um risco para a saúde pública”.

Entretanto, a IGAMAOT reconheceu que a competência de intervenção no local é da Câmara de Braga, para a qual reencaminhou a denúncia – que também já tinha sido feita ao município pelo próprio Carlos Dobreira – e solicitou que desse resposta ao ambientalista bracarense.

“Foi dado conhecimento do presente expediente ao denunciante, solicitando-se que lhe seja providenciada a resposta”, refere e-mail do IGAMAOT do dia 8 de abril.

Agora, a Câmara respondeu ao ativista, através do chefe de divisão Octávio Oliveira, informando que a lixeira foi limpa e comprovando-o com fotografias do antes e depois da operação.

Continuar a ler

Populares