Seguir o O MINHO

Barcelos

Autarca de Barcelos paga caução de 20 mil euros para ficar em liberdade

Em substituição da prisão domiciliária

em

Foto: DR / Arquivo

O Tribunal da Relação do Porto impôs ao presidente da Câmara de Barcelos o pagamento de uma caução de 20 mil euros, em substituição da prisão domiciliária que tinha sido aplicada por um juiz de instrução criminal.

Segundo Nuno Cerejeira Namora, advogado do autarca, a Relação considerou “desproporcional, desadequada e desnecessária” a medida de coação de obrigação de permanência na habitação, com sujeição a meios de vigilância electrónica.

Além da caução de 20 mil euros, o presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes (PS), continua proibido de contactos com funcionários do município e da empresa Mediana, propriedade de Manuela Couto, também arguida no processo.

Miguel Costa Gomes estava em prisão domiciliária desde 03 de junho, indiciado dos crimes de corrupção passiva e de prevaricação, no âmbito da operação Teia.

Recorreu das medidas de coação para a Relação e, na quarta-feira, técnicos da Direção-Geral de Reinserção Social e Serviços Prisionais foram à casa do autarca e retiraram-lhe a pulseira eletrónica.

“Estou feliz porque afinal a justiça existe e triunfou, como sempre disse e acreditei. Mas não pode ficar por aqui. O processo vai começar agora porque durante quase cinco meses decapitaram politicamente um autarca, destruíram o seu bom nome e prestígio e atiraram a sua vida pessoal e familiar para a lama”, disse Nuno Cerejeira Namora.

O advogado sublinhou que a luta para demonstrar que o presidente “nada fez de ilícito” vai continuar, “agora reforçada com a presente decisão”.

“Este acórdão vem destruir, e quase deixar em pó, as promoções do Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto e do Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto. Desde a primeira hora que coloquei o pescoço no cepo pela inocência de Miguel Costa Gomes. Mantenho o propósito de rasgar a cédula profissional se ele vier a ser preso e o tempo está a dar-me razão”, acrescentou.

Segundo Nuno Cerejeira Namora, o processo, por ordem da Relação do Porto, vai sair das mãos do TIC do Porto, passando para o Tribunal Central de Investigação Criminal (TCIC).

“O TIC do Porto é incompetente territorialmente para julgar crimes praticados em comarcas diferentes (Braga e Porto). O TCIC vai apreciar todos os atos de inquérito ordenados pelo TIC do Porto e verificar a sua validade, com exceção do primeiro interrogatório judicial de arguido detido”, disse ainda.

Na operação Teia, e além de Costa Gomes, são ainda arguidos o entretanto demissionário presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, e a mulher, a empresária Manuela Couto.

O outro arguido é o ex-presidente do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto Laranja Pontes, que, entretanto, se reformou.

Manuela Couto também esteve em prisão domiciliária até agora, mas a pulseira eletrónica foi-lhe igualmente retirada na quarta-feira.

O processo está relacionado com alegados favorecimentos às empresas de Manuela Couto por parte do município de Barcelos e do IPO/Porto, a troco de favores políticos conseguidos por Joaquim Couto.

Anúncio

Barcelos

Comunidade cigana em Barcelos já está livre da covid-19

Covid-19

em

Foto: DR

Já não há casos positivos de covid-19 na comunidade cigana de Lagoa Negra, em Barqueiros, Barcelos, que estava em isolamento profilático desde o dia 6 de maio.

Ao que O MINHO apurou, os resultados dos testes foram chegando durante esta semana, tendo dado todos negativo, à exceção de um que foi inconclusivo.

Nesse caso já foi hoje feito novo teste e fonte próxima do processo adianta que o cenário mais provável é também dar negativo.

Assim, termina o confinamento que a comunidade, composta por cerca de 50 pessoas, cumpriu desde o início do mês.

Segundo fonte que acompanhou o processo, a comunidade teve um “comportamento exemplar”, cumprindo “todas as orientações” que lhe foram comunicadas pelas autoridades de saúde.

Como O MINHO revelou em primeira mão, no início de maio fora detetado um caso de covid-19 que levou a comunidade da Lagoa Negra a ficar em isolamento profilático.

Os testes de despistagem viriam a revelar que havia oito infetados.

Posteriormente, como anunciou o presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, foram testadas as comunidades ciganas vizinhas, mas os testes foram negativos.

Comunidade cigana em Barcelos com oito casos positivos

Esta foi uma situação que, pelo potencial de contaminação, teve desde o início a atenção de várias autoridades e entidades que agiram em conjunto: ACES Cávado III, GNR, Câmara, Junta de Freguesia local e o projeto de mediação [email protected] E7G, que é promovido pelo município.

Barcelos tem 299 casos confirmados de covid-19, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia divulgado hoje.

Portugal contabiliza 1.369 mortos associados à covid-19 em 31.596 casos confirmados de infeção.

Relativamente ao dia anterior, há mais 13 mortos (+1%) e mais 304 casos de infeção (+1%).

O número de pessoas hospitalizadas subiu de 510 para 512, das quais 65 se encontram em unidades de cuidados intensivos (menos uma).

O número de doentes recuperados é de 18.637.

Continuar a ler

Barcelos

Feira de Barcelos reabre quinta-feira com todos os feirantes e no mesmo local

Covid-19

em

Foto: CMB / Arquivo

A feira de Barcelos reabre totalmente já na próxima quinta-feira, após luz verde das autoridades de saúde, anunciou hoje o presidente da Câmara.

Em videoconferência de imprensa, Miguel Costa Gomes adiantou que o parecer positivo à reabertura a 100% da feira foi dado na passada sexta-feira.

Como O MINHO noticiou, o regresso da feira com todos os setores a funcionar dependia apenas da autorização da DGS, a qual assegura que há condições para adotar todas as medidas de contenção da propagação da covid-19.

Recorde-se que a feira de Barcelos, uma das maiores do país, reabriu no dia 7 de maio, apenas para o setor alimentar, que engloba 250 comerciantes e produtores agrícolas locais.

Feirantes exigem reabertura total da feira de Barcelos

A dificuldade em reabrir na totalidade, salientou o presidente da Câmara, era o realojamento de mais cerca de 430 feirantes.

No entanto, o Município conseguiu chegar a uma solução em que o espaço da feira será o mesmo de sempre, embora alargado na zona junto à esquadra da PSD e Jardim das Barrocas, o que vai ao encontro do pedido pelos feirantes.

No dia 18 deste mês, um grupo de feirantes manifestou-se em frente à Câmara de Barcelos, exigindo o regresso de todos os setores e que e a feira se mantivesse no Campo da República.

Dois dias depois, representantes dos feirantes foram recebidos pela vereadora com o pelouro das Feiras e Mercados, Anabela Real, e as partes chegaram a um entendimento que, agora, tem luz verde das autoridades de saúde.

Continuar a ler

Barcelos

Infetados de casa de saúde mental em Barcelos novamente testados segunda-feira

Covid-19

em

Foto: DR

Os utentes e funcionários da Casa de Saúde S. José, em Areias de Vilar, Barcelos, infetados com covid-19 serão novamente testados esta segunda-feira, apurou O MINHO.

No total, são 47 os casos positivos que foram registados há duas semanas – 42 utentes e cinco funcionários – e que agora farão novos testes, coordenados pelo ACES Cávado III Barcelos / Esposende.

O vírus terá sido propagado naquela instituição através de um funcionário.

Quando foram confirmados os casos positivos, o Instituto S. João de Deus, que gere a casa de saúde mental, referiu que, “nos casos concretos de infeção, os utentes encontram-se isolados e estão todos sem sintomatologia”.

Casa de saúde mental em Barcelos com 42 utentes e 5 funcionários infetados

A Casa de Saúde de S. José assiste 216 utentes com doença e deficiência mental e emprega 104 colaboradores. “Tendo sido detetados casos positivos de covid-19 entre os seus colaboradores, procedeu-se de imediato à testagem de toda a sua população (colaboradores, utentes e ainda prestadores de serviços)”, sublinhou na altura a instituição.

Portugal contabiliza 1.316 mortos associados à covid-19 em 30.623 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 14 mortos (+1%) e mais 152 casos de infeção (+0,5%).

O número de pessoas hospitalizadas baixou de 550 para 536, das quais 78 em unidades de cuidados intensivos (menos dois).

Devido a uma alteração dos procedimentos de contabilização, o número de doentes recuperados passou agora de 7.705 para 17.549.

Continuar a ler

Populares