Seguir o O MINHO

Vila Verde

Ataques de cães continuam sem fim à vista em Vila Verde

Mais uma mulher foi mordida esta semana

em

Foto: DR

Os ataques de cães continuam sem fim à vista em Vila Verde. São vários os populares que têm sido vítimas dos animais, nos últimos tempos. O JN de hoje volta a trazer o assunto depois de uma vilaverdense ter sido alvo de mais um ataque.

O problema dos cães “vadios” continua na ordem do dia em Vila Verde. O caso não é novo, há relatos com mais de cinco anos. Os ataques sucedem-se e há quem já não saia de casa com receio dos animais. Segundo apurou O MINHO, uma menina foi mordida numa perna, há dias, junto ao Centro de Saúde.

Na edição de hoje do JN é relatado o caso de uma senhora, que na ida para o trabalho, foi atacada por cães, em pleno dia.

Moradores no centro da vila confirmam que “durante a noite, ouvem-se os cães a ‘brigarem’ uns com os outros”. Outra moradora, habitual ‘cliente’ de caminhadas, revelou que “deixei de caminhar porque tenho receio de ser atacada”.

As entidades públicas alertam, em primeiro lugar, para a necessidade de responsabilização dos donos, a fim de evitar o abandono dos animais.

Os animais errantes vão vagueando por zonas com acesso de bastante pessoas, como o Centro de Saúde ou a Escola Secundária.

Segundo as fontes de O MINHO, ”há matilhas com seis e sete cães e há pessoas que lhes dão de comer”.

A câmara tem colocado armadilhas de alçapão em locais específicos onde há circulação e permanência de animais para tentar reduzir o número de animais errante e desfazer possíveis matilhas que se criem na rua.

Mas há quem garanta que alguns destes objectos têm sido destruídos. O canil não dá resposta para tanto animal.

Anúncio

Braga

Sete utentes de lar em Vila Verde regressam depois de curados

Covid-19

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO (Arquivo)

Os sete utentes do Lar do Trabalhador, em Vila Verde, transferidos para instalações da Cruz Vermelha por estarem infetados com o novo coronavírus, “estão hoje a regressar”, depois “dados como curados”, disse à Lusa fonte da Proteção da Civil.

A 18 de abril o Lar do Trabalhador em Vila Verde, foi evacuado, tendo sido 11 dos 12 utentes que lá habitavam deslocados para o Centro Comunitário da Cruz Vermelha, em Prado, sendo que cinco ainda “aguardam os resultados do último despiste” e estão a ser transportados para instalações da paróquia, segundo a mesma fonte.

Dos cinco utentes do lar que aguardam os resultados, quatro são mulheres e um é homem.

“O lar foi evacuado depois de 11 utentes terem acusado positivo para o novo coronavírus. Sete já testaram negativo e estão hoje a regressar ao lar. Cinco vão aguardar pelo resultado da contra análise em instalações da paróquia”, esclareceu a fonte.

Portugal contabiliza 1.144 mortos associados à covid-19 em 27.679 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais nove mortos (+0,8%) e mais 98 casos de infeção (+0,4%).

Das pessoas infetadas, 805 estão hospitalizadas, das quais 112 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados é de 2.549.

Continuar a ler

Braga

Idoso que tinha desaparecido em Vila Verde já foi encontrado

Desaparecimento

em

Foto: DR

Já foi encontrado e está bem o idoso de 80 anos que desapareceu ontem à noite, na avenida da Veiga, entre as freguesias de Oleiros e Lage, no concelho de Vila Verde, confirmou O MINHO junto de fonte da família.

Manuel Peixoto terá saído de casa ontem à noite e não voltou a aparecer, levando a que a família já reportasse o seu desaparecimento às autoridades.

O idoso sofre de alzheimer e diabetes, precisando urgentemente de tomar medicação, incluindo insulina.

Continuar a ler

Braga

Homem detido por roubar estátua da Senhora do Sameiro em Vila Verde

Crime

em

Foto: Divulgação / GNR

A GNR deteve um homem, de 49 anos, no sábado, pelo furto de uma estátua ilustrativa de Nossa Senhora do Sameiro, em Gomide, Vila Verde, anunciou hoje aquela força militar.

“No seguimento de uma denúncia, os militares deslocaram-se ao local e verificaram que havia sido furtada uma estátua de uma das alminhas da freguesia”, explica a GNR em comunicado, acrescentando que, “no seguimento de diligências policiais, foi possível apurar o autor do crime, tendo sido abordado na sua residência, na posse da estátua”.

O objeto foi recuperado e devolvido ao legítimo proprietário.

O detido foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Verde.

Continuar a ler

Populares