Seguir o O MINHO

Barcelos

Artesã de Barcelos cria boneco para explicar coronavírus à neta (e torna-se um sucesso)

Mostra de Artesanato decorre até ao próximo domingo

em

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

De entre os muitos bonecos de croché expostos na banca de Elisabeth Gonçalves, na Mostra de Artesanato e Cerâmica de Barcelos, há um que se destaca, vai arrancando risos e muitos comentários a quem passa. É um boneco com o formato do novo ‘coronavírus’  que a artesã criou “para explicar à neta” como é o vírus que causou a pandemia e rapidamente se tornou um sucesso entre os clientes.

“Pensei fazer um para lhe explicar o formato do ‘bichinho que anda aí’. Foi uma brincadeira, mas depois postei no Facebook e as pessoas acharam piada”, conta a O MINHO a artesã barcelense, da freguesia de Alheira.

Até há dois anos, Elisabeth Gonçalves fazia bordados. O croché que fazia era mais toalhas, xailes ou cachecóis. “Depois comecei a ver no YouTube estes bonecos e achava piada. Como tenho uma neta pequenina, resolvi começar a experimentar a fazer. Desde que comecei o resto ficou de lado, porque o foco são estes bonecos com a técnica amigurumi”, explica a artista que participa na 38.ª Mostra de Artesanato e Cerâmica de Barcelos, a decorrer no Parque da Cidade até ao próximo domingo, após interregno de um ano por causa da pandemia.

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

Há quase seis anos que Elisabeth Gonçalves se dedica ao croché. “Sempre tentando inovar e melhorar. É uma coisa que gosto muito de fazer”, realça.

É o segundo ano em que participa na Mostra de Artesanato e, nestes primeiros dias, o feedback tem sido “bom”. “Mesmo que não comprem, elogiam. Dentro dos parâmetros, tem corrido bem”, atesta a artesã.

O impacto da pandemia sentiu-o no primeiro confinamento em 2020 – “foi um caos” – mas no segundo, já este ano, conta que, “por incrível que pareça”, já teve bastantes encomendas e nem conseguiu criar stock.

122 artesãos expõem no Parque da Cidade até domingo

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

A 38.ª Mostra de Artesanato regressou, salienta a autarquia em comunicado, “num ano especial para o artesanato e para os artesãos de Barcelos, que viram registada a marca ‘Galo de Barcelos’, um dos maiores e mais significativos símbolos do país e da portugalidade, e também para a olaria e o figurado de Barcelos, que passaram a utilizar o registo de marca da União Europeia, este certame vem consolidar a aposta do Município no valor do artesanato barcelense”.

Na edição deste ano, participam 122 artesãos, 91 dos quais de Barcelos, e o Município volta a apostar nas tradições, com os workshops diários onde se pode aprender as artes e ofícios, que passam pela tecelagem, olaria, figurado, bordados, cestaria, entre outras.

Foto: Pedro Luís Silva / O MINHO

Diariamente, há animação de rua e arruadas pelo recinto protagonizadas por grupos de folclore do concelho e animação circense, de forma itinerante.

Está aberta de segunda a sexta-feira, das 17:30 às 22:30, e ao fim de semana, das 15:00 às 22:30.

Barcelos é detentor de três produções certificadas, a olaria, o figurado e o bordado de crivo. Barcelos é cidade criativa da UNESCO, na categoria do Artesanato e Arte Popular, desde 2017; aderiu em 2019 à Creative Tourism Network, uma rede internacional que desenvolve a sua atividade na área do turismo criativo, o que lhe permitiu a certificação como Creative Friendly Destination; ainda, em 2019, recebeu o Prémio Europeu de Destino de Turismo Cultural Sustentável promovido pela ECTN – European Cultural Tourism Network.

Populares