Seguir o O MINHO

Região

ARS Norte alerta por SMS: “Se tem sintomas, fique em casa e ligue SNS 24”

Covid-19

em

Foto: DR

A ARS Norte enviou esta segunda-feira SMS aos utentes a alertar para os sintomas da covid-19 e a apelar, caso os tenha, para que fique em casa e ligue para o SNS24.

“Tosse? Febre? Alteração do olfato ou do paladar? Se tem sintomas, fique em casa e ligue SNS 24. Travar o vírus começa por si”, lê-se na mensagem.

Portugal contabiliza hoje mais 74 mortos relacionados com a covid-19 e 4.044 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 3.971 mortes e 264.802 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 84.004 casos, mais 62 do que no domingo.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.241 pessoas (mais 90 do que no domingo), das quais 498 em cuidados intensivos (mais sete nas últimas 24 horas).

A DGS indica que das 74 mortes registadas nas últimas 24 horas, 35 ocorreram na região Norte, 20 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 10 na região Centro, duas no Alentejo e uma no Algarve.

Segundo o boletim, 55,8 por cento dos novos casos situam-se na região Norte, que contabilizou nas últimas 24 horas mais 2.258 infeções, totalizando 137.621 casos de infeção e 1.857 mortos desde o início da pandemia.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.388.590 mortos resultantes de mais de 58,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Anúncio

Ave

Câmara distribui testes antigénio pelos lares de Vizela

Covid-19

Foto: CM Vizela

A Câmara de Vizela distribuiu testes de pesquisa de antigénio desenvolvidos para o diagnóstico do SARS-CoV-2, para assegurar o combate ao surto e a proteção social, e com o objetivo de salvaguardar o interesse público municipal, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a autarquia dá conta do início da distribuição de 500 testes de pesquisa de antigénio pelas IPSS do concelho, iniciada esta sexta-feira, com o objetivo de criar condições de segurança, em especial para esbater a “propagação do surto associada a esta nova realidade”, para “reforçar a segurança e rastrear os mais vulneráveis, aferindo quem possa estar infetado e desta forma evitar a propagação dentro dos lares”.

“Apesar de já ter iniciado o processo de vacinação nas IPSS do concelho, demorará ainda algum tempo até este processo estar concluído, uma vez que a imunização apenas estará ativa após a administração da segunda dose da vacina”, refere a nota.

Continuar a ler

Alto Minho

Centenas de novos casos no Alto Minho. Ponte de Lima (+117) e Viana (+100) continuam a ‘galopar’

Boletim da ULSAM

Foto: Facebook / DR

Há 2.680 casos ativos no Alto Minho, mais 343 do que há dois dias, segundo o boletim da Unidade de Saúde Local do Alto Minho (ULSAM), atualizado às 19:00 de sexta-feira.

O distrito de Viana do Castelo soma, desde o início da pandemia, 10.103 casos, mais 662 nos últimos dois dias.

Contam-se ainda 7.248 recuperados, mais 217 em relação a segunda-feira.

Há a lamentar mais quatro óbitos, dois em Viana (total de 49), um em Caminha (23) e outro em Valença (7). No total, já morreram 175 pessoas desde o início da pandemia.

Viana do Castelo tem agora 789 casos ativos (+ 100 do que há dois dias), Ponte de Lima 512 (+ 117), Caminha 275 (+ 39), Arcos de Valdevez 322 246 (+ 76), Ponte da Barca 196 (+ 28), Valença 124 (+ 6), Melgaço 119 (+ 30), Monção 112 (+ 27), Paredes de Coura 80 (+ 13) e Cerveira 151 (+ 5).

Recorde-se que o distrito de Viana do Castelo é considerado pela ARS-Norte o “mais crítico neste momento” na região Norte.

Continuar a ler

Região

Confinamento: Em Viana, “tudo calmo”. Em Braga, “nem por isso”

Confinamento

Foto: Pedro Manuel Magalhães / RUM - Rádio Universitária do Minho

O primeiro dia de confinamento trouxe mais ações de fiscalização e sensibilização por parte das forças de segurança em todo o país, e os distritos de Braga e de Viana do Castelo não foram exceção. Por se tratar de um dia de semana, com aulas letivas, trabalhos e outras situações previstas na lei como exceções ao dever de recolhimento domiciliário, ainda se viu muita gente pelas ruas, mas algumas foram mandadas para casa.

Em Viana, “tudo calmo”, disse fonte do Comando Distrital da PSP. “Situações normais de circulação na rua, idas para o trabalho, levar os filhos à escola, idas ao supermercado, tudo exceções que estão previstas na lei”, disse a fonte, isto no que diz respeito à cidade. A única situação fora do ‘normal’ terá sido o desaparecimento de uma senhora que foi encontrada a 12 quilómetros de casa. Durante o percurso, não terá encontrado polícia, e foi encontrada por uma sobrinha já na área de atuação da GNR.

De resto, tanto na capital do Alto Minho como nos restantes concelhos daquele distrito, a população “foi cumprindo” o recolher decretado pelo Governo, não existindo grandes aglomerados visíveis.

Já na cidade de Braga, e tirando o facto de se ver muita gente na rua em dia de confinamento, fonte do comando distrital da PSP não aponta “nada de grave” no que diz respeito ao registo no âmbito de incumprimentos. À semelhança do que sucedeu em Viana, algumas pessoas abordadas pela PSP tinham motivo para circular na rua, e as que não tinham foram sensibilizadas e ‘mandadas’ para casa, como sucedeu durante a manhã, em plena Praça da República. As equipas motorizadas de prevenção e reação imediata dispersaram os ajuntamentos, na sua maioria compostos por idosos, sensibilizando para as regras em vigor e para o facto de terem de estar em casa. As recomendações da polícia foram acatadas de imediato.

O único caso que terá motivado uma ação das forças de segurança no distrito de Braga sucedeu em Prado, na área territorial da GNR, conforme noticiou O MINHO. Um homem recusava-se a usar máscara depois de ter sido avisado por militares da GNR. Acabou por ser manietado em pleno centro daquela freguesia do concelho de Vila Verde, sendo depois detido por desobediência, com o momento a ser filmado por populares.

 

O trânsito não reduziu significativamente, nem nas zonas urbanas de Viana, nem de Braga, onde, esta manhã, se assemelhava a mais um dia normal de semana no Nó de Ìnfias, em São Vicente, local problemático do tráfego rodoviário na capital do Minho.

Recorde-se que Portugal continental entrou hoje, às 00:00, num novo confinamento geral, devido ao agravamento da pandemia de covid-19, com os portugueses sujeitos ao dever de recolhimento domiciliário, mas mantendo as escolas com o ensino presencial.

No âmbito da modificação do estado de emergência no país, o Governo determinou na quarta-feira um conjunto de medidas extraordinárias que vão vigorar até às 23:59 de 30 de janeiro para “limitar a propagação da pandemia e proteger a saúde pública” e que estão previstas no decreto que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, assinou hoje.

Marcelo admite que este novo confinamento dure até março

O dever geral de recolhimento domiciliário, em que “a regra é ficar em casa”, prevê deslocações autorizadas para comprar bens e serviços essenciais, desempenho de atividades profissionais, frequência de estabelecimentos escolares, prática de atividade física e desportiva ao ar livre ou participação no âmbito da campanha eleitoral ou da eleição do Presidente da República.

Continuar a ler

Populares