Seguir o O MINHO

Famalicão

Área Metropolitana do Porto aprova entendimento entre Santo Tirso e Trofa com Famalicão

Associação de municípios MobiAve

em

Foto: DR / Arquivo

A Área Metropolitana do Porto (AMP) aprovou, esta sexta-feira, por unanimidade o memorando de entendimento sobre as linhas intermunicipais que atravessam concelhos de Famalicão, Santo Tirso e Trofa e que vai permitir que estes municípios se constituam como associação.

O momento da aprovação deste documento levou o presidente da Câmara da Trofa, Sérgio Humberto, a abandonar a reunião do Conselho Metropolitano do Porto (CmP) de 25 de outubro, depois de uma troca de acusações com o presidente daquele órgão, Eduardo Vítor Rodrigues.

Na reunião de hoje, o presidente do CmP, que convidou como observador o presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, município que não integra a AMP, reiterou que este era um processo complexo que levou o seu tempo e que obrigou a uma abordagem jurídica.

Por seu turno, o presidente da Câmara de Santo Tirso, Alberto Costa, salientou que a assinatura deste memorando não implica a assunção de compromissos financeiros para os restantes municípios, além da Trofa, destacando a importância da constituição de uma nova autoridade de transportes para a gestão dos interesses comuns dos três municípios.

Já o presidente da Câmara da Trofa, Sérgio Humberto, frisou o caráter “único” do processo desencadeado por estes três municípios, que aguardavam apenas o parecer da AMP para “lançar o concurso” de transportes para aquele território.

Na reunião de 25 de outubro, o autarca envolveu-se numa troca de palavras com Eduardo Vítor Rodrigues.

À data, os municípios da Trofa e Santo Tirso pretendiam que reunião seguinte da CmP, marcada para 06 de dezembro, fosse alterada para data anterior, para permitir que o memorando de entendimento sobre as linhas intermunicipais que atravessam os dois concelhos e ainda o município de Famalicão, fosse incluído na ordem de trabalhos da assembleia municipal de 02 de dezembro.

Os três municípios pretendem constituir-se como Associação de Municípios, a MobiAve, cuja criação está dependente de um entendimento com a AMP que, como autoridade de transporte, gere a rede.

A constituição da associação já teve luz verde da Comunidade Intermunicipal do Ave (CIM do Ave), que, em matéria de autoridade de transportes gere o concelho de Famalicão, faltando uma decisão da AMP, relativamente aos municípios de Santo Tirso e Trofa.

Na reunião de hoje, o autarca de Famalicão, Paulo Cunha, agradeceu o voto de confiança da AMP e sublinhou que o projeto em causa vai representar uma melhoria das condições de acessibilidades para os habitantes não só daqueles três municípios, como também dos que diariamente se descolam para aquele território por motivos profissionais.

Na reunião, o presidente da Câmara da Trofa anunciou ainda que o Tribunal de Contas já deu luz verde ao projeto da construção dos paços do concelho.

Anúncio

Ave

Carro arde na A7 em Famalicão

Sentido Famalicão-Vila do Conde

em

Foto: Facebook de "Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão"

Um automóvel ligeiro ficou destruído num incêndio rodoviário, ao final da manhã deste sábado, na A7, em Famalicão.

Fonte dos bombeiros disse a O MINHO que o sinistro ocorreu no sentido Famalicão – Vila do Conde, no troço daquela autoestrada que atravessa a freguesia de Vilarinho das Cambas.

Foto: Facebook de “Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Famalicão”

O alerta foi dado cerca das 11:35 mobilizando nove operacionais e quatro viaturas dos Bombeiros de Famalicão.

Não há vítimas a registar, mas o carro ficou destruído, disse a mesma fonte.

A GNR registou a ocorrência.

Continuar a ler

Ave

Continental oferece ecógrafo de 20 mil euros ao Hospital de Famalicão

A pedido do centro hospitalar

em

Foto: Divulgação / CHMA

O Centro Hospitalar do Médio Ave (CHMA) recebeu, esta quinta-feira, um novo ecógrafo para o Hospital de Famalicão, oferta da empresa multinacional Continental, com um complexo industrial naquele concelho.

A oferta surge no “âmbito da política de responsabilidade social da empresa”, refere Pedro Carreira, presidente do conselho de administraçao da Continental-Mabor de Lousado.

O responsável explicou, na cerimónia de entrega, que este foi um novo pedido do CHMA, depois da oferta, noutros anos, de dois aparelhos similares e um raio-x portátil.

O presidente do conselho de administração do CHMA, António Barbosa, salientou “a importância de mais uma iniciativa da Continental com o centro hospitalar, prosseguindo a colaboração na aquisição de equipamentos para a nova clínica, que vai servir diretamente a população dos três concelhos de influência do CHMA”.

“Constitui um incentivo para todos os profissionais, que necessitam dos equipamentos certos para fazer os diagnósticos mais corretos”, vincou António Barbosa.

O novo equipamento, no valor de cerca de 20 mil euros, vai equipar a Clínica da Mulher, da Criança e do Adolescente, uma obra que se prevê ficar concluída em março.

Continuar a ler

Ave

Famalicão é responsável por quase 10% das exportações do têxtil e vestuário em Portugal

Economia

em

Foto: Divulgação

O peso das exportações de têxteis técnicos em 2018 em Famalicão subiu para 31%, 156 milhões de euros, mais 6% do que em 2017, assumindo o concelho 9,4% das exportações daquela indústria em Portugal, foi esta terça-feira divulgado.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara de Famalicão, tendo por base o mais recente Anuário Estatístico Regional do INE, referente ao ano de 2018, aponta que “é cada vez mais relevante a importância dos têxteis técnicos no total das exportações em Famalicão”

Segundo os dados revelados, “a performance exportadora dos têxteis técnicos e/ou funcionais está em crescendo”, tendo sido de 111 milhões em 2016, 124 milhões de euros em 2017 e agora para 156 milhões em 2018

O município de Famalicão, que ostenta a marca de Cidade Têxtil de Portugal, realça o texto, “assume 9,4% das exportações da indústria têxtil e vestuário em Portugal, com 502 milhões de euros de vendas para o exterior em 2018, o que corresponde a 24,2% do total das exportações do concelho”.

Os principais mercados de exportação dos têxteis famalicenses são Espanha (19%), Alemanha (16%) e França (11%).

Segundo o texto, “em 2018, o volume de negócios cresceu para os 817 milhões de euros e o valor acrescentado bruto subiu para os 263 milhões de euros”.

A indústria têxtil e do vestuário conta, em Famalicão, com 852 empresas e regista um total de 10.902 pessoas ao serviço.

Continuar a ler

Populares