Seguir o O MINHO

Alto Minho

Arcos de Valdevez: Paço de Giela reabre após obras de 1,3 ME

em

Nas comemorações dos 500 anos do foral. Pedro Passos Coelho presente.

 

As obras de reabilitação do Paço de Giela, um monumento nacional com mais de 500 anos em Arcos de Valdevez, custaram 1,3 milhões de euros e vão ser inauguradas no sábado, informou o município.

cartaz inauguracao paco medieval arcos de valdevez

Em comunicado, a Câmara Municipal explicou que a intervenção consistiu na reabilitação do edifício do paço e das antigas casas dos caseiros, que foram transformadas em espaço de receção ao visitante.

Contemplou ainda o restauro da Capela de Santa Apolónia, do século XVII.

Na torre medieval, passará a ser possível ver uma exposição, com conteúdos interativos, sobre a história do edifício.

A mostra será composta por temáticas ligadas à arqueologia de Arcos de Valdevez e à interpretação da história do próprio paço, bem como por um filme 3D sobre o “Recontro de Valdevez”, um episódio histórico ocorrido em 1141 e fundador da identidade nacional.

Integrada nas comemorações dos 500 anos do foral, a inauguração terá lugar no Dia do Município e contará com a presença do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

O Paço de Giela estava em risco de ruína há vários anos, apesar de ser um dos mais importantes valores patrimoniais do concelho, classificado como monumento nacional desde 1910.

Na envolvente, fica o Parque Urbano do Paço de Giela, uma quinta com 22 hectares.

Segundo informação da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), o “conjunto apalaçado” de Giela constitui “um dos mais interessantes exemplos de habitação nobre em meio rural” da Idade Média em Portugal.

Alguns historiadores atribuem as primeiras obras no local ao período “anterior à nacionalidade”, enquanto o Instituto de Gestão do Património Arquitetónico e Arqueológico (Igespar) admite que a construção da torre principal e mais simbólica do espaço terá acontecido no século XV.

“Uma das suas características mais marcantes [da torre] é o facto de não possuir quaisquer aberturas, à exceção de uma janela que encima o portal e uma fresta do lado norte, circunstância que lhe confere uma solidez militar verdadeiramente impressionante”, lê-se na página de Internet da DGPC.

 

Populares