Seguir o O MINHO

Ave

Reciclar passa a dar direito a bilhetes de cinema em Braga, Guimarães, Famalicão e não só

Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Fafe, Guimarães, Famalicão e Vizela

em

Foto: DR

A aplicação móvel Recycle BinGo, lançado em fevereiro último, onde o utilizador pode reciclar e receber prémios em troca chega agora à região norte do país, incluindo Braga e vários concelhos do vale do Ave.

Com o apoio do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, esta aplicação foi lançada pela Valorsul, Amarsul e Valorlis, e chega agora ao vale do Ave com implementação da Resinorte.

Esta aplicação permite que as famílias residentes em Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Fafe, Guimarães, Famalicão e Vizela, possam agora visitar o Ecoponto Habitual, através de geolocalização.

Foto: Divulgação / DR

Após o check-in na app, são desbloqueados EcoGifts que preenchem um cartão (BinGo). Uma vez preenchido esse cartão, é atribuído ao utilizador EcoMoedas, que podem depois ser trocadas por prémios como bilhetes de cinema e vales de desconto.

A Resinorte é hoje responsável por reciclar e tratar mais de 350 mil toneladas de resíduos em 35 municípios, num total de um milhão de habitantes.

Anúncio

Ave

Câmara de Famalicão cria espaço verde junto a castro para preservar património

Castro de S. Miguel do Anjo, em Calendário

em

Foto: Divulgação / CM Famalicão

A Câmara de Vila Nova de Famalicão está a executar trabalhos de limpeza florestal no terreno do Castro de S. Miguel-o-Anjo, na freguesia de Calendário, para ali criar um espaço verde e qualificado, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município refere que se trata de um espaço com cerca de 80 mil metros quadrados, adquirido pela Câmara em 2017, com o objetivo de salvaguardar e preservar aquele património, permitindo o estudo e a investigação sobre o passado histórico do local.

Foto: Divulgação / CM Famalicão

Neste âmbito, a autarquia está a elaborar um plano estratégico com um conjunto de ações, entre as quais a prospeção arqueológica do local e respetivo levantamento topográfico.

Entretanto, e para já, estão a ser desenvolvidos trabalhos que permitirão disponibilizar em breve um espaço verde, “cuidado e qualificado”, ao serviço população.

Os serviços municipais da Proteção Civil estão no terreno a desenvolver trabalhos de limpeza de eucaliptos e desmatação, protegendo e salvaguardando as espécies autóctones.

“Estamos a criar condições para que a população possa desfrutar deste espaço, convivendo com a natureza, através de atividades desportivas como caminhadas ou simplesmente em ações de lazer e descanso”, refere o presidente da Câmara, citado no comunicado.

Paulo Cunha sublinha que aquele terreno “merece” ser recuperado e devolvido à população, pela sua localização “que permite uma vista panorâmica de grande beleza, mas também pelo seu valor histórico e patrimonial, enquanto guardião de um passado longínquo”.

Classificado como imóvel de interesse público desde 1990, aquele espaço acolhe as ruínas de um povoado fortificado cujos achados arqueológicos apontam para uma datação que se situa entre o séc. I a.C. e o séc. I d.C..

Localizado num pequeno outeiro que se destaca do vale, o Castro de S. Miguel-o-Anjo goza de uma ampla vista em todo o seu redor (360 graus).

Da sua plataforma central (acrópole), usufrui-se de um domínio visual “privilegiado” sobre a cidade de Vila Nova de Famalicão, o Monte do Facho e quase todo o concelho.

Quando as condições atmosféricas são favoráveis, também são visíveis o mar e os concelhos vizinhos da Trofa, Santo Tirso, Guimarães e Vila do Conde.

Continuar a ler

Ave

Cabeceiras de Basto vai criar onze miradouros nas aldeias do concelho

Contemplação e preservação da paisagem

em

Foto: Divulgação / CM Cabeceiras de Basto

A Câmara de Cabeceiras de Basto aprovou a criação de uma rede de onze miradouros, que vai permitir a contemplação e preservação do património paisagístico e histórico-cultural espalhado pelas aldeias do concelho, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município acrescenta que a rede de miradouros pretende igualmente “reavivar memórias e tradições”.

“Por se encontrarem em zonas altas e de vistas desafogadas, os locais permitem a contemplação de amplas paisagens, debruçadas sobre os vales do concelho”, refere o comunicado.

A rede será composta, desde logo, pelos miradouros de Porto D’Olho em Abadim, do Alto do Madoiro em Bucos, do Calhau da Curvaceira em Gondiães, de Santa Bárbara em Pedraça e das Cerdeirinhas em Refojo.

Integrarão ainda a rede os miradouros dos Esporões, de Fuliposo, de Magusteiro, de Meijoadela, do Nariz do Mundo e de Cambezes na freguesia de Riodouro.

O Projeto de Rede de Miradouros no concelho de Cabeceiras de Basto vai integrar uma candidatura, que está a ser preparada, a fundos comunitários, no âmbito do PDR 2020 – Renovação de Aldeias.

A Câmara sublinha que as intervenções propostas são “fundamentais” para promover a dinamização local, favorecendo o ordenamento do território, promovendo a imagem do concelho e permitindo a contemplação dos “vários pontos” de interesse paisagístico que o território oferece.

“Tendo sempre presente a preocupação da preservação do património e da presença histórico-cultural no concelho de Cabeceiras de Basto, e em específico das aldeias que circundam as zonas a intervir, a implementação de 11 miradouros pretende reavivar memórias e tradições, bem como proporcionar condições de fruição do espaço envolvente e do património paisagístico existente”, lê-se ainda no comunicado.

Continuar a ler

Guimarães

Câmara de Guimarães investe 3 milhões em estrada que liga três freguesias

Reperfilamento da Estrada Municipal 582, que liga Fermentões, Pencelo e Selho S. Lourenço

em

Foto: Divulgação / CM Guimarães

A obra de reperfilamento da Estrada Municipal 582, que liga Fermentões, Pencelo e Selho S. Lourenço, em Guimarães, vai arrancar em breve, num investimento de cerca de três milhões de euros, anunciou hoje o município.

Em comunicado, o município refere que em causa está “um projeto completo” e não “uma simples repavimentação”.

”Se a intenção fosse apenas uma simples repavimentação, a obra já estaria feita há muito tempo, mas queremos um arruamento urbano, desde Fermentões, Pencelo e Selho S. Lourenço, numa zona densamente urbanizada, pois merece um espaço físico com arborização, iluminação, estruturas urbanas, passeios e isso leva mais tempo”, refere o presidente da Câmara, citado no comunicado.

Domingos Bragança adianta também que o projeto de requalificação para a zona do Parque Industrial de Pencelo está em curso, com vista ao avanço de obras “ao fim de vários anos, de modo a que as empresas que lá estão sintam que estão bem e tratem das suas ampliações”.

A intervenção na Estrada Municipal 582 tem como base a mitigação das debilidades existentes, nomeadamente nas pavimentações e organização espacial, permitindo a melhoria da mobilidade, com a introdução de percursos pedonais interligados (passeios) e organização do parqueamento automóvel.

Tudo para conceder à população “outras condições e possibilidade de uso de meios de mobilidade alternativos, bem como melhores acessibilidades”.

No final da reunião de Câmara de hoje, e no âmbito das obras comparticipadas pelo Estado central, Domingos Bragança adiantou ainda o início do desnivelamento da rotunda de Silvares, enquanto se aguarda que o projeto para o posto da GNR de Lordelo seja contemplado no Orçamento de Estado.

Destacou também o projeto elaborado pela Universidade do Minho para a construção do edifício do Campus da Justiça, junto ao Parque da Cidade.

Continuar a ler

Populares