Seguir o O MINHO

Alto Minho

Apicultores do Alto Minho registam menos prejuízos causados pela vespa asiática

em

Foto: DR/Arquivo

O presidente da Associação Apícola de Entre Minho e Lima (APIMIL) apontou esta sexta-feira uma diminuição dos prejuízos causados pela vespa asiática na produção de mel, justificada pela instabilidade das condições climatéricas.


“O fim do período de hibernação da espécie tem, este ano, um atraso de cerca de dois meses. As vespas só começaram a sair dos ninhos em finais de julho, início de agosto, quando, em anos anteriores isso acontecia em junho”, explicou hoje à Lusa, Alberto Dias.

O responsável pela associação mais interventiva do distrito de Viana do Castelo aquando da chegada desta espécie invasora e dos prejuízos que causou na produção de mel da região, em 2012, adiantou que aquele atraso no final do período de hibernação da espécie “fica a dever-se à grande instabilidade meteorológica que se tem registado este ano”.

“A produção de mel também está a ser afetada pelas condições meteorológicas. Por ano, a região produz cerca de 150 toneladas de mel. Este ano registamos uma diminuição acentuada, da ordem dos 40 a 50%”, destacou.

Alberto Dias acrescentou que existe na região um “acompanhamento mais próximo da praga da vespa asiática, quer por parte de entidades responsáveis, quer dos apicultores e agricultores”.

“A propagação está mais controlada e os ataques às culturas de fruta, vinha e à produção de mel são menores, comparativamente a anos anteriores”, destacou, dando como exemplo “a colocação, entre maio e abril, de armadilhas artesanais à saída dos ninhos para eliminar as vespas à medida que vão saindo dos ninhos”.

Dados da APIMIL indicam que cada ninho pode albergar até 2.000 vespas e 150 fundadoras de novas colónias, que no ano seguinte poderão vir a criar pelo menos seis novos ninhos.

A vespa velutina é uma espécie asiática com uma área de distribuição natural pelas regiões tropicais e subtropicais do Norte da Índia ao leste da China, Indochina e ao arquipélago da Indonésia, sendo a sua existência reportada desde 2011 na região Norte de Portugal.

Os principais efeitos da presença desta espécie não indígena manifestam-se não só na apicultura, por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas, mas também para a saúde pública, porque, embora não sendo mais agressivas do que a espécie europeia, reagem de modo mais agressivo se sentirem os ninhos ameaçados, podendo fazer perseguições até algumas centenas de metros.

Esta espécie predadora foi introduzida na Europa através do porto de Bordéus, em França, em 2004. Os primeiros indícios da sua presença em Portugal surgiram em 2011, mas a situação só se agravou a partir do final do ano seguinte.

Viana do Castelo é o concelho do Alto Minho com maior número de casos de ninhos daquela espécie.

A destruição ocorre sempre quando cai a noite, período em que as vespas fundadoras estão no interior das colmeias.

Anúncio

Alto Minho

Melgaço: Escola recorda “sorriso” e “garra” de ex-aluno que morreu em explosão

em

O jovem de 22 anos que, na tarde desta segunda-feira, faleceu na sequência de uma explosão de um forno de combustão numa fábrica de borracha, em Melgaço, estudou na ETAP – Escola Profissional, em Vila Praia de Âncora, Caminha. Numa nota partilhada na sua página de Facebook, a instituição recorda o ex-aluno, José Mário Costa, formado no curso de Cozinha/Pastelaria e que “partiu, hoje, de forma inesperada”.

“Recordaremos sempre o José Mário porque foi um dos alunos que nos marcou. O seu sorriso, a sua garra, a responsabilidade com que encarou os três anos de curso, os estágios e a realização da sua PAP”, refere a ETAP.

Morreu um dos feridos da explosão em fábrica de borracha em Melgaço

“Deixa muitos amigos, mas deixa também o seu exemplo enquanto aluno excelente e ser humano de muitos valores e respeito. A Direção da ETAP apresenta as suas condolências à família e amigos do Zé Mário, nesta hora de grande dor para todos”, acrescenta a nota.

Além da vítima mortal, a explosão na fábrica de Melgaço deixou uma mulher de 29 anos em estado grave.
Fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) explicou que a mulher, que “não corre risco de vida, foi transportada ao hospital de São João, no Porto”.

O alerta foi dado cerca das 15:08, tendo sido deslocadas para o local duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), uma estacionada em Melgaço e outra em Valença, a Viatura de Emergência Médica (VMER) do hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo e uma unidade móvel de intervenção em psicologia de emergência.

De acordo com o CDOS, a explosão foi comunicada à Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) de Viana do Castelo.

Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse que a Aflex Portugal-Indústria de Borrachas, instalada na zona industrial de Penso emprega cerca de 100 trabalhadores e “é a maior produtora de tubos de borracha para indústria automóvel do distrito de Viana do Castelo”.

Continuar a ler

Alto Minho

Mulher gravemente ferida em despiste na EN202 em Ponte de Lima

Acidente

em

Uma mulher de 39 anos ficou gravemente ferida após o carro em que seguia se despistar e capotar, na noite desta segunda-feira, na Estrada Nacional 202, freguesia de Santa Comba, em Ponte de Lima, apurou O MINHO junto de fontes dos bombeiros e do CDOS de Viana do Castelo.

A viatura ligeira despistou-se numa zona de curva, em circunstâncias por apurar.

A vítima foi transportada para o Hospital de Viana do Castelo.

O alerta foi dado pelas 22:10.

Os Bombeiros de Ponte de Lima prestaram socorro com dois operacionais e uma vitura.

A GNR tomou contada ocorrência.

Continuar a ler

Viana do Castelo

Viana assinala centenário de Amadeu Costa com exposição e sessão solene

Etnógrafo

em

Foto: CM Viana do Castelo

A Câmara de Viana do Castelo vai assinalar, na sexta-feira, o centenário do nascimento do etnógrafo Amadeu Costa com a inauguração de uma exposição e uma sessão solene, informou hoje a autarquia.

Em comunicado, a autarquia explicou que “as comemorações incluem a inauguração da exposição “Amadeu Costa – Homenagem pelo centenário de nascimento”, no Museu do Traje, e uma sessão solene no teatro municipal Sá de Miranda.

Amadeu Alberto Lima da Costa nasceu a 23 de outubro de 1920 e faleceu em 30 de março de 1999, em Viana do Castelo, aos 78 anos.

Etnógrafo, investigador e dinamizador cultural, foi uma “figura incontornável da cultura tradicional de Viana do Castelo pelo estudo e divulgação que dela realizou ao longo de toda a sua vida”.

Continuar a ler

Populares