Seguir o O MINHO

Região

Aparatoso acidente em Vieira do Minho destrói viatura e faz um ferido

Esta madrugada

em

Foto: DR

Uma colisão ocorrida nesta madrugada de domingo provocou avultados danos materiais em duas viaturas e deixou uma pessoa ferida, em Cuqueira, concelho de Vieira do Minho.

Foto: DR

Foto: DR

De acordo com dados recolhidos junto da Autoridade Nacional para a Proteção Civil, o alerta foi dado pelas 03:22 desta madrugada, mobilizando um total de oito operacionais bombeiros e três viaturas dos Bombeiros de Vieira do Minho.

A vítima foi transportada para o Hospital de Braga com ferimentos considerados “ligeiros”.

A GNR registou a ocorrência.

Anúncio

Barcelos

“Here you go”: Barcelenses Sensible Soccers no cartaz do festival holandês Eurosonic

Escolha foi feita pela rádio portuguesa Antena 3

em

Foto: Facebook de ESNS (2013)

Os barcelenses Sensible Soccers vão atuar em janeiro no festival Eurosonic Noorderslag, em Groningen, na Holanda, foi anunciado, na terça-feira.

A organização anunciou, no ‘site’ oficial, as primeiras 33 bandas e artistas do cartaz, escolhidas por várias rádios nacionais europeias. Em Portugal, a escolha cabe à Antena 3. Além disso, foi anunciada a presença de quatro artistas e bandas da Suíça, o país em foco na edição de 2020.

OS Sensible Soccers, de Barcelos, editaram em março deste ano o terceiro álbum, “Aurora”. Em edição de autor com o apoio da GDA, “Aurora” foi gravado em residência na Casa do Soto, em Arouca.

Os Sensible Soccers, cuja discografia inclui ainda “8” e “Villa Soledade”, são Hugo Gomes (teclados), Manuel Justo (teclados e sintetizador) e André Simão (baixo e ‘drumpads’).

Continuar a ler

Barcelos

Prisão preventiva para homem que roubou dois anéis de ouro a idosa em Barcelos

Foram detidas outras duas mulheres e identificada uma criança de 10 anos

em

Foto: Ilustrativa / DR

Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães aplicou prisão preventiva a um homem de 58 anos detido na segunda-feira por roubo de dois anéis de ouro a uma idosa em Barcelos, anunciou hoje a GNR.

Em comunicado, a GNR acrescenta que o juiz aplicou apresentações diárias no posto policial da sua área de residência a duas mulheres, de 40 e 18 anos, também detidas pelo mesmo crime.

No processo, a GNR identificou um menor de 10 anos que acompanhava os suspeitos e que foi entregue a um familiar, tendo os factos sido comunicados à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da Maia.

A GNR recuperou os dois anéis de ouro que tinham sido roubados à idosa, de 82 anos, bem como apreendeu 210 euros, uma nota de penhora no valor de 385 euros e um veículo.

Continuar a ler

Ave

Acusado de tentar matar mulher em Famalicão alega que apenas se quis defender

Vítima ficou cega

em

Foto: Imagens CMTV

Um homem de 43 anos acusado de ter tentado matar por asfixia uma mulher em Pedome, Famalicão, por causa de uma paixão não correspondida, alegou hoje que apenas se quis defender de um ataque de fúria da vítima.

No início do julgamento, no Tribunal de Guimarães, o arguido disse que a vítima “parecia um demónio” e que ameaçou matá-lo, tendo começado por o tentar agredir com um copo.

Disse ainda que a vítima lhe uma joelhada e lhe puxou os cabelos, tendo ambos caído ao chão.

Nessa altura, desferiu “duas ou três pancadas” na vítima com o manípulo da máquina do café, mas nem viu onde acertou.

“Estava sempre a pedir-lhe para parar mas ela parecia que estava possuída. Apenas lhe encostei uma mão ao pescoço para me defender. Tive que usar um bocado de força. Quando vi que ela ficou parada, quieta, fiquei em pânico”, referiu.

Sublinhou que nunca teve intenção de “fazer mal” à vítima e que “só a queria parar”.

Em resultado das agressões, a vítima, de 38 anos, que já tinha problemas graves de visão, ficou cega, tendo ainda sofrido perda parcial grave da audição. Ficou com incapacidade total para o trabalho.

O arguido disse ainda que mantinha uma “relação afetiva e próxima” com a vítima mas que, por vontade dela, nunca assumiram publicamente um namoro.

Admitiu que tinha “uma pontinha de ciúmes” e que insistia num relacionamento mais sério.

Também ouvida na sessão de hoje do julgamento, a vítima disse que nunca houve qualquer relacionamento amoroso entre ambos, embora o arguido fizesse questão de “publicitar” esse relacionamento entre amigos e colegas de trabalho.

“Éramos amigos, não tive nenhuma relação afetiva com ele”, afirmou.

Disse que o arguido a controlava e lhe enviava mensagens a toda a hora, o que a levou a bloqueá-lo no telemóvel e no “Messenger”, e negou qualquer agressão ao arguido.

Segundo a acusação, completamente corroborada pela vítima, os factos ocorreram na tarde de 03 de julho de 2018, num bar explorado pela vítima e onde o arguido trabalhava aos fins-de-semana.

O arguido “foi manifestando intenção de namorar” com a vítima e ficou “obcecado” por ela, dizendo mesmo a amigos e colegas de trabalho que ela era sua namorada.

No entanto, a vítima nunca terá aceitado qualquer relacionamento com o arguido.

Ainda de acordo com a acusação, no dia dos factos, numa altura em que estava sozinho com a vítima no bar, o arguido, e ainda segundo a acusação, decidiu matá-la, tendo-lhe desferido uma “violenta pancada” num ouvido com uma garrafa, seguindo-se um “violento murro” num olho.

Terá agredido ainda a vítima com um manípulo da máquina do café, atirou-a ao chão e tentou asfixiá-la, com um saco plástico, uma corda e um pau.

Alegadamente, a vítima fingiu estar morta e só então o arguido desistiu das agressões.

O arquido terá, então, tirado 200 euros que a vítima tinha no bolso, e levado um telemóvel e ainda 80 euros que havia na caixa e abandonou o bar, trancando todas as portas.

A vítima terá conseguiu arrastar-se até uma janela e gritou por auxílio, tendo sido socorrida pela GNR e bombeiros.

O arguido alegou que pensou que a vítima “estava morta”, que ficou desesperado e que pegou em 80 euros da caixa registadora “para fugir”.

Disse ainda que levou também o telemóvel da vítima para “ler as mensagens”, negando que tivesse trancado a porta.

O arguido responde pelos crimes de homicídio agravado, na forma tentada, e de roubo agravado.

Continuar a ler

Populares