Seguir o O MINHO

Braga

Vilela já conhece medidas de coação. PJ apreendeu “bens de valor elevado”

em

Foto de arquivo (DR)

O presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, detido pela Polícia Judiciária (PJ) esta terça-feira, por suspeitas de corrupção e prevaricação, participação em negócio e abuso de poder, saiu em liberdade, após interrogatório, ficando proibido de se ausentar do país e de contactar com o outro arguido no processo.

Esta são também as medidas de coação aplicadas a José Luís Nogueira, dono da Escola Profissional Amar a Terra Verde (EPATV).

Pedro Costa, advogado de António Vilela, mostrou-se satisfeito com as medidas aplicadas pela juíza do Tribunal de Braga, Magda Costa.

A alienação, em 2011, de 51% daquela Escola criada pelos municípios de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro, a uma empresa privada, a concessão de um parque estacionamento à superfície e a construção de um parque de estacionamento a uma empresa do setor da construção civil são os casos que estão a ser investigados.

Em comunicado divulgado no site da Internet, a Polícia Judiciária já havia adiantado terem sido apreendidos “bens de valor elevado”, incluindo “automóveis e elevadas quantidades de dinheiro”.

Comunicado da PJ na íntegra

Departamento de Investigação Criminal de Braga, 15 de fevereiro de 2017

Detenção de suspeitos pelos crimes de corrupção, prevaricação e outros ilícitos criminais da responsabilidade de titulares de cargos políticos

Foram detidos pela Polícia Judiciária, no cumprimento de mandatos emitidos pelo DIAP de Braga, dois homens pela prática dos referidos crimes no Concelho de Vila Verde

No âmbito de investigações dirigidas pelo DIAP de Braga, a Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga e com a colaboração do GRA Norte, procedeu à detenção de dois homens suspeitos da prática dos crimes de corrupção, prevaricação e outros ilícitos criminais da responsabilidade de titulares de cargos políticos.

Os factos ocorreram no Concelho de Vila Verde e relacionam-se com a concessão privada de estacionamento municipal e uma escola profissional, envolvendo pelo menos um autarca e um diretor da referida escola.

Foi dado cumprimento a mandados de busca, apreendidos e arrestados bens de valor elevado, designadamente automóveis e elevadas quantidades de dinheiro.

Os detidos, de 56 e 61 anos de idade, vão ser presentes no dia de hoje às autoridades judiciárias competentes.

 

Populares