Seguir o O MINHO

Arcos de Valdevez

António Costa inaugura reabilitação de 4,1 milhões em escola de Arcos de Valdevez

Tiago Brandão Rodrigues também estará no evento

em

Foto: DR/Arquivo

A requalificação da Escola Básica 2,3/S de Arcos de Valdevez, com cerca de 30 anos e 1.200 alunos, vai ser inaugurada na quarta-feira, após um investimento superior a 4,1 milhões de euros, informou hoje o presidente da Câmara.

A cerimónia de inauguração da requalificação da escola básica está marcada para quarta-feira, às 15:00, com a presença anunciada do primeiro-ministro, António Costa, e do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Em declarações à agência Lusa, o social-democrata João Manuel Esteves adiantou que a obra, que se prolongou durante dois anos, implicou um investimento municipal de 1,2 milhões de euros e financiamento comunitário de cerca de 2,7 milhões.

“Foi uma intervenção profunda com o objetivo de criar condições a alunos e professores. Agora é uma escola virada para o futuro, dotada das ferramentas necessárias para que alunos e professores enfrentem os desafios do futuro”, afirmou João Manuel Esteves.

O presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo, sublinhou a importância da empreitada realizada no edifício, que estava em “avançado estado de degradação”, e a colaboração da toda comunidade educativa, que permitiu “conciliar” os trabalhos de requalificação com as aulas.

“Foram dois anos de obras que foram realizadas faseadamente para não afetar o normal funcionamento das aulas”, destacou.

A intervenção agora concluída permitiu dotar o estabelecimento de ensino com 135 espaços de ensino, educação, cultura, sociais, de gestão e administração escolar, entre outros.

A escola nunca foi alvo de alguma manutenção que “atenuasse o desgaste das estruturas devido aos anos de vida dos edifícios e sua consequente utilização”.

A intervenção incluiu “a substituição da cobertura em fibrocimento por painel ‘sandwich’, o que, além de cumprir a função impermeabilizante, melhorará significativamente o comportamento térmico e a eficiência energética dos edifícios”.

Foi também colocado um sistema de aquecimento.

A requalificação incidiu no pavilhão polivalente, nos blocos I, II e oficina, e incluiu a colocação de mobiliário escolar, material didático, mobiliário e equipamento técnico de laboratório e equipamento informático e multimédia.

A empreitada “criou condições de segurança e de acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida”.

Já o auditório, com capacidade para 180 lugares sentados, “contempla uma área com bancada retrátil, permitindo a fácil utilização desse espaço para várias atividades em simultâneo”, sendo que “todos os edifícios serão interligados por passagens cobertas”.

Segundo a Câmara, a obra “completa as intervenções na rede de equipamentos escolares do concelho”, após a reabilitação efetuada nas escolas básicas de Távora Santa Maria e Eira do Penedo – Soajo.

Anúncio

Arcos de Valdevez

Arcos de Valdevez: Bovinos resgatados na Ecovia do Vez

Em Cabreiro

em

Foto: Filipe Guimarães/Bombeiros de Arcos de Valdevez

Três bovinos foram resgatados na tarde desta quarta-feira na Ecovia do Vez, entre os lugares da Sra. dos Aflitos em Sistelo e S. Sebastião, em Cabreiro, Arcos de Valdevez.

Os animais terão entrado na ecovia e na zona dos passadiços em Cabreiro. A forte inclinação e a chuva tornaram o piso escorregadio o que terá resultado na queda dos animais e consequente imobilização, segundo explica Filipe Guimarães, comandante dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, responsáveis pelo resgate.

O comandante, na sua publicação na rede social Facebook, alerta os proprietários de animais desta zona que em dias de chuvas evitem o acesso dos animais à ecovia, pois neste local existem algumas ravinas que podem ser fatais aos animais

No local esteve uma viatura daquela corporação e três operacionais.

Continuar a ler

Arcos de Valdevez

Mulher encontrada carbonizada em Arcos de Valdevez

PJ foi chamada ao local

em

Foto: DR / Arquivo

Uma mulher de 74 anos foi encontrada carbonizada ao final da manhã desta quarta-feira, no lugar de Campo Grande, na Vila de Soajo, em Arcos de Valdevez.

A mulher vivia com o marido e, alegadamente, sofria de perturbação psiquiátrica.

Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários dos Arcos de Valdevez, o alerta foi dado às 12:20.

No local encontraram o corpo já cadáver, já coberto por um lençol. Filipe Guimarães revelou ainda à volta do corpo havia pouco área ardida e uma caixa de fósforos.

Por levantar dúvidas, foram chamados os inspectores da PJ, que ainda estão no local a fazer perícias.

No local estiveram três viaturas dos bombeiros, com 15 elementos, a GNR, a VMER de Arcos de Valdevez e unidade de psicologia do INEM.

Continuar a ler

Arcos de Valdevez

GNR investiga se existiu crime em incêndio que destruiu fábrica de madeiras em Arcos de Valdevez

Na zona industrial de Padreiro

em

Foto: Facebook de JF Padreiro

A GNR informou hoje que irá investigar as causas do incêndio que destruiu por completo uma fábrica de transformação de madeiras instalada na zona industrial de Padreiro, em Arcos de Valdevez, assim que o fogo seja totalmente extinto.

Fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, contactada hoje pela agência Lusa, disse que o incêndio deverá ser extinto durante o dia, sendo que, às 10:15, estavam “em curso operações de rescaldo”.

Dominado incêndio que destruiu fábrica de madeiras em Arcos de Valdevez

“A proteção civil espera ter o incêndio extinto durante o dia de hoje. A partir desse momento a GNR irá iniciar a investigação para apurar se existiu intenção criminosa ou dolosa. A confirmar-se esse cenário, o caso será encaminhado para a Polícia Judiciária”, especificou aquela fonte.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara de Arcos de Valdevez, João Manuel Esteves, explicou que “a fábrica, instalada há mais de uma década naquela zona industrial, com cerca de dez trabalhadores, é detida por um empresário do concelho.

O autarca social-democrata, que durante a noite de quarta-feira e madrugada de hoje acompanhou os trabalhos de combate ao incêndio, lamentou a destruição da empresa familiar e solidarizou-se com o proprietário e os trabalhadores.

João Manuel Esteves agradeceu “a intervenção pronta, profissional e corajosa de todos os bombeiros envolvidos” no combate às chamas.

“Desde logo o meu agradecimento aos bombeiros de Arcos de Valdevez, os primeiros a chegar ao local. Também ao comando distrital pela intervenção e coordenação do incêndio que impediu uma tragédia maior, evitando que as chamas se propagassem às fábricas vizinhas e à creche da zona industrial”, disse.

O incêndio deflagrou pelas 20:50 de quarta-feira e foi dominado cerca das 01:00, informou o comandante operacional distrital (CODIS) de Viana do Castelo.

Durante a madrugada, Marco Domingues disse ao jornalistas que “quando o fogo deflagrou a fábrica encontrava-se encerrada e sem ninguém no seu interior”, referindo que os trabalhos de consolidação seriam demorados “devido à carga [combustível] acumulada no interior” do espaço.

O responsável da Proteção Civil distrital referiu que, deste incêndio resultou um ferido ligeiro, um bombeiro que sofreu uma entorse e foi transportado para o Hospital de Santa Luzia, em Viana do Castelo.

O comandante dos Bombeiros de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, explicou que o alerta foi dado por um bombeiro da corporação que passava no Itinerário Complementar 28 (IC28).

O comandante dos bombeiros acrescentou que o trabalho de rescaldo é demorado, “porque a fábrica tinha pilhas de madeira empilhada com cerca de cinco a seis metros de altura”.

Ao local acorreram 14 corpos de bombeiros dos distritos de Viana do Castelo e Braga, num total de 130 operacionais apoiados por 39 veículos, além de INEM e GNR.

Continuar a ler

EM FOCO

Anúncio

ÚLTIMAS

Vamos Ajudar?

Reportagens da Semana

Populares