Seguir o O MINHO

Braga

Amares. Ação da Cruz Vermelha não se fica pelo município

em

António Brandão, coordenador da Cruz Vermelha de Amares. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

A Delegação de Amares da Cruz Vermelha Portuguesa, que é das mais bem apetrechadas da região nortenha e estende toda a sua ação operacional à zona envolvente, com destaque para o concelho de Braga, é igualmente uma reserva e retaguarda operacional do INEM.


Segundo o coordenador da Delegação da Cruz Vermelha de Amares, António Brandão, “a nossa actividade é múltipla, porque nós para além do mais constituímos uma reserva do Instituto Nacional de Emergência Médica, o INEM, acorrendo a todas as solicitações, que não são só em Amares, como também nos concelhos limítrofes, incluindo Braga, para onde somos accionados pelo Centro Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Braga”.

Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Ao longo do ano de 2017 foram prestadas 1.457 emergências e ainda transportados 17.412 doentes, tendo dado apoio aos eventos desportivos, culturais e religiosos, percorrendo um total de 338.097 quilómetros, o que diz bem da abrangência do seu trabalho no quotidiano.

Ao nível dos seus meios humanos, a Cruz Vermelha Portuguesa dispõe em Amares de 77 voluntários e de seis enfermeiros, sendo que 13 são tripulantes de ambulâncias de socorro e 58 tripulantes de ambulância de transporte, o que sedimenta a sua atividade operacional.

Os meios móveis da Delegação de Amares da Cruz Vermelha incluem três ambulâncias de emergência, duas ambulâncias de transporte, seis veículos de transporte de doentes não urgentes, uma viatura de salvamento ligeiro/desencarceramento e também um veículo de coordenação, tendo organizado recentemente outro simulacro, no concelho de Amares.

A Delegação de Amares da CVP foi criada no dia 28 de dezembro de 1986, ainda como Unidade de Socorro/Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa e decorridos já mais de 31 anos, “esta instituição está enraizada e com um futuro promissor pela frente, tudo isto graças à qualidade dos serviços prestados à população”.

António Brandão, coordenador da Cruz Vermelha de Amares. Foto: Joaquim Gomes / O MINHO

Mérito e Excelência

Ao longo destes 31 anos, esta instituição, presidida por Mário Mendes, “deparou-se com diversas dificuldades, só que conseguindo sempre ultrapassá-las com mérito e excelência, sendo ainda reconhecida como uma instituição de referência a nível nacional pela qual se tornou na primeira Delegação com a Certificação em Transporte de Doentes ISSO 9001”.

Funcionando 24 horas por dia e 365 dias por ano, isto é, permanentemente, noite e dia, à semana, aos sábados, aos domingos e aos feridos, isto é, sempre, tem por missão intervir em situações de socorro, de catástrofe, de acidentes graves e quaisquer outras situações inerentes ao sofrimento humano, assegurando a minimização de perdas de vidas.

Os seus objetivos são dar cumprimento às missões de auxílio, assistência, tratamento de doentes e feridos, transporte e socorro, prestando serviços de socorro e de salvamento, de emergência, de assistência sanitária e de transporte de doentes para comunidade em geral.

Anúncio

Braga

Vítima de explosão em Vieira do Minho com 45% do corpo queimado foi para Coimbra

Acidente

em

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O homem de 46 anos vítima de queimaduras na sequência de uma explosão numa pedreira em Vieira do Minho foi helitransportado para o Hospital de Coimbra com queimaduras em 45 por cento do corpo.

A vítima ficou com queimaduras nos braços, tronco e cabeça. As queimaduras afetaram as vias respiratórias.

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

Foto: Paulo Jorge Magalhães / O MINHO

O acidente ocorreu numa pedreira entre as freguesias de Anissó e Tabuaças, com o ferido a ser inicialmente transportado de carro particular até à rotunda do Ouro, em Póvoa de Lanhoso, onde foi chamado socorro de emergência médica e um helicóptero.

No local estiveram os Bombeiros da Póvoa de Lanhoso, a VMER de Braga e um helicóptero do INEM, no total de 17 operacionais e oito viaturas.

Continuar a ler

Braga

Detido por bater nos pais idosos em Braga

Violência doméstica

em

Foto: DR

Um homem de 51 anos foi detido na terça-feira pelo crime de violência doméstica contra os pais, em Tenões, concelho de Braga, anunciou hoje a GNR. Durante a operação foram apreendidas cinco armas e 113 munições.

Na sequência de uma ocorrência por violência doméstica, em que foi possível apurar que o suspeito, um homem de 51 anos, exercia violência física e psicológica sobre os seus progenitores, há cerca de três anos.

Os militares efetuaram uma busca domiciliária por suspeita da posse de armas de fogo, o que culminou na apreensão de três caçadeiras, duas armas de ar comprimido e 113 munições.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Braga.

Continuar a ler

Braga

Mulher de Lisboa parte perna após queda em cascata no Gerês

Fecha de Barjas

em

Foto: DR

Uma mulher de 47 anos, residente em Lisboa, partiu uma perna na sequência de uma queda nas cascatas Fecha de Barja, mais conhecida como cascata do Tahiti, em Vilar da Veiga, ao final desta manhã de quarta-feira.

Ao que foi possível apurar por O MINHO, a lisbonense terá sofrido uma queda numa das rochas, caindo a uma das lagoas naturais.

Para o local foi mobilizada uma equipa de emergência da Cruz Vermelha de Rio Caldo com dois elementos e uma viatura apoiados pela equipa de resgate da UEPS da GNR (ex-GIPS).

A vítima foi transportada para o Hospital de Braga com ferimentos considerados ligeiros.

O alerta foi dado ás 11:30.

Continuar a ler

Populares