Seguir o O MINHO

País

Álvaro Barreto ajudou a “desbravar” a “modernização do país”

Presidente da República

em

Foto: Imagens TVI

O Presidente da República lembrou Álvaro Barreto, o ex-ministro do PSD que, esta segunda-feira, morreu aos 84 anos, como uma personalidade que ajudou a “desbravar” e “consolidar” a “modernização do país e a integração europeia”.

“Deu um contributo de grande relevância para a governação e para as políticas públicas da nossa democracia, tendo servido como ministro de Portugal em sete governos, tendo como primeiros-ministros Mota Pinto, Sá Carneiro, Pinto Balsemão, Mário Soares, Cavaco Silva e Santana Lopes, desbravando e consolidando a modernização do país e a integração europeia”, lê-se na mensagem colocada por Marcelo Rebelo de Sousa no site da Presidência da República.

Marcelo recordou Barreto como “um amigo”, com “uma vida ao serviço de Portugal”, engenheiro civil de formação, que se notabilizou “como gestor e como governante, colocando o melhor do seu saber, talento e trabalho ao serviço do desenvolvimento da economia portuguesa, em áreas como a indústria, o comércio, a agricultura e as pescas”.

“Conduziu em diversos momentos as negociações setoriais, de extraordinária exigência técnica e política, com a União Europeia, e representou Portugal sempre com o mais elevado sentido de Estado”, concluiu.

O ex-ministro do PSD morreu morreu ao princípio da tarde desta segunda-feira, aos 84 anos.

Fonte do PSD adiantou à Lusa que o velório de Álvaro Barreto está previsto para terça-feira à tarde, na Igreja do Campo Grande, em Lisboa.

Álvaro Barreto foi ministro de sete governos constitucionais, com Carlos Mota Pinto, Sá Carneiro, Pinto Balsemão, Mário Soares, Cavaco Silva (duas vezes) e Pedro Santana Lopes.

Anúncio

País

Lançado ‘site’ dedicado a livros e autores para enfrentar tempos de crise

Covid-19

em

Foto: DR / Arquivo

Uma plataforma dedicada a livros, criada assumidamente como resposta aos tempos de crise, foi hoje lançada, com notícias, entrevistas, listas sobre obras, e artigos de fundo, que conta com a colaboração de autores como Afonso Cruz e Frederico Lourenço.

O ‘site’ chama-se “Eu leio em casa” e foi lançado pela The Book Company, empresa responsável pela produção executiva de Portugal Convidado de Honra da Feira Internacional do Livro de Guadalajara, em 2018.

Criado especificamente como resposta ao período de crise que o país atravessa devido à pandemia de covid-19, que obrigou a população a isolar-se em casa e as lojas e serviços de atendimento ao público a fecharem portas, este ‘site’ dedicado à divulgação de livros e autores, quer ajudar o setor livreiro e editorial, que está a sofrer um revés sem precedentes.

“Numa altura em que a área do livro passa por um período menos bom, esperamos que esta plataforma contribua para que os portugueses falem de livros, partilhem as suas ideias sobre livros, comprem mais livros”, lê-se na página de apresentação do ‘site’.

Reconhecendo ser “demasiado cedo” para dizer se a plataforma “veio para ficar”, os criadores consideram que, “para já”, fazia falta a criação de “um repositório de informações, que reunisse conteúdos de qualidade, na área do livro” e “que interessasse a leitores e profissionais”.

Trata-se de uma plataforma intemporal – porque reúne textos que podem ser lidos tanto hoje como daqui a um mês -, em periódica atualização e melhoria, que pretende apresentar “conteúdos originais”, mas também servir “como apontador para outros artigos”, destacam a equipa criadora.

“Tentaremos colocar um foco sobre as notícias frescas, mas sobretudo publicar artigos em torno do livro”, afirmam.

“Eu leio em casa” conta com a colaboração permanente dos escritores Afonso Cruz, Frederico Lourenço e Nelson Nunes.

A plataforma tem já disponíveis uma entrevista a Pedro Vieira sobre livros e literatura, um texto de Afonso Cruz sobre literatura para compreender a pandemia, uma curiosidade, em tempos de pandemia, sobre a etimologia de “corona” e “vīrus”, por Frederico Lourenço, bem como uma lista de 36 novos livros no Plano Nacional de Leitura.

Outros destaques do ‘site’ são “dicas para criar um clube de leitura digital”, indicação de como descarregar gratuitamente livros da turma da Mónica, sugestões de cidades para quem gosta de livros, listas de clássicos para ler em isolamento social, das melhores sagas de “’noir’ nórdico” para quem gosta de policiais, ou das capas mais interessantes de 2019 e as que se perspetivam para 2020.

A plataforma remete também para conteúdos de outras páginas, como o diário de isolamento que a escritora e jornalista franco-marroquina Leïla Slimani está a publicar no jornal Le Monde, o texto pessoal que o escritor espanhol Manuel Vilas publicou no jornal El País, sobre a sua relação com os livros por estes dias, ou as crónicas, apontamentos e sugestões de leitura que Maria do Rosário Pedreira publica no seu blogue “Horas Extraordinárias”.

Continuar a ler

País

Os números do Euromilhões

Sorte

em

Foto: DR / Arquivo

É esta a chave do sorteio do Euromilhões desta terça-feira, 07 de abril: 4, 5, 14, 33 e 48 (números) e 7 e 12 (estrelas).

Em jogo para o primeiro prémio está um valor de 45 milhões de euros.

Continuar a ler

País

BCE empresta quase 20 mil milhões de euros a 99 bancos a 77 dias

Banco Central Europeu

em

Foto: DR / Arquivo

O Banco Central Europeu (BCE) emprestou hoje a 99 bancos da zona euro 19.507 milhões de euros a 77 dias, na quarta das suas operações de refinanciamento adicional.

Segundo a agência Efe, a procura de liquidez baixou em relação à semana passada, quando 107 bancos pediram 43.713 milhões de euros a 84 dias, e na semana anterior tinham pedido 79.673 milhões de euros a 91 dias.

O BCE levará a cabo, semanalmente, até finais de junho, operações adicionais de financiamento a prazo mais longo, de forma temporária, para proporcionar um apoio de liquidez imediato ao sistema financeiro da zona euro.

Estas operações efetuar-se-ão mediante um procedimento de leião a taxa de juro fixa com adjudicação plena, com uma taxa de juro igual à taxa média aplicável à facilidade de depósito, que está atualmente nos -0,50%.

O juro do empréstimo calcula-se e paga-se na data de vencimento, pelo que poderão ser de -0,50% se o BCE não baixar a facilidade de depósito.

Todas estas operações adicionais de liquidez em condições favoráveis vencem em 24 de junho, quando o BCE levar a cabo uma operação de liquidez a muito longo prazo da sua terceira série.

Continuar a ler

Populares