Seguir o O MINHO

Viana do Castelo

Alunos do Politécnico de Viana espalham espírito do ‘Halloween’ pelas ruas da cidade

“Luminárias de Halloween”

em

Foto: Divulgação / IPVC

Os alunos do 1.º ano do Mestrado em Design Integrado da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) criaram sistemas de iluminação exterior para várias ruas e praças da cidade de Viana do Castelo sob o tema do Dia das Bruxas. “Luminárias de Halloween” é o título deste projeto que tem como parceiros a Associação Empresarial de Viana do Castelo, a Câmara Municipal de Viana do Castelo e a empresa Norteled.

“A festa do Halloween, que se realiza a 31 de outubro, deu o mote para o desenvolvimento de luminárias que simbolizam o tema e que pretendem proporcionar momentos de convívio e interação”, justifica o coordenador do mestrado, João Martins, citado em comunicado enviado a O MINHO. Com este projeto, desenvolvido no âmbito da unidade curricular de Laboratório de Projeto Integrado, o objetivo passa por “oferecer experiências de luz e de forma ao público visitante gerando novos estímulos e novos fluxos de pessoas para os lugares onde estão implementadas, valorizando-os”.

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Foto: Divulgação / IPVC

Numa primeira fase, acrescenta o docente, “o projeto incentivou os estudantes a construírem uma reflexão crítica sobre a temática através do trabalho em laboratório”. Este modelo, “facilitador da aprendizagem”, permitiu que os estudantes se envolvessem na experimentação prática, conduzindo-os até à definição dos projetos a executar. Numa segunda fase, os alunos acompanharam a produção e realizaram um trabalho de campo que consistiu no acompanhamento da implementação das suas soluções de iluminação pelas ruas e praças da cidade.

A equipa docente, composta ainda pelos professores Ermanno Aparo e Manuel Rivas, juntamente com os parceiros institucionais e empresariais “criaram as condições necessárias para que os alunos pudessem desenvolver e materializar as suas propostas, apresentando soluções inovadoras”.

Populares